Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias Da glória a sargeta Autor(a): Ailton Joubert - Conheça esse autor
História publicada em 06/02/2013
Poema... é a noite escura de amargura
Poema... é a luz que brilha lá no céu
Poema... é ter saudade de alguém,
Que a gente quer e que não tem
Poema... é o cantar de um passarinho,
Que vive ao léu perdeu seu ninho,
É a esperança de o encontrar,
Poema... é a solidão da madrugada
Um ébrio triste na calçada,
Querendo a lua namorar...

A letra e a música tenho certeza que muitos a conhecem, mas seu maior interprete poucos ouviram falar. Estou falando de "Renato Guimarães", umas das vozes mais lindas e potentes da música brasileira, cantor de gênero romântico, passou despercebido pela geração dos anos 60. Para não ser confundido com ele, o cantor Nilton Guimarães mudou o nome para Nilton Cesar. Infelizmente nos deixou muito cedo aos 25 anos. Chegou a ser dono de uma grande boate na região de Moema, mas por causa de três coisas que todo o homem mais aprecia no mundo, o levou a miséria, pela ordem:

Primeiro: mulher
Segundo: bebida
Terceiro: ele desconhece

Tive o prazer de conhecê-lo pessoalmente, quando cantava nas boates na região da Consolação, Nestor Pestana etc. Sua horta era regada de bebidas, a fama não lhe subiu a cabeça, o que tinha dividia com os amigos. Aqueles que querem matar a saudade e curtir um pouco dessa música entrem no Google. Encerro com um trecho da declamação de Enzo de Almeida "poema, é a dor cruel de uma paixão", e por aí vai...


E-mail: [email protected] E-mail: [email protected]
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 07/03/2013 Olha é uma história muito triste, fico feliz por encontrar a linda música do RENATO [ poema], que marcou muito a minha vida.Obrigado. Enviado por lourdinha - [email protected]
Publicado em 20/02/2013 O Renato Guimarães era um moreninho (quase escuro), do cabelo esticado pro lado, que cantava pacas e essa musica Poema fez bastante sucesso. O Nilton Cesar, cantou uma das musica mais sem sentido que já ouvi e que dizia assim: Na India fui em férias passear em que uma india flechou seu coração; ou seja, confundia indio com o país India, o que não tem nada a ver! Enviado por juvenal cardoso - [email protected]
Publicado em 13/02/2013 Ouvi e canatrolei muitas vezes esta canção. Só não conhecia o seu intérprete (e nem o seu compositor). A declamação do Enzo, impecável. Que pena que boa música está se acabando mas, vive em nossas lembranças. Abraços. Enviado por Nelson de Assis - [email protected]
Publicado em 08/02/2013 Ailton, também desfrutei da amizade do Renato nas noites paulistanas, mas eu acho que você se enganou com a idade dele ao morrer, com 25 anos é que não foi, pois ele era mais velho e eu já tinha 26 anos quando o conheci, poderia ser 35 aí sim. Grande pessoa o Renato amigo de todo mundo e grande cantor. Enviado por Arthur Miranda - [email protected]
Publicado em 08/02/2013 Eram os boêmios da época e os famosos locais para esses cantores espantarem suas melancolias através de suas canções lá na “ Luz Vermelha” – Abraços Ailton Enviado por José Aureliano Oliveira - [email protected]
Publicado em 07/02/2013 Linda esta melodia,cantava quando criança e até hoje me recordo...Não conhecia este nome de intéprete,só o do Nilton César,mas o que me deixou curiosa foi não saber o porque de você
desenterrar o nome dele,e a letra de tão linda melodia...
Enviado por walquiria rocha machado - [email protected]
Publicado em 07/02/2013 Renato Guimarães, do Poema e de Sonhar Contigo. Realmente tinha uma voz linda. Não sabia que tinha morrido tão cedo. Enviado por Marcos Aurélio Loureiro - [email protected]
Publicado em 07/02/2013 Nada melhor que as noitadas nas buates, né, Ailton? e o mano, Asciu te entregando, de "bandeja" pra mamãe. O cantor, confesso, nunca ouvi falar (e cantar), a música, não lembro da melodia. Nilton Cesar e Enzo de Almeida Passos, sim, destes eu lembro. Parabéns, Joubert.
Modesto
Enviado por Modesto Laruccia - [email protected]
Publicado em 07/02/2013 Modesto, sabe por que você não o conheceu? Porque na época dele, nas bocadas da vida, lá por 64,65 e coisa e tal, a Dona Mirtes já tinha cortado suas asinhas, queridão. Mas que o cara era bom, era, pode crer nos seu amigos. Enviado por Marcos Aurélio Loureiro - [email protected]
Publicado em 06/02/2013 Conheço e acho linda essa música. Desconhecia pormenores desse cantor. Linda homenagem. Enviado por Trini Pantiga - [email protected]
« Anterior 1 2 Próxima »