Leia as Histórias

Categoria - Personagens Eles merecem aplausos! Autor(a): Walquiria - Conheça esse autor
História publicada em 08/04/2014
Trabalho em um escritório no bairro do Jabaquara, Zona Sul de São Paulo. O local é um casarão antigo, com um muro alto na frente e um portão fechado, onde quem passa pela rua nem imagina que é um escritório. São várias salas, cozinha no qual temos refeição feita no local e edícula nos fundos para arquivos, sala de estagiários e office-boy.
 
Na frente, além da garagem para os carros, mantenho um pequeno jardim lateral, com um imenso pé de primavera roxa que quando floresce por inteiro é encantador, mas ele se mantém com flores o ano todo... Nos fundos temos um gramado, terminando com jardim e na lateral uma hortinha, onde temos almeirão, couve, salsa e três pézinhos de tomate cereja carregados... Mas a preferência são os dois enormes pés de ameixas muito antigo, um de cada lado que carregam de frutos acolhendo dezenas de passarinhos da região onde pelas manhãs e no entardecer fazem uma cantoria sem fim.
 
Eu abertamente adoro o pé de jabuticaba que não passa de 1,80m, mas que carrega tanto na época dele quanto vai oferecendo alternadamente seus frutos o ano inteiro... Ah! Quase me esqueci do pé de amora que teima em crescer descaradamente, e eu vou lhe podando sempre, pois já não existe mais tanto espaço... E em troca ele carrega tanto que seus galhos envergam pretinhos das amoras maduras...
 
Mas escrevo para que mais pessoas ,fora os moradores da rua, saibam o quanto eu admiro duas pessoas tão especiais que moram e que zelam tanto pelo espaço comunitário de todos, como se fosse seu próprio quintal, e não medem os esforços no sol e na chuva para proporcionar o bem estar de todos os moradores desta e das ruas vizinhas.
 
O primeiro é um senhor oriental cabisbaixo, que mora com sua irmã mais velha, que anda auxiliada por uma bengala. Há, talvez, mais de 20 anos, dito pelos vizinhos, ele ao chegar do trabalho pega sempre a surrada vasoura, umas sacolinhas plásticas (aquelas do supermercado) e a pá de lixo, e sobe até a quase avenida principal e desce varrendo a rua inteira, até a esquina em baixo onde reside. Às vezes o sol ainda é escaldante, e ele limpa o suor com os braços, mas não deixa de sorrir timidamente abaixando a cabeça para cumprimentar quem passa por ele... Com isso a rua está sempre impecavelmente limpa, mesmo tendo dezenas de pessoas que ainda jogam lixo nela ao passar e dezenas daqueles papelzinhos de propaganda que são espalhados todos os dias pelos portões e calçadas... Mas ele varre e recolhe tudo fielmente todos os dias.
 
O segundo é um morador também da esquina, onde termina em uma imensa praça, quase que abandonada, pois a prefeitura apenas faz a podagem das árvores e corta o mato quando cresce muito alto e só. Pois bem, ele tem apenas um dia de folga durante a semana, no qual fica embaixo do sol escaldante ou da chuva o dia inteiro arrumando e cuidando de um jardim imenso que ele fez sozinho, plantando todos os tipos de flores e folhagens que os moradores jogavam ali na esquina depois de podarem suas plantas. Ele conseguiu com este imenso jardim fazer com que ninguém mais descartasse entulhos e móveis velhos naquele local. Ele colocou cartazes dizendo que aquele local não era mais abandonado e proibia o descarte de lixo... Como ele mora em frente, virou um guardião do seu próprio jardim, embora o espaço seja muito grande e ele não dá conta de fazer melhor.
 
São dois exemplos de cidadãos do bem e que com seu próprio suor e sacrifício mantém o bem-estar de tantas pessoas que moram ou passam por ali, sem conhecer esta dedicação quase sobre-humana destes dois homens tão simples, mas tão gigantes de alma e de solidariedade... 
Todos os dias quando chego pela manhã não deixo de notar a rua limpinha e a praça tão verdinha e cheia flores mantidas pelas mãos de dois únicos e tão simples moradores... Meu coração se enche silencioso de agradecimento, mas sempre pensando: Será que algum dia eles saberão destes agradecimentos mudos e da admiração que muitos de nós sentimos por eles e que são um grande exemplo em nossas vidas?
 
 
 
E-mail: [email protected]
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 08/04/2014

Walquiria, como é bom encontrar pessoas assim como esses dois cidadãos, sempre a minoria e por isso merece nosso aplauso.Agora o agradecimento não é mais mudo, mas faça uma surpresa pra eles, um dia quando terminarem o trabalho, pegue toda sua turminha e bata palmas a sua volta para que eles percebam toda admiração e carinho.Aproveite e leve meu abraço também. Um beijo amiga.

Enviado por Margarida Pedroso Peramezza - [email protected]
Publicado em 08/04/2014

Ainda existem pessoas assim?

Que zelam pelo bem comum, enquanto a maioria insiste em sujar inclusive os políticos que com esses papeis mostram o grau de cidadania que têem.

Um abraço grande a esses dois cuidadores.

E um beijo pra vc que reconhece isso.

Enviado por Benedita Alves dos Anjos - [email protected]
« Anterior 1 2 Próxima »