Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias Comercial, Juventus, Nacional e Ypiranga Autor(a): Antonio Rossi dos Santos - Conheça esse autor
História publicada em 05/08/2009
Os garotos das décadas de quarenta e cinquenta, quase todos colecionadores de figurinhas das "Balas Futebol", certamente hão de lembrar desses quatro clubes paulistanos, os três últimos fundadores da Federação Paulista de Futebol.

O Comercial, alvi-rubro, tinha sua sede social no centro da cidade, na Pça. Clovis Bevilacqua, e nunca teve um campo próprio para disputa de seus jogos. Nasceu pequeno e morreu cedo, mas produziu jogadores que marcaram época, como o centroavante Gino, ídolo do São Paulo F.C., o goleiro Cavani que atuou no Palmeiras e o meiocampista Pian, que igualmente teve passagem pelo São Paulo.

O Juventus, alternando boas a más campanhas, vai sobrevivendo nas divisões inferiores do futebol brasileiro e paulista. Tem seu estádio próprio, o "Conde Rodolpho Crespi" na Rua Javari, e tem como fato marcante ser um dos maiores quadros associativos do Brasil, graças à visão de seus dirigentes. Sua cor grená, alusiva ao Torino da Itália, de cuja região vieram seus fundadores, é a contraposição às cores da Juventus, também de Turim, alvi-negra. Vestiram a camiseta grená, Luizinho, Carbone, Clovis e Ditão, todos, posteriormente, do Corinthians; Og Moreira que depois jogou no Palmeiras e, talvez o mais famoso, Julio Botelho, que marcou época na Portuguesa, e nas seleções paulista e brasileira, sendo um dos precursores do mercado italiano para os jogadores brasileiros.

O Nacional, meu querido Naça... que tristeza ver o alvi-celeste caindo de divisão em divisão a cada ano, está atualmente na terceira do campeonato Paulista. Tem seu estádio, o "Nicolau Alayon" na Rua Comendador Souza, defronte ao CT do São Paulo F.C.. Vestiram a linda camisa do Naça, Cafu e Figueiredo, que chegaram à seleção brasileira, o Lendário Paulo Carvoeiro, depois centroavante do Corinthians, Furlan, goleiro que jogou no Palmeiras e tantos outros que se perderam na névoa dos anos.

Finalmente o Ypiranga, com "ypsilone", o alvi-negro da colina histórica, ou o "vovô" como era conhecido por ser um dos mais antigos clubes de futebol do país (1906), abdicou da prática do futebol profissional há mais de três décadas e se dedica com sucesso às atividades sociais e recreativas, além, é claro, dos esportes amadores. Vestiram a camisa gloriosa do Ypiranga, Barbosa, o goleiro de 1950..., Reynaldo, excelente atacante do Flamengo e seleção, Liminha e Rodrigues, que foram ídolos no Palmeiras, Oswaldo, que foi campeão carioca com o Bangu, Homero, grande zagueiro do Corinthians, e mais uma dezena de craques.

Eu tinha que escrever para matar saudades... e, por que não dizer também, homenagear três bairros queridos da nossa São Paulo: Mooca, Lapa e Ipiranga.

e-mail do autor: [email protected] E-mail: [email protected]
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 06/03/2013 fui jogador do comercial da capital de são paulo das categorias de juvenil e extra amador em 1969/70 disputei a copa são paulo de junores de são paulo em 1970/71 gostaria de saber se alguém te tem alguma foto daquela época. grato Enviado por flavio moretti - [email protected]
Publicado em 23/12/2012 Os clubes fundadores da FPF foram: Corinthians, Palmeiras, São Paulo,Portuguesa, Nacional, Ypiranga, Comercial(Capital), Santos, Jabaquara, Portuguesa Santista e Juventus. Vale lembrar que Rubens Minelli jogou no Nacional e no Ypiranga. O grande jogador Renato que jogou no ataque da Portuguesa com Julinho, Nininho, Pinga e Simão, Começou no Estrela da Saúde, da 2ª Divisão, clube fundado por seu pai, e que ficava na av. Miguel Stefano trav. da av. Jabaquara na Saúde. Cores azul e branca. Enviado por Nelson José Xavier da Silva - [email protected]
Publicado em 16/12/2009 RETIFICANDO-um visitante do SPMC, Ademar, que reside na Belgica, alertou-me que o Reynaldo do Ypiranga era defensor, e o atacante que foi para o Flamengo chamava-se Rubens, e, também atuou na Portuguesa.Obrigado pela ajuda Ademar. Rossi. Enviado por antonio rossi dos santos - [email protected]
Publicado em 09/12/2009 Bravo, Bravissimo!
Marchi de Queiroz
Enviado por Marchi de Queiroz - [email protected]
Publicado em 27/08/2009 Falando de futebol, Leonildo Braga jogou no Coringão em 1938, faleceu em Porto Ferreira-SP. Enviado por JCOliveira - [email protected]
Publicado em 25/08/2009 Você esqueceu do Estrela da Saude, um timão da segunda divisão, que o campo ficava na Chacra Iris, na Saúde.
Foram bons tempos saudades.
Nesta pequena historia que você narrou voltei ao passado, muito agradecido.
Abra~ço.
Mori
Enviado por Henivaldo Mori - [email protected]
Publicado em 21/08/2009 O unico que não vi citado foi o Mario Travalini do Nacional.Bela historia, Rossi. Enviado por jose carlos passos - [email protected]
Publicado em 17/08/2009 Mário Simão, eu lembro de um Reinaldo que jogou mais tarde na Portuguesa, seria o mesmo? Belmiro, também, anos depois, jogou no Palmeiras. Valentino, arqueiro que defendeu o Ypirnga com destaque, jogou também no Corinthians, foi reserva do grande Gylmar. Ypiranga teve um goleiro, Samarone, que também se destacou bem, não lembro, porém, dele ter jogado em time grande, jogou? Lembro do Geraldo José de Almeida irradiando, ele dizia: "Espaaalma Samarone!". - abraços - Pedro Luiz -. Enviado por Pedro Luiz Boscato - [email protected]
Publicado em 16/08/2009 FALTOU CITAR MUITOS NOMES PRINCIPALMENTE DO YPIRANGA - OSWALDO-GIANCÓLI E HOMERO BELMIRO REINALDO E DEMA - LIMINHA RUBENS SILAS BIBE E WALTER, ESTE TIME VENCEU O SÃO PAULO POR DOIS A UM AJUDANDO O PALMEIRAS A SER CAMPEÃSO EM 1950 -
NO ANO SEGUINTE O YPIRANGA VENDEU TODO O TIME -
OSWALDO-BANGU - HOMERO-CORINTIANS-DEMA E LIMINHA -PALMEIRAS - SILAS E BIBE -SÃO PAULO, RUBENS JOSUÉ - REINALDO - FLAMENGO .ETC.
Enviado por mario simão - [email protected]
Publicado em 11/08/2009 Rossi: Seu texto é oportuno e cheio de emoção. Quem não se emociona quando ouve falar dos lendários times citados por você ?. O Comercial da Capital, no fim dos anos 50, tinha um time duríssimo de ser batido. Lembro-me do Osvaldo ponte aérea que lá jogou. Seu texto, caro Rossi, repito, é curioso, e não menos maravilhoso. Valeu ! Enviado por chico lemmi - [email protected]