Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias Meu cachorro Sansão Autor(a): Dalva - Conheça esse autor
História publicada em 03/01/2010
Ganhamos um cachorro, pastor alemão. Ele estava sendo gerado e já estava prometido pra nós, minha família. Demos o nome de Sansão. Gostava muito de brincar com ele. Um dia correndo dele, ele agarrou no meu pé e tirou um bife.

Tinha uma vizinha chamada Odete, ela era muito ruim, mas não era só com cachorro era com a filhinha dela também a Paula. Esta vizinha sempre deixava o portão da minha casa aberta para que o Sansão saísse para rua. Até que um dia Sansão foi atropelado e ficou paralisado das pernas traseiras.

Na década de 70/80, as pessoas não tinham o cuidado de levar os animais ao veterinário. Então meu pai queria sacrificá-lo, porém Sansão não queria morrer, ele se esforçava muito para se recuperar. Tanto que se recuperou. Até que um dia recebi a notícia que mudaríamos para São Bernardo do Campo.

Lá moraríamos em apartamento. Logo vi que Sansão não nos acompanharia. E ainda quiseram me enganar dizendo que Sansão ficaria preso na Praça Giovani Breda perto da FEI (Faculdade de Engenharia Indústrial), como se eu fosse tonta. Mudei no sábado, na segunda feira meu pai levou o Sansão para passear e voltou sem ele.

Disse que deu Sansão para um cara que tinha um sítio. Chorei muito... por vários dias. O pior é que nossa vida não deu certo em São Bernardo do Campo e voltamos para São Paulo.


E-mail do autor: [email protected]
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 23/03/2010 Dalva, esses anjos(cães) que nos acompanham, mesmo que por um breve período de tempo, marcam nossas vidas. Vivi algo semelhante qdo tinha 7 anos e meu cachorro Sane, um pastor alemão, foi levando para um sítio pois mudamos para uma casa com quintal pequeno. Foi difícil chegar em casa após a escola e não vê-lo me esperando no portão, também chorei muito até me acostumar. Há alguns anos soube que ele morrera picado por uma cobra pouco tempo depois que o levaram. Lembro-me dele com muito carinho. Enviado por Consolata Panhozzi - [email protected]
Publicado em 02/03/2010 Dalva, nunca vi tanto desencontro na vida como vc. e o Sansão. Não deixe de ler e comentar o tabalho dos colegas. Como primeiro trabalho o seu, um trailer, anunciando para os próximos mais emoções. Parabéns.
Laruccia
Enviado por Modesto Laruccia - [email protected]
Publicado em 02/03/2010 Talves no passeio que seu pai fez com ele, possa ter encontrado a outra metade dele... A Dalila. Enviado por Mário Lopomo - [email protected]
Publicado em 01/03/2010 POBRE SANSAO, NÂO CONHEÇEU A DALILA;; Enviado por joao claudio capasso - jccapas[email protected]
Publicado em 01/03/2010 Dalva que coisa triste a história do Sansão, eu sou um amante dos cães. Eu tenho um golden retriever, o Sueco, moramos em São Bernardo num apartamento no 7o. andar.eu considero o Sueco mais que muita gente, aliás quanto mais conheço os homens mais amo os cães. Vou tentar lhe mandar um E-MAIL a respeito de um abandono feito a um cão. Não vá chorar, é uma história. Parabens pela História Enviado por carlos heiffig - [email protected]
« Anterior 1 Próxima »