Leia as Histórias

Categoria - Personagens Memórias Forenses Autor(a): Miguel S. G. Chammas - Conheça esse autor
História publicada em 03/08/2012

As memórias, com o passar dos tempos, vão se esgotando. Os fatos corriqueiros parecem não merecer um registro mais rico do escritor de rabiscos, ou então, a soberba tomou conta da minha simplicidade e os arroubos de um grande escritor dominaram, em definitivo, meu ego indefeso.

Essas dúvidas têm assomado meus pensamentos e prejudicado as minhas tentativas de novos rabiscos. Ontem, por força de compromissos, fui com minha companheira até o fórum central de São Paulo, o Fórum João Mendes Junior. Ao entrar naquele suntuoso espaço, minha memória foi ativada e lembranças de muitos anos atrás vieram, como que por magia, e se instalaram em mim como se tivessem ocorrido poucos segundos antes. Lembrei dos tempos, lá nos meados dos anos 60, quando eu ia, pelo menos uma vez ao mês, aos sábados pela manhã, ao fórum, não para tratar de assuntos jurídicos, mas para cortar meus cabelos.

Explico: meu barbeiro de muitos anos era um cara da minha idade, bom de tesoura, que tinha um salãozinho na Rua Major Diogo (Bixiga) um pouco antes da Rua São Domingos. O "Faixa" - era este o seu apelido, ganho por ter ele uma mecha natural de cabelos brancos na parte central da cabeça - além de camarada e boêmio, como grande parte de sua clientela, era um cabeleireiro moderno, atualizado e, como se dizia na época, "cheio dos quás quás quás".

Muito bem, a vida seguia sem sobressaltos, até que um dia, fui informado de que ele estava encerrando sua carreira naquele salão. Estava indo de “mala e cuia”, digo ferramentas, se instalar na Barbearia do Fórum João Mendes Junior e que ali passaria a atender seus amigos e clientes, inclusive eu e meu maninho Luiz Loschiavo.

Foi assim que, durante muitos anos seguidos, eu cortei os meus cabelos de "três andares" naquele jurídico ambiente. A vida andou, os caminhos se bifurcaram e eu nunca mais encontrei o "Faixa". Hoje, garanto, gostaria muito de reencontrá-lo, se não fosse para usar de sua capacidade profissional, pelo menos para lhe dar um forte e saudoso abraço e jogar um monte de lembranças fora em um papo prolongado. Desejo esse quase impossível, embora muito tentador. Cadê você Faixa?


E-mail: [email protected]

Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 14/08/2012 Muito boa sua história,memórias sempre interessantes.A história de seu barbeiro e amigo "Faixa" está registrada na lembrança e compartilhada!Um abç Enviado por Ana Maris de Figueiredo Ribeiro - [email protected]
Publicado em 08/08/2012 Miguel, vai ver que o "Faixa", que te cortava o cabelo de "três andares", subiu pro "quarto andar" e... sumio.Parabéns, Chammas.
Laru
Enviado por Modesto Laruccia - [email protected]
Publicado em 06/08/2012 Miguel - Tenho saudade do barbeiro Sr. Marolo la da rua tuiuti no Tatuapé - Tenho até a foto dele na sua barbearia, publicada no jornal UNIMESP DE OUTUBRO de 87 - Quando eu tinha cabelo , carregava no bolso trazeiro um pente flamengo, que era moda naqueles tempos . Abraços ... Enviado por José Aureliano Oliveira - [email protected]
Publicado em 03/08/2012 todos nos temos lembranças dos barbeiros da mocidade,eramos jovens, bonitos, com grandes topetes ala elvis presley, TEMPOS QUE NAO VOLTAM MAIS, NEM OS CABELOS, Enviado por joa claudio capasso - [email protected]
Publicado em 03/08/2012 Miguel e suas belas memórias. Realmente os barbeiros marcam nossas vidas. Tínhamos um chamado Nicolau e o irmão dele apelidado de Caveirinha de tão magro que era. Parabéns pelas sempre e excelentes narrativas. Um grande abraço. Enviado por asciudeme joubert - [email protected]
Publicado em 03/08/2012 Habib. Sua crônica remeteu-me ao velho e saudoso Egídio da barbearia que ficava no início da rua 13 de Maio, lá no Bixiga. Bons tempos desde a tábua, para ficar um pouco maior na cadeira até os meus tempos de rapaz. Boas lembranças e o quadro da Marilyn Monroe em sua antológica pose sobre lençóis de cetim vermelho. Enviado por Nelson de Assis - [email protected]
Publicado em 03/08/2012 Nada como entrar no Forum, mas apenas para cortar os cabelos, nenhuma pendência cabeluda. E aí, Miguel, depois de tanto tempo de cliente, você cortava na "faixa"? Enviado por Luiz Saidenberg - [email protected]
Publicado em 03/08/2012 Frequentei muito lá mas por outra causa tive uma namorada que trabalhava lá. Era otimo.

Cadê vc. minha ex?

Um abraço.
Enviado por vilton giglio - [email protected]
« Anterior 1 Próxima »