Leia as Histórias

Categoria - Personagens O bêbado e Jesus Autor(a): Detto Costa - Conheça esse autor
História publicada em 02/09/2013

Na década de 70, eu sempre ia ao Largo do Arouche à noite, quando encerrava o trabalho no SBT. Eu, naquele tempo, fazia um programa chamado Arrisca Tudo, para o Programa Silvio Santos, que tomava bastante tempo. Eu gostava de ir comer no Almanara ou no Galetos. Naquele tempo, o ambiente era tranquilo. O único e grande problema era (e até hoje é) estacionar o carro.

Isso era facilitado para mim, porque eu conhecia o flanelinha e sempre dava um dinheirinho para ele. Um dia, cheguei para estacionar e só havia uma vaga. Eu costumava colocar duas rodas na calçada e duas na rua. Nesse dia, o flanelinha (que estava sempre bêbado) me disse que eu não poderia fazer assim porque estavam multando e me falou que eu tinha que estacionar com todas as rodas na rua. Estacionando desse jeito, eu argumentei:

- Você não acha que por essa rua ser muito estreita e eu colocando as quatro rodas na rua o trânsito não fica pior? Até o ônibus para passar não vai ter sérias dificuldades?

- Sim - respondeu o flanelinha bêbado. - Concordo com o senhor. Mas o guarda multa se não for assim.

- Mas é muito burrice, concorda? E já são mais de 10h da noite!

- O senhor “tá” certo - respondeu. Mas faça do jeito que os "homi" querem!

- “Tá” bom, mas está errado!

Aí o flanelinha, com sua voz pastosa de bebida, me disse o seguinte:

- Amigo, se Jesus não consertou o mundo, não será a gente que vai consertar.

Dei uma grande risada e descobri que qualquer pessoa sempre tem uma coisa para dizer a você, porque a vida nos obriga a saber.

E-mail: [email protected]
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 04/09/2013

Detto parabéns fui muito amigo do seu saudoso e grande comediante Luiz Jacinto, quando juntos trabalhamos na Tv. Bandeirantes em 67-68. Parabéns pelo texto e sucesso profissional aí na Record.

Enviado por Arthur Miranda - [email protected]
Publicado em 03/09/2013

É isso ai Detto. Vox Populi, Vox Dei - A voz do povo é a voz de Deus.

Abençoado os bêbados de plantão, pois, deles vem a sabedoria popular.

Enviado por Pedro Nastri - [email protected]
Publicado em 03/09/2013

Realmente , isso acontece. De quando em quando ouvimos alguém dizer grandes besteiras,mas como dizem é melhor ouvir qualquer bobagem que ser surdo.

Como disseram os políticos nesses dias de manifestações, eles terão que ouvir a voz rouca das ruas.

Mal sabem eles que também existe a voz pastosa dos bêbados. E essa além de semi-tonada vem acompanhada do bafo de onça.

Um dia desses eles saberão.

Enviado por Pantarotte - [email protected]
Publicado em 03/09/2013

Legal, Detto. O flanelinha, mesmo bêbado, tinha razão. Abraços.

Enviado por Vera Moratta - [email protected]
Publicado em 03/09/2013

Costa, realmente sempre tem alguem que nos transmite alguma coisa, boa ou ruim, cabe a nos distinguir, parabens pelo texto.

Enviado por Leonello Tesser (Nelinho) - [email protected]
Publicado em 02/09/2013

Muito boa, Sr. Detto. Como o senhor trabalha em televisão desde os anos 1960, imagino o que não teria de história de bastidores. Espero que nos conte muitas. Pelo menos as publicáveis. Abraços,

Enviado por Abilio Macêdo - [email protected]
Publicado em 02/09/2013

E não é que ele tinha razão Detto - Legal - Forte abraço ...

Enviado por José Aureliano Oliveira - [email protected]
« Anterior 1 Próxima »