Leia as Histórias

Categoria - Personagens Uma mãe chamada Izabel... Autor(a): Airton Irineu dos Santos - Conheça esse autor
História publicada em 11/09/2013

Hoje mamãe Izabel, você está no céu; incrível, céu rima no som com o seu nome, você em vida foi doce como o mel, lamento muito não ter fisicamente na minha frente o seu sorriso tão cativante, a sua bondade, a candura dos seus lindos olhos azuis, aliás, cor deste céu que um dia te acolheu de braços abertos, imaginei nas alturas os anjos te recebendo com um buque de flores, afinal a sua generosidade era referenciada em vida por todas as pessoas que tiveram a oportunidade de conhecê-la e de desfrutar de sua companhia.

Mamãe Izabel parece que foi ontem quando chegamos na capital paulista oriundos de um lugar tão longe, Santa Catarina, a bordo de um turbulento avião obsoleto para os dias atuais. Aeroporto de Congonhas estava ali, era o ano de 1950, nós que viemos de um reduto rural catarinense, enfrentaríamos uma metrópole onde já despontavam os arranha-céus em meio dos casarões ornados de belas flores, tudo era poético; o motivo de minha vinda prematura foi um acidente ocorrido comigo, a quebra de um braço, preocupada por acontecer alguma infecção, fui internado no então caro e conceituado Hospital Samaritano no bairro do Pacaembu, gastando ela quase todas as suas economias ganhas com suor em casas de família, a sua profissão de doméstica fora muito desgastante.

Mamãe, agora que estamos dialogando com a senhora em pensamento, tomo a liberdade de recordar os bons momentos, quando menino, nos domingos de folga, íamos tomar uns sorvetes deliciosos em uma sorveteria da Avenida Brigadeiro culminando com um gostoso piquenique no Parque Trianon, foram momentos inesquecíveis.

Mamãe Izabel, lembro-me ainda, entre tantas passagens, a sua alegria quando em idade escolar fora o primeiro colocado do curso primário, notei o seu orgulho, você dizia para todo mundo ouvir que eu era o seu filho; essa mesma alegria você demonstraria minha conclusão do curso de Direito.

Então Mamãe Izabel, um dia me casei, tinha encontrado a minha alma gêmea, vieram os frutos, os netos, os quais você tratava com todo carinho, não se esquecendo dos presentinhos nos aniversários e natais passados.

Mamãe Izabel, um dia você ficou muito doente e para a melancolia de todos nós você partiu para um andar superior, destino de quase todos nós, sua missão aqui na terra tinha terminado, deixando uma lacuna nunca preenchida.

Mamãe Izabel receba então em versos essa sincera homenagem...

Mãe coração de ouro

“Mãe, sublime e adorada mãe,

É feliz quem ainda a tem,

Ninguém pode imaginar

Como a sua falta nos faz sentir

Um pássaro sem asas para voar...

Mãe, indiscutível mãe.

Você amigo, eu sei, ainda a tem,

É importante em vida, valorizar

Gente, como ela chorou, sofreu

Com as suas cólicas, ao ninar.

Mãe, inigualável mãe,

Que tristezas de lágrimas derramou

Quando você foi para prisão,

Ela te educou livre como um pássaro

E você cometeu uma triste infração.

Mãe, linda e produtora mãe

Que a dor do parto suportou

Ao ouvir o seu primeiro choro

O sorriso na serena face se ampliou.

Mãe, preocupadíssima mãe,

Que não descansava até você voltar,

Seu alívio era a sua volta

Te ver na cama e repousar.

Mãe, insubstituível mãe,

Que lágrimas de dor derramou

Quando prematuro sem futuro

Um filho seu sem destino se mandou.

Mãe, orgulhosa mãe,

Que craque menino

O mundo deslumbrou

O gol da vitória a emocionou.

Mãe, coração de ouro,

Receba esta linda rosa

Como prova de um grande amor

Presente ou ausente

Irei amá-la sempre, aonde for.

Mãe, eterna e querida mãe

De vários tipos e padrões,

Eternamente permanecerás

No meu e em todos os corações...”

E-mail: [email protected]
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 09/11/2014

que linda a sua homenagem!!!

parabèns!!!

Enviado por verinha - [email protected]
Publicado em 12/09/2013

Prezado Airton

Emocionante a sua terna lembrança de sua mamãe Izabel. Com toda a certeza, uma grande mulher. Nota-se pelo carinho de seu filho.

Permita-me um pequeno recado:

Prezada Mamãe Izabel

Um dia você se foi, deixando pra trás um vazio imenso, onde antes, seu filho Airton, contava com sua presença marcante, firme e segura.

A saudade ainda é grande, porque marca a falta física de seu sorriso, afago e palavras.

Foi, contudo, no meio dessa ausência que ele certamente passou a compreender a dimensão do ser eterno. Da porção que fica e que, apesar de invisível, é sensível e que vive dentro de cada um.

Por isso, mesmo que hoje vertam algumas lágrimas dos olhos de seu filho Airton, pela falta física do seu abraço, nada será suficiente para ofuscar a certeza de um dia se reencontrarem em outro plano.

Forte abraço

Pedro Nastri

Enviado por Pedro Nastri - [email protected]
Publicado em 12/09/2013

Airton, emocionante a sua homenagem prestada a sra. sua mae, parabens pelo texto.

Enviado por Leonello Tesser (Nelinho) - [email protected]
Publicado em 12/09/2013

Airton, emocionante a sua homenagem prestada a sra. sua mae, parabens pelo texto.

Enviado por Leonello Tesser (Nelinho) - [email protected]
Publicado em 11/09/2013

Airton, parabéns pela homenagem merecida a D. Izabel, mãe é mãe, Estan

Enviado por Estan - [email protected]
Publicado em 11/09/2013

Airton, que belíssima demonstração de gratidão. Fiquei emocionada de fato, pois também sou mãe e espero ter essa importância para o meu filho. Meus parabéns, meu amigo. Lindo o coração da dona Izabel e o seu também. Um grande abraço.

Enviado por Vera Moratta - [email protected]
Publicado em 11/09/2013

Airton, vc simplesmente arrebenta o coração de quem lê sua crônica. Que beleza de homenagem, quanta pureza de intenções. Prosa e versos, verdadeiras fibras coronárias, uma ode, tal qual as enviadas pelos sábios gregos em louvores as suas amadas.

O roteiro da vida de sua mamãe Izabel, segue o destino dos justos... assim como nascem pessoas de má índole, temos a fortuna (vc e eu, também, Airton)de sermos presenteados com uma das mães escolhidas por Deus. Desculpe a comparação, Santos mas não vejo de outra forma. Parabéns pelo lindo texto.

Modesto

Enviado por Modesto Laruccia - [email protected]
Publicado em 11/09/2013

Airton, você com essa historia me fez chorar de saudades de minha mãe. Obrigado por esse meu choro misto de saudades e de alegria por ter podido recordar minha mãe querida, que sempre me amou em vida. E parabéns.

Enviado por Arthur Miranda (Tutu) - [email protected]
« Anterior 1 Próxima »