Leia as Histórias

Categoria - Personagens Morreu vô Mário Autor(a): Luizinho trocate - Conheça esse autor
História publicada em 05/12/2013

Existem, existiram e existirão muitos vôs chamados Mário no “mundo de língua portuguesa”, mas nenhum como o nosso vô Mário.

Era a própria alegria. Brincava o tempo todo, com tudo. Teve uma vida feliz, claro que com algum sofrimento também, inclusive conviveu com o mais duro de todos os sofrimentos humanos, mas isso agora não vem ao caso. Ele se foi e levou consigo um tempo bom que não voltará nunca mais.

Era filho do Urias, de Ubá com passagens por São José da Garrucha, e quem conheceu o velho Urias dizia que “era uma bola”, no sentido antigo: engraçado, gozador. Vô Mário tinha a quem puxar.

Nasceu em 1924 – passou por todos os grandes acontecimentos históricos do século XX sem que nenhum deles o afetasse. “Eu ouvia falar de guerra, de copa do mundo no Maracanã, mas isso para mim tinha pouca importância, precisava era pôr as coisas para dentro de casa, então deixava o pau quebrar lá fora”, essa era sua maneira de explicar aos netos curiosos a sua visão de História Geral. Viveu à sua maneira, sempre com o Barbosa, um canivete, por perto para “topar e aguentar qualquer parada” (de verdade, nunca brigou com ninguém, nunca disse uma palavra áspera).

Tinha uma maneira repetitiva de contar causos, suas histórias (conhecidas “de cor e salteado”) eram sempre novas porque ele era sempre novo em sua maneira de contar. Ah! Vô Mário (ou Pavão, como os amigos da Vila Vitória o chamavam) que há tantos anos saiu de Ubá / Tocantins – MG para enriquecer São Paulo, agora morreu e nesse dia, 30 de novembro de 2013, deixou o mundo muito mais pobre, mas Deus entendeu tanta ternura e, poupando-o de sofrimentos, o levou como se leva um passarinho.

E-mail: [email protected]
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 09/12/2013

Emocionante homenagem ao avô Mário, por vc, Trocate, enaltecendo a figura de um homem amado por todos. Parabéns, Luizinho.

Modesto

Enviado por Modesto Laruccia - [email protected]
Publicado em 09/12/2013

O vô Mário, não morreu, ele encantou, virou estrela. Olha para o céu que você o verá.

Enviado por Marcos Aurelio Loureiro - [email protected]
Publicado em 08/12/2013

Luiz, que DEUS dê o conforto aos que ficaram e bela homenagem ao vô que soube tão bem marcar a vida daqueles que o conheciam.

Abraços.

Enviado por Julia Poggetti Fernandes Gil - [email protected]
Publicado em 06/12/2013

Luizinho, meus sinceros sentimentos e que o seu avô esteja mesmo no melhor lugar, contando seus casos engraçados para os anjos e santos. Um abraço.

Enviado por Vera Moratta - [email protected]
Publicado em 06/12/2013

É sempre bom recordar de pessoas que fizeram parte de nossas vidas. Quanto ao canivete, é engraçado como era comum nossos avós terem consigo, pendurado na cintura, num estojo bem adornado, como parte integrante de um tempo. Recordar, dá-nos saudade, e foi bom eles existirem como exemplo.

Enviado por Carlos Fatorelli - [email protected]
Publicado em 05/12/2013

Luizinho, que Deus o tenha, no céu irá continuar com sua alegria, parabéns,Estan.

Enviado por Estanislau Rybczynski - [email protected]
Publicado em 05/12/2013

Luizinho, linda homenagem ao Vô Mário, com certeza ele está com Deus e em paz. Um grande abraço.

Enviado por Margarida Pedroso Peramezza - [email protected]
« Anterior 1 Próxima »