Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias Bandeira Paulista F.C. da Vila Maria – Uma história de paixão Autor(a): Alberto Augusto Galdiano Carneiro - Conheça esse autor
História publicada em 05/10/2011
Quem nasceu na Vila Maria, ou morou nas proximidades da Rua Antônio Fonseca, nas décadas de 1950 á 1970, com certeza irá se lembrar do Bandeira Paulista F. C.

Era um clube de futebol varzeano que tinha seu campo às margens da Rodovia Presidente Dutra, bem em frente da Rua Antônio Fonseca, no sentido São Paulo – Rio de Janeiro.

Só por conta do time já seria grandioso: pelos verdadeiros esquadrões que formou, pelos craques que passaram por suas fileiras. Como era gostoso ver o Bandeira jogar, sempre aos domingos pela manhã. Eu e meus amigos não víamos a hora de chegar o domingo.

Nem bem o dia nascia, e por volta de 7h, já estávamos preparados, eu e meu irmão para acompanhar nosso pai (Anthero), que era um dos primeiros a chegar, visto que foi desde técnico (sua grande paixão) até diretor do time.

Os jogos começavam por volta das 8h30. Primeiro os veteranos, depois o segundo quadro e por fim o primeiro quadro ou o “Extra”, como muitos conhecem pela várzea afora. Nós ficávamos na expectativa, não vendo o momento de chegar o intervalo de cada jogo e entre as partidas, para irmos jogar no campo e chutar no gol. Era uma verdadeira festa. No final do primeiro quadro, invariavelmente com a vitória do nosso time, nós, já mais suados e sujos do que os próprios atletas que jogaram, ganhávamos o nosso merecido guaraná.

Mas, o Bandeira não era só isso.

Os bailes de carnaval. De quantas matinês nós participamos. Perdemos até a conta. Diziam que nas "soirées" é que o negócio fervia. Infelizmente quando tivemos idade para frequentá-los, os bailes já não eram realizados.

Quando chegava o inverno então, é que era mais legal! Festa Junina! Churrasco, mais guaraná, pipoca, pinhão, alheira, barraca do coelhinho. Quem nunca colocou um pedaço de verdura na casinha com seu número para o coelho vir correndo, entrar e então a gente ganhar a prenda? Quando terminava a festa, o Arthurinho, grande figura, ficava alucinado. Em quase todas as casinhas tinha um pedaço de verdura.

Enfim, o Bandeira era uma grande família. Todos participavam de suas atividades, gostavam delas, levavam suas esposas e filhos porque sabiam o ambiente no qual estavam frequentando.

Eu era feliz e não sabia!


E-mail: [email protected] E-mail: [email protected]
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 18/02/2013 Edson vulgo jacare eu tenho ate agora uma tasinha que uso como paliteira eu ganhei quando garoto na corrida de saco em 1955 recebi das maos do Artur Lima numa festa na casa do sr Abilio e do sr Miguel a onde a turma do bandeira frequentava que ainda nao tinha a sedea a todos voces do bandeira um grande abraço a todos voces em geral Enviado por Edson Medeiros de Moura - [email protected]
Publicado em 12/12/2012 lembro do ll paulista que era na rua palmira e do bandeira paulista, tinha umte primo que era do bandeiara paulis roberto (apelido era acidente)vc nao tem foto dele se tiver mande p mim obrigado Enviado por cecilia - [email protected]
Publicado em 11/11/2012 MEU TIO JOGOU AI NESTE TIME O CANHOTO(UILSON FERREIRA DA SILVA) Enviado por HAMILTON - [email protected]
Publicado em 08/11/2012 Nasci na R. Alcantar e depois morei na Dias da Silva. Sempre gostei de futebol. Quando tinha uns nove ou dez anos fui assistir um jogo lá no campo do Bandeira. Fiquei atraz do gol e fiquei encantado com o goleiro Reis. Ele fez uma defesa que guardo na memória. A bola foi chutada do meio de campo. Vinha bem alta e o Reis estava bem adiantado do gol. Ia ser gol na certa. Mas o Reis percebeu que seria encoberto. Com o dorso da mão lançou a bola para cima do gol. Grande defesa. Enviado por Edson Geraldo da Silva - [email protected]
Publicado em 06/06/2012 lembro com saudades pois meu pai e tios eram frequantadores do club e nos moravamos na antonio fonseca,sou filha do Sergio e sobrinha do Agostinho Enviado por marlene francio - [email protected]
Publicado em 06/03/2012 Fico muito emocionada em ver matéria do meu herói."MEU PAI" o REIS ex goleiro.
Muito obrigado,
Abraços
Andrea
Enviado por ANDREA B.CASAGRANDI - [email protected]
Publicado em 19/11/2011 Valeu Beto por este trabalho maravilhoso, Parabens e um grande abraco
Marcos (filho do iska)
Enviado por marcos j fernandes - [email protected]
Publicado em 18/10/2011 Oi, Zé Carlos, eram primos de meu pai, segundos primos meus, excelentes pessoas, os três já falecidos, Elza, maravilhosa criatura, sempre vinha nos visitar, faleceu por último. Restaram Aldo e Olguinha, esta há décadas que não vejo. Excelentes pessoas, tio Eduardo fanático por Bandeira Paulista e Palmeiras, fanático mesmo. - abraços - Pedro Luiz Enviado por Pedro Luiz Boscato - [email protected]
Publicado em 14/10/2011 Parabéns mais uma vez Alberto pela história deste grande clube, onde tive o prazer de jogar e ter grandes amigos.Gostaria de mencionar o email de Pedro Luiz Boscato, sobre a excelente família do saudoso Sr. Eduardo(carinhosamente chamavamos de Delfino Facchina pres. do Palmeiras)conhecia todos principalmente Ademir, Hélio e Elza.
Abraços a todos

Zé Carlos
Enviado por jose carlos - [email protected]
Publicado em 13/10/2011 Aliás, completando, Alberto: difícil ver um site bonito como do Bandeira Paulista, não só de clubes varzeanos, de clubes grandes e famosos também, pode-se dizer. Site muito bem feito esse do Bandeira, beleza mesmo, parabéns para quem fez. - abraços - Pedro Luiz Enviado por Pedro Luiz Boscato - [email protected]
« Anterior 1 2 Próxima »