Leia as Histórias

Categoria - Paisagens e lugares 01/02/1974 - Edifício Joelma Autor(a): Carlos Dias - Conheça esse autor
História publicada em 17/11/2006

No dia 01/02/1974, uma sexta feira, a manhã aparentava que iria ser bonita, e como fazia todos os dias, por volta das 07:20 horas, saí de casa e estava me dirigindo para o local do meu trabalho, um escritório que ficava na rua Genebra número 17, Bela Vista, aonde existe até hoje um prédio de apenas dois andares, que fica na esquina da rua Santo Amaro, eu era na época auxiliar de escritório. Depois de abrir as janelas e arrumar alguns papéis na minha mesa, resolvi descer até um barzinho que ficava debaixo da minha sala para tomar um cafezinho, como era meu costume. Conversando com algumas pessoas que estavam ali falávamos de coisas banais, quando entrou um rapaz ofegante e falou: Olhem pessoal, aquele prédio esta pegando fogo -, então olhamos e não vimos nada e ele dizia: - olhem bem, vejam o reflexo do prédio da avenida 9 de julho -. Sim, todos nós quatro ou cinco pessoas que estavam ali, vimos o início do que seria marcado como um dos piores dias de São Paulo, o incêndio do edifício Joelma. Retornei correndo para o escritório e quando cheguei vi pela janela que o lado que fica para a Praça das Bandeiras, já estava começando sair fumaça. As pessoas que passavam pelas ruas Genebra e Santo Amaro começaram a notar e parar para ver, e logo em seguida comecei a escutar as sirenes da polícia e dos bombeiros, logo em seguida chegou meu chefe na época o saudoso Mauro Costa que foi vereador e irmão do também falecido Pedro Geraldo Costa. Ficamos ali assistindo esta tragédia que acontecia, juntamente com outras pessoas que ali trabalhavam e que vinham até nosso escritório, para terem uma visão completa, já que a sala era o primeiro andar. Minha adrenalina corria a mil, minhas pernas bambeavam, minha boca ficava seca, eu estava vendo uma coisa que não era ficção e que nos meus 21 anos vi cenas feias como pessoas se jogando, era horror puro. Foi quando, algumas horas depois, apareceu um rapaz, com uma maquina fotográfica com aquela tele objetiva enorme, era um alemão e se identificou ao meu patrão, dizendo que era fotógrafo da revista Stern e se podia tirar algumas fotos, claro que houve o consentimento. Após algumas horas, chegando quase a hora do almoço, ninguém sentiu fome naquele dia, todos estávamos tensos, chocados e frustrados, por não podermos fazer nada para ajudar. Depois do incêndio, por volta das 16:00 horas, eu não olhava mais para o prédio, tudo estava acabado, apenas restava aquela imagem negra e fumaça saindo. Como ninguém conseguiu trabalhar naquele dia, fechei o escritório e fui para casa e me lembro que fiquei caminhando pelas ruas do centro e claro o que o assunto não poderia ser outro. Hoje, passados 34 anos deste fato, ainda observo as pessoas da minha idade, passarem perto do Joelma e olharem para cima e eu, não sei porque, também faço o mesmo. Leitor assíduo deste site, gostaria de estar descrevendo coisas bonitas e que fazem bem, mas na vida temos de conviver com o belo e o feio, e já que estamos sempre falando de Sampa, isto também faz parte de sua história.

Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 22/08/2009 Pois é, nesse dia Deus salvou um sobrinho meu que tinha um sonho na vida. Ser bombeiro. Só depois de ser salvo desse incendio ele conseguiu realizar esse sonho, foi uma coisa de Deus mesmo.Ele estava no predio na hora do incendio, mas comseguiu sair antes que tudo terminasse. Enviado por rosa Gouvea - [email protected]
Publicado em 14/08/2009 nao era nacido ms minha familha mim contou fiquei muito abalado ms avida e asim gostaria de saber se tinha um irmao evangelico que saiu intacto pelo meio do fogo por favor mim mandem uma resposta sobre esta duvida.que deus fique com todos vcs. Enviado por Raimundo da Silva Magalhaes Filho - [email protected]
Publicado em 16/07/2009 Eu tinha apenas 27 dias de nascido,pois nasci em 05/01/1974.Hoje sei muito sobre a historia do edificil Joelma a tragedia que foi o incendio. Enviado por jose augusto n machado - [email protected]
Publicado em 16/07/2009 eu tinha 4 anos e 11 dias qdo isto aconteceu, e com o tempo passei a ouvir dos meus pais sobre esta tragédia. muito triste. Enviado por gerusa camargo guimarães - [email protected]
Publicado em 19/06/2009 Eu nem era nascida nessa época, mais já ouvi muito sobre esse assunto, que ficará para sempre na memória dos paulistanos e dos parentes das vitímas não importa quanto tempo passe. Enviado por Suelen - [email protected]
Publicado em 11/05/2009 Este acontecimento concerteza abalou a história de São Paulo.Tenho 19 anos e desde de criança ouço falar do edificio Joelma.Faço alguns serviços no centro da cidade e fico traumatizada qdo passo em frente ao prédio, pessoas dizem ouvir ou até mesmo ver gente circulando pelo edificio, já vi muitos videos, comentários sobre o assunto pelo qual eu me entereço muito, mas queria saber mais sobre essa tragédia q marcou a história não só de São Paulo, mas a história do Brasil. Enviado por Marilda Gomes Cavalcante - [email protected]
Publicado em 08/05/2009 Pois é meu amigo:Eu também vi essa tragédia,tanto o Joelma como também o andraus.Até hoje eu ñ me esqueço destas tragedias,eu tinha mais ou menos uns 22 ou 23anos;Eu morava no Bixiga na rua Conselheiro Carrão e trabalhava na KIBON,é meu amigo foi muito triste mesmo.(não consigo esquecer até hoje. Enviado por Odair - [email protected]
Publicado em 02/05/2009 Minha cunhada, Vera Lucia Prates de Abreu, morreu graças à incompetência da direção do prédio que permitiu (ou se omitiu criminosamente)a feitura de diversas gambiarras nas instalaçoes elétricas e que acabaram provocando curtos circuitos em todos os andares. Ela mesmo se queixava que as mesas metálicas de seu setor de trabalho "davam choque". Enviado por joaquim ignacio - [email protected]
Publicado em 24/04/2009 Olá, meu nome é Luciana,moro aqui no nordeste mais precisamente na cidade de João Pessoa, como de rotina, vou sempre á São Paulo com meu filho Lucas, desta vez fiquei hospedada no apartamento de uma amiga,que fica em frente ao edificio Joelma, confesso que fiquei muito intereçada na história, por isto resolvi pesquisar mais sobre o assunto. Enviado por Luciana Candido - [email protected]
Publicado em 23/04/2009 ola pessoal eu estou muito interessada por este assunto. mandem as historias e noticias desa epoca para mim por favor? obrigada Enviado por BRUNA BATISTA - [email protected]