Leia as Histórias

Categoria - Paisagens e lugares Estação Santana - recordações Autor(a): Airton Irineu dos Santos - Conheça esse autor
História publicada em 19/03/2013

Volte trem... Por favor!

Volte trem, por favor!
O progresso veio
Os trilhos da Cruzeiro
Foram derrubados e
Com ele veio o desgosto,
Que, estampado no meu rosto,
Causa muita indignação.
Ah! Que imensas saudades de
Santana, do trem parando na estação.

Volte trem, por favor!
Um dia, por aqui você sempre parou
Trazendo alegrias, esperança,
Acalentando meus sonhos de criança...
Pena que o tempo voou, voou...

O seu apito ao longe cativante
Anunciava logo, logo a chegada.
Na primeira classe, linda, radiante
Chegaria a minha primeira namorada.

Veio então em minha imaginação
Na plataforma, um punhado de flores
Eu daria em forma de paixão...
Acordei. Lamentei esta ilusão.

O futuro chegou de repente
Acordei de um lindo sonho.
Então, o pesadelo incoerente
Tomou conta do meu ansioso coração.

Era o fim de tudo, desilusão.
Agora até os dormentes
Tiraram, arrancaram do chão.
Volte trem, por favor,
Pare novamente na estação.

Ah! Estação Santana, de emoções.
Um passado guardado em todos os corações
O piquenique do Horto e outras coisas mais
Estação Santana-SP de doces recordações,
Que não esqueceremos jamais.

Volte trem... Por favor...
Nem que seja em nossa imaginação...


E-mail: [email protected]

Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 20/03/2013 Prá ajudar, o roteiro era (+ ou -) o seguinte: Areal (Carandiru), Santana, Santa Terezinha, Mandaqui, Invernada (Barro Branco) e Horto.
Peguei muito esse trem, foi uma época romantica onde o maior perigo eram os punguistas.
Enviado por juvenal cardoso - [email protected]
Publicado em 20/03/2013 Amo poesia! Admiro poetas especialmente os talentosos feito você. " Volte trem...Por favor..." Enviado por Trini Pantiga - [email protected]
Publicado em 19/03/2013 Era o trenzinho da Cantareira. Cansei de andar nele, e no outro ramal que ia até Guarulhos. Foi um tempo muito bom, não foi, Airton? Enviado por Marcos Aurélio Loureiro - [email protected]o.com.br
Publicado em 19/03/2013 Airton, também tenho saudades dos trens, poie eram viagens tranquilas e até romanticas, mas fico imaginando o que seria da região de Santana em termos de congestionamento se o mesmo estivesse ainda estivesse circulando, já que mesmo sem ele a região já é congestionada, mesmo contando com um moderno Metrô, Abraços Enviado por Arthur Miranda - [email protected]
Publicado em 19/03/2013 Que linda poesia...
Os trens estão no nosso coração e na nossa memória.
Enviado por Benedita Alves dos Anjos - [email protected]
Publicado em 19/03/2013 A estação Santana ficava em uma curva à esquerda no final da Cruzeiro do Sul no sentido Centro- Santana. Era uma plataforma bem curta mas eu lembro que nas duas extremidades havia porteiras. Dali em diante o trem percorria a Alfredo Pujol, no meio da rua e no final dobrava à direita onde havia uma outra estação. Enviado por Tony Silva - [email protected]
Publicado em 19/03/2013 Volte trem, por favor! - Volte trem, por favor! - Volte trem, por favor! - Urgentissimo - Forte abraço Airton ... Enviado por José Aureliano Oliveira - [email protected]
Publicado em 19/03/2013 Airton, você, com maestria, me provocou um sentimento profundo de uma saudade inexplicável. Você é um grande poeta, pessoa de uma alma repleta de sentimentalismo. Maravilhoso. Meus parabéns e um enorme abraço. Enviado por Vera Moratta - [email protected]
Publicado em 19/03/2013 Airton, parabéns pela poesia sobre a estação Santana.Um abraço. Enviado por margarida peramezza - [email protected]
« Anterior 1 Próxima »