Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias O samba do crioulo doido Autor(a): Clesio de Luca - Conheça esse autor
História publicada em 10/02/2014
Por desejo, seria um grande compositor. Uma letra de música é a síntese do recado. Aviso que de música entendo muito pouco, sou mesmo é de ouvir som. Não toco nenhum instrumento de som: piano, teclado, violão, guitarra, bateria, atabaque etc...
 
Até o sino da igreja se me derem para tocar, vacilo.
 
Sou o tipo de pessoa desafinada por natureza. Sou bom de ouvido e já é uma grande coisa! Assim gosto de ver as letras das músicas e o que elas dizem, qual mensagem ressoa.
 
Fazendo separações, estilos de música, ou melhor, gênero de música: romântica, MPB, samba-canção, samba de morro e de malandro, jaz, rock... Dependendo do momento e da hora, faço as minhas opções.
 
Não gosto de música com letra complicada, que nos faz pensar, pensar o que seja. Gosto de música que posso cantarolar, nem que seja somente o refrão, aquele que o povo repete, repete.
 
De vez em quando encasqueto com determinada música, acho que por inspiração divina, a música é recado de Deus para nós, quando estamos necessitados.
 
Intérprete é o cantor designado para tocar a música e cantar dando ênfase à letra, vivendo o papel do compositor.
 
- Essa música ficaria bem se fosse gravada por Elizeth Cardoso.
 
Trocando de miúdos, voltamos ao samba-canção e a pergunta? Quem são os melhores sambistas brasileiros? Pergunta difícil de ser respondida, pois há uma enormidade de artistas da música: Paulinho da Viola, João Nogueira, Chico Buarque, Caetano e Gil, Elis Regina, Adoniran Barbosa, Germano Mathias.
 
Ouço música, como disse, por inspiração. Tenho jeito de sambista, ou de compositor, que começa com uma batidinha aqui e ali e me vem logo inspiração para a letra. Sensacional. E fico me achando o “cara”, quando pego bem o ritmo da música.
 
Voltando a realidade; sempre tive muitos amigos ligados à música. Ora a guitarra do Silvio com domínio absoluto, outra vez o cavaquinho de Barbosa, a destreza do Ricardo fazendo do seu instrumento um brinquedo de criança.
 
Acho mesmo que é o dom da pessoa. Quem tem o dom para a música, o talento, ele vibra, desce e sobe, baixa e sobe o ritmo em um fechar de olhos. Como a música encanta o ambiente. A música bem tocada, a letra bem interpretada!
 
Quais músicas você mais gosta? Difícil responder, o prazer é do momento. Não vejo muita graça quando a musica é um diálogo sobre o que a pessoa é, ou foi, está vivendo crise, ou dor de cotovelo, está gamada e não correspondida. Lembram disso?
 
Está com dor de cotovelo. Dor maldita. A gente tem que engolir a paixão, viver aquele tormento da separação e do abandono quando a outra (o) diz adeus. Difícil de aceitar.
 
Mas também, quando se vive em paz consigo mesmo e um som para alegrar o espírito, “bota aí” a Mercedes Sosa e pronto, e Gracias a La Vida, a letra não é dela é sim de Violeta Parra, chilena, Sosa também chilena, é a interprete.
 
Mas para dar uma referência à boa música brasileira, menciono o Noel Rosa, lá da década de trinta. O Wilson Baptista, setecentas e poucas letras e a polêmica entre ambos por causa de um namoro que disputaram, sendo o Wilson o que levou.
 
Gente, vou parar por aqui, para não escrever bobagens e excessos, sem antes recordar do samba de Adoniran, mais paulistano impossível e suas letras maravilhosas.
 
Esse tema é muito bom para quem gosta de música. Deixei de mencionar a música clássica porque isso é outro papo.
 
E-mail: [email protected]
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 10/02/2014

Clésio, não sei tocar instrumento musical, mas adoro piano. Cresci ao som da musica, meu pai tocava violão e ensinava muitas canções que hoje canto para meu neto. Gosto dos nossos cantores, dos mais jovens aos mais velhos.Um abraço.

Enviado por Margarida Pedroso Peramezza - [email protected]
Publicado em 10/02/2014

Também gosto muito de música, mas como você sou muito desafinada, meu marido ama tocar baixo e meu filho toca muito bem violão e agora está aprendendo a tocar viola, quando os dois se juntam é festa na certa.

Enviado por Julia Poggetti Fernandes Gil - [email protected]
Publicado em 10/02/2014

Narrativa musical com arranjos na forma de sambas, valsas, choros e samba-canção, terminando com uma tremenda batucada com a orquestra do Sílvio Masuca. Parabéns, Clesio.

modesto

Enviado por Modesto Laruccia - [email protected]
Publicado em 10/02/2014

tivemo grandes cantores no brasil, pena que o povo tem memoria muito curta.

OSNY SILVA,FRANCISCO ALVES,JOAO DIAS,AGOSTINHO DOS SANTOS.VICENTE CELESTINO,JORGE VEIGA,NELSON GONCALVES,ETC>>>

Enviado por João Cláudio Capasso - [email protected]
Publicado em 10/02/2014

Clésio - O que eu consegui tocar na vida foi os sinos da Igreja Cristo Rei e campainha das casas. Só que no caso das campainhas tinha que sair correndo com os amigos - Risos - Forte Abraço ...

Enviado por José Aureliano Oliveira - [email protected]
Publicado em 10/02/2014

Clésio, música gosto de ouvir aquelas que agradam aos meus tímpanos, para mim é um assunto complexo, pela grande variedade de ritmos, o samba, chorinho, sertanejo, rock in rol, deram origem a dezenas de variações, que ocupam o lugar dos tradicionais ritmos, parabéns,Estan.

Enviado por Estanislau Rybczynski - [email protected]
Publicado em 10/02/2014

Mas hoje, Clésio, falar em crioula doido é politicamente incorreto. Coisa chata, né?

Enviado por Vera Moratta - [email protected]
« Anterior 1 Próxima »