Leia as Histórias

Categoria - Paisagens e lugares 01/02/1974 - Edifício Joelma Autor(a): Carlos Dias - Conheça esse autor
História publicada em 17/11/2006

No dia 01/02/1974, uma sexta feira, a manhã aparentava que iria ser bonita, e como fazia todos os dias, por volta das 07:20 horas, saí de casa e estava me dirigindo para o local do meu trabalho, um escritório que ficava na rua Genebra número 17, Bela Vista, aonde existe até hoje um prédio de apenas dois andares, que fica na esquina da rua Santo Amaro, eu era na época auxiliar de escritório. Depois de abrir as janelas e arrumar alguns papéis na minha mesa, resolvi descer até um barzinho que ficava debaixo da minha sala para tomar um cafezinho, como era meu costume. Conversando com algumas pessoas que estavam ali falávamos de coisas banais, quando entrou um rapaz ofegante e falou: Olhem pessoal, aquele prédio esta pegando fogo -, então olhamos e não vimos nada e ele dizia: - olhem bem, vejam o reflexo do prédio da avenida 9 de julho -. Sim, todos nós quatro ou cinco pessoas que estavam ali, vimos o início do que seria marcado como um dos piores dias de São Paulo, o incêndio do edifício Joelma. Retornei correndo para o escritório e quando cheguei vi pela janela que o lado que fica para a Praça das Bandeiras, já estava começando sair fumaça. As pessoas que passavam pelas ruas Genebra e Santo Amaro começaram a notar e parar para ver, e logo em seguida comecei a escutar as sirenes da polícia e dos bombeiros, logo em seguida chegou meu chefe na época o saudoso Mauro Costa que foi vereador e irmão do também falecido Pedro Geraldo Costa. Ficamos ali assistindo esta tragédia que acontecia, juntamente com outras pessoas que ali trabalhavam e que vinham até nosso escritório, para terem uma visão completa, já que a sala era o primeiro andar. Minha adrenalina corria a mil, minhas pernas bambeavam, minha boca ficava seca, eu estava vendo uma coisa que não era ficção e que nos meus 21 anos vi cenas feias como pessoas se jogando, era horror puro. Foi quando, algumas horas depois, apareceu um rapaz, com uma maquina fotográfica com aquela tele objetiva enorme, era um alemão e se identificou ao meu patrão, dizendo que era fotógrafo da revista Stern e se podia tirar algumas fotos, claro que houve o consentimento. Após algumas horas, chegando quase a hora do almoço, ninguém sentiu fome naquele dia, todos estávamos tensos, chocados e frustrados, por não podermos fazer nada para ajudar. Depois do incêndio, por volta das 16:00 horas, eu não olhava mais para o prédio, tudo estava acabado, apenas restava aquela imagem negra e fumaça saindo. Como ninguém conseguiu trabalhar naquele dia, fechei o escritório e fui para casa e me lembro que fiquei caminhando pelas ruas do centro e claro o que o assunto não poderia ser outro. Hoje, passados 34 anos deste fato, ainda observo as pessoas da minha idade, passarem perto do Joelma e olharem para cima e eu, não sei porque, também faço o mesmo. Leitor assíduo deste site, gostaria de estar descrevendo coisas bonitas e que fazem bem, mas na vida temos de conviver com o belo e o feio, e já que estamos sempre falando de Sampa, isto também faz parte de sua história.

Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 16/04/2009 ainda n era nascida neste ano,mas ouvia falar muito nesta tragédia da cidade de São Paulo.
Eu tinha uns 4 anos, e minha avó me levava com ela para visitar os tumúlos onde estavam as pobres almas. Me lembro como se fosse hoje!!
As pessoas tinham costume de oferecer copinhos com agua.
Enviado por simone turco - [email protected]
Publicado em 27/03/2009 no dia 01/02/1974 eu tinha 11 de idade e assisti o incendio do joelma pela tv, no começo pensei q era um filme, mais era ai q começava a minha estória.No mes de abril de 1980 eu passava pela rua marechal deodoro em sbc.passava em frente um cinema,eu olhei para o cartaz q anunciava o filme; Joema 23º Andar. Eu fiquei sério e pensei amanha vou assistir este filme. Depois de assistir o filme eu fiquei mais sério fiquei até assustado, eu assisti este filme 16 vezes no cinema. mas continua..... Enviado por osmar tamashiro - [email protected]
Publicado em 27/03/2009 Edifícil Joelma, História ou Estória? Enviado por Osmar tamashiro - [email protected]
Publicado em 25/03/2009 ÁTE HOJE O NUMERO REAL DE MORTOS NO ANDRAUS ESTA OMITIDO. SO 16 PESSOAS ? INFELIS MENTIRA DA IMPRENSA DA EPOCA ,INFELISMENTE O SALDO FOI MUITO MAIOR.COMO EXISTE SO UM FILME DESSA TRAGEDIA ,POIS A TV NAO TEVE ASCESSO AO CONTRARIO DO JOELMA QUE FOI TOTALMENTE FILMADO E EXISTEM INUMERAS IMAGENS ATE HOJE,A VERDADE FOI OMITIDA.TENHO COMIGO QUE NO ANDRAUS INFELISMENTE TENHAM MORRIDO MUITO MAIS PESSOAS DO QUE NO PROPIO JOELMA .OSB; PRESENCIEI OS DOIS INFELISMENTE. Enviado por TOMÁS - [email protected]
Publicado em 21/03/2009 Na madrugada do dia 26/11/06 estava sem sono e então visitando este site,como sempre faço, resolvi escrever alguma coisa de São Paulo, foi quando me veio na lembrança o episodio do incendio do edificio Joelma,que assisti desde seu inicio e fiz então um curto relato com alguns erros de portugues, sendo que peço desculpas aos leitores por isto. Passado alguns anos, fico de uma certa forma admirado, pelos comentarios que até hoje seguem desta leitura.
Infelizmente, isto vem provar que esta tragédia ocorrida decadas atrás, ficou e ficará na lembrança das pessoas que viram e tambem das gerações seguintes. Espero que até o momento que irei fechar as cortinas de minha vida, não veja mais cenas como estas que ficaram gravadas na minha retina e de tantos outros.
Enviado por Carlos Dias - [email protected]
Publicado em 17/03/2009 Eu fiz parte desta historia estava la trabalhando hà quinze dias foi muitomuitto hoorrivel.acho que com a ideia que tive na hora salvei umas 50 a 60 pessoas que seguiram o caminho da minha voz até ao terraço.Gostaria de saber onde compro um filme com um reportagem verdadeira .Gostaria tambem de saber por onde andam os meus colegas que lá estavam Mauro Cordeiro , Estrela .Everaldo Amaral etc.Salve o Corpo De Bombeiros e a minha persistencia de que iria sar dali VIVO examente `as 12.30h voando Enviado por Duarte Simões Ramos - [email protected]
Publicado em 13/03/2009 NÃO ERA NASCIDO NA ÉPOCA, MAS JÁ VI MUITOS DOCUMENTÁRIOS A RESPEITO. QUANDO A TV BRASILEIRA COMPLETOU 50 ANOS, EM 2000, O ASSUNTO FOI RELEMBRADO À EXAUSTÃO. DE LÁ PRA CÁ DESENVOLVI UM TEMOR HORRENDO DO INCÊNDIO. UM DIA CISMEI EM VER OS VÍDEOS NO YOUTUBE E FIQUEI MAL DURANTE DUAS SEMANAS. A CENA ERA DE UM HOMEM QUE PULOU DO PRÉDIO SE ACABANDO NA CALÇADA. E PIOR: A CENA NÃO TEM CORTES. DURANTE 15 DIAS EU TINHA A IMPRESSÃO DE QUE ALGUÉM ESTAVA ME SEGUINDO, SEI LÁ. NUNCA MAIS QUERO VER ESSA IMAGEM. Enviado por MARCIO - [email protected]
Publicado em 07/03/2009 Fiquei chocada com essa história;
só pela graça de Deus mesmo;
Boa Tarde
Enviado por Suélen Gonçalves ALbuquerque - [email protected]
Publicado em 07/03/2009 TINHA EU 12 ANOS, E VI TODA TRAGEDIA,POIS ERA NA EPOCA VENDEDOR DE DOCES NA PORTA DO ANTIGO CINE CAIRO NA RUA FORMOSA,QUANDO VI PESSOAS CORRENDO SENTIDO PÇA DAS BANDEIRAS FUI VER O QUE ESTAVA ACONTECENDO E DEPAREI COM AQUELAS CENAS QUE ATE HOJE TENHO NITIDAS LEMBRAÇAS. Enviado por Roney Adao Pinto - [email protected]
Publicado em 01/03/2009 Amigo hoje nos meus altos 60 anos me lembro quando morava na rua Augusta e do quintal da minha casa vi uma mancha escura nos ceus de Sao paulo, tao longo fui a pé ate a 9 de julho e me contaram o que aconteceu. Fui ao local e fiquei horrizado vendo pessoas se jogarem. Meu pai encheu o porta mala do Galaxie de sacos de leite comprados na padaria e levamos para os bombeiros darem para as vitimas. Quanta tristeza Vamos rezar para essas pessoas Deus os abençoes pobre almas sofridas. Enviado por Saverio Carvalho - [email protected]