Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias Portugueses - Jesuítas - Índios - São Paulo Autor(a): Vilton Giglio - Conheça esse autor
História publicada em 27/11/2012

Nas bibliotecas, nos museus, no memorial de São Paulo há livros, cartas, objetos, embora poucos e destruídos, que remontam a história de São Paulo, a começar por onde foi o berço de São Paulo por anos e que felizmente está no mesmo lugar, não mudaram, graças aos Padres Jesuítas, em especial a um chamado Padre Jose de Anchieta, que veio para o Brasil com a tropa mandada por Portugal, sendo um governador chamado Tomé de Souza, e sua "trupe”. Então dentro dos navios tínhamos exploradores, apaziguadores, estes, os jesuítas, cá estando encontraram os índios, verdadeiros brasileiros, e começou a história, portugueses querendo, índias, filhos, terras (nada bobinhos).

Os portugueses mandavam em tudo ou pelo menos queriam, encontravam a resistência dos Jesuítas que protegiam os índios, catequizando e aprendendo também com eles, imaginem os padres, índios, portugueses, subindo a serra e sendo picados por borrachudos, pernilongo, etc., isto só atacava os padres e portugueses, pois os índios são nativos.

Fundando o Pateo do Collegio, rezaram a primeira missa em 25 de janeiro 1554, São Paulo nome dado em homenagem ao Apóstolo, depois dessa data passaram-se 458 anos, onde nomes como Tome de Souza, Mem de Sá, Duarte da Costa, os de maiores destaques portugueses, tiveram seus registros pela história. Entre os Jesuítas, sem dúvida Padre Jose de Anchieta que escreveu o "Poema a Virgem" nas areias, homem de extrema cultura, gramático, poeta, teatrólogo, escrevia em castelhano, latim-tupi, tanto em prosa como em versos, veio junto com Padre Manuel da Nóbrega, andou por muitos estados do Brasil, tinha como companheiros Jesuíticos Padre Antonio Vieira, lutador, faleceu aos 89 anos, deixou 700 cartas e 200 sermões, João de Aspicuelta Navarro Duarte Góis e do lado dos índios temos Tibiriça, Bartira, entre outros.

São Paulo teve seu começo de paz, amor e muita confusão, começando com eles todos, ao longo dos seus 458 anos.

Atualmente ao redor do Pateo do Collegio temos Padres, moradores de rua, polícia, tribunal de Justiça e muitas histórias, mas os personagens mudaram, o imbróglio continua até para escrever. Mas berço é assim e com São Paulo não pode ser diferente.


E-mail: [email protected]

Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 28/11/2012 Vilton - Meu filho temporão vai indo muito mal nessa matéria "História" . Vou pedir para ele acompanhar essas histórias contadas aqui, para ver se ele melhora. Abraços ... Enviado por Jose Aureliano Oliveira - [email protected]
Publicado em 27/11/2012 Vilton, voce esqueceu de dizer que ao lado pateo do Colegio tem a casa da marquesa de Santos, hoje museu restaurado, mas voce como sempre contando as histórias de São Paulo muito bem, parabéns,Estan. Enviado por Estanislau Rybczynski - [email protected]
Publicado em 27/11/2012 Ótimo, Vilton. Esse início da história de S.P. precisa mesmo ser sempre relembrada. Adorei. Um abraço. Enviado por Vera Moratta - [email protected]
Publicado em 27/11/2012 Importante registro de resgate da história de São Paulo com algumas reflexóes sobre a influência dos colonizadores e nativos e também com ponderações sobre a situação de lugares que contam a história. Enviado por Ana Maris de Figueiredo Ribeiro - [email protected]
Publicado em 27/11/2012 A história de São Paulo parece um pouco o samba do criolo doido. Abração Enviado por Ivette Gomes Moreira - [email protected]
« Anterior 1 Próxima »