Leia as Histórias

Categoria - Personagens Morador ilustre do Bexiga Autor(a): Bixiguento - Conheça esse autor
História publicada em 28/07/2011
Gostaria de comentar de um ilustre morador do nosso querido bairro, Bexiga,. O seu nome era Luiz Carlos, mas quase ninguém sabia o seu nome e sim o seu apelido, “Dois e quinhentos”, que nos deixou há quase 30 dias.

Era negro, gente de finíssima, com muitas qualidades, educado e respeitador. Sabíamos do mesmo nunca teve vícios, nunca usou drogas. Gostava de tomar uma cervejinhas após os jogos de futebol e detestava cigarros.

Jogava muito bem, foi profissional, jogou por muitos anos no Luzitana conosco e demais times do bairro.

Era um cara extrovertido, sempre tirando sarro, principalmente quando o Corinthians ganhava do nosso Palestra: para ele era uma festa!

Infelizmente recebemos a notícia de sua morte quando fomos ao bairro para visitar. O mesmo encontrava-se muito doente, tinha problemas nas pernas... Para poder locomover-se tinha que segurar nas paredes...

Estaba sempre sentado no bar da Ruy Barbosa x Cons. Carrão, onde ficávamos conversando por muitas horas, relembrando as coisas boas do bairro.

Lamentamos que não fomos ao velório e nem ao seu enterro. E por isto estamos a fazer esta singela homenagem ao nosso querido amigo Dois e Quinhentos. Que Deus tenha o mesmo ao seu lado.

E-mail: [email protected] E-mail: [email protected]
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 02/07/2012 eu jogava bola no boca juniors, comia lucimar linda em minha casa na santo antonio, comi uma carioca e comia muito izolda no bairro encoxava alice, etc. Enviado por eduardo toledo(dinho) - [email protected]
Publicado em 05/10/2011 Pois é...vcs não foram ao velório do amigo,nem no enterro,mas vcs foram visitá-lo,pena que não chegaram a vê-lo com vida,mas praticaram uma boa ação,e essa homenagem é válida.Parabéns Caruso. Enviado por Luiz G. Sant'ana' - [email protected]
Publicado em 31/07/2011 Me lembro bem do Dois e Quinhentos, Quase gordinho que jogava muita bola no Luzitana no campo do Itaim Bibi. Gente boa. Ele trabalhava para o portuga dono do bar do campo que criava e vendia cachorrinhos. O Dois e Quinhentos vinha semanalmente fazer o anúncio da venda dos cães no jornal Shopping News na rua Alvaro de Carvalho onde eu trabalhava na década de 60 e batíamos bos papos. Isso é saudade. Enviado por Efigenio Pio - [email protected]
Publicado em 31/07/2011 Me lembro bem do Dois e Quinhentos, Quase gordinho que jogava muita bola no Luzitana no campo do Itaim Bibi. Gente boa. Ele trabalhava para o portuga dono do bar do campo que criava e vendia cachorrinhos. O Dois e Quinhentos vinha semanalmente fazer o anúncio da venda dos cães no jornal Shopping News na rua Alvaro de Carvalho onde eu trabalhava na década de 60 e batíamos bos papos. Isso é saudade. Enviado por Efigenio Pio - [email protected]
Publicado em 29/07/2011 Que homenagem singela e significativa!As figuras populares,carismáticas e de simplicidade e virtudes do coração,merecem ser lembradas e registradas para a posteridade,parabéns pelo seu texto belo,amigo e impregnado de gratidão. Enviado por Ana Maris de Figueiredo Ribeiro - [email protected]
Publicado em 29/07/2011 Emocinante homenagem a um ilustre membro da clã bixiguense. O "Doi e quinhentos" deve estar bem satisfeito com essa bonita lembrança, Caruso. Parabéns.
Modesto
Enviado por Modesto Laruccia - [email protected]
Publicado em 28/07/2011 Toninho. Apesar deste infortúnio acontecimento, surge aqui a oportunidade de ilustrar mais este ilustre personagem do Bixiga em suas crônicas. Eu, como bixiguense ausente, aplaudirei tão songela homenagem. Abraços Enviado por Nelson de Assis - [email protected]
Publicado em 28/07/2011 ao contrario dessa historia ou drama, eu vivi bem construia carrinhos de rolema mais valdri japones, jogava no boca juniors, namorava com nair uma loirinha filha do sargnto e esse sargento em ajudou a salvar valdir jaspones e sua ma~e que iam se suicidar eu corri para o viaduto voltei chamei o sargentop pai de minha namoradinha e ele agarrou no viaduto perto do ofino super mercado meu amigo e a mão,motivo ciume da mante do pai do valdir boneca de presidente prudente, isso que é historia, a minha é claro. Enviado por eduardo toledo - [email protected]
« Anterior 1 Próxima »