Leia as Histórias

Categoria - Personagens São Paulo - Minha renovação Autor(a): Dinho - Conheça esse autor
História publicada em 17/07/2009
Há exatamente três anos atrás vivia procurando uma solução para todos os problemas de minha vida, apelei para diversas formas de acomodar meus sentimentos e nesse trajeto dificilmente tive êxito.
Como muitos, passei tempo de minha vida lutando, aceitando o que me era conveniente e rejeitando o que não faria a melhor diferença, ou o que pudesse me afetar de uma forma negativa.

Ainda assim consegui manter esse padrão de vida, totalmente descontrolado e sem destino, por bastante tempo. Nesse tempo encontrei pessoas de todas as personalidades possíveis, algumas tão boas, a ponto de me ajudarem sem sequer esperar algo em troca, outras tão más a ponto de me prejudicar sem sequer tentar me conhecer.

De toda forma o mundo é um lugar cruel pra quem fecha os olhos, quando sai em disparada pelos vastos campos verdes de nossa vida, as pedras no caminho vão se acumulando e transformando essa paisagem em um lugar muito mais sujo e cinza.

No entanto, as pessoas, o sentimento que eu tinha por elas, me ajudaram a degradar o meu estado cada vez mais. Amizades erradas nos levam às atitudes erradas, o que não subtrai nem justifica nossa responsabilidade, mas, queira ou não, uma influência vale muito, seja ela positiva ou negativa.

Isso acarretou uma série de desastres em minha vida, Revoltas, Injurias e Mentiras, o fundo do poço se aproximava cada vez mais. Porém, em algum lugar da minha consciência, ainda vivia o espírito sonhador que sempre tive, talvez este só precisasse de um empurrãozinho pra se libertar da loucura, habitada em minha alma.

Foi então quer percebi nas palavras de uma cliente minha, que eu prestava serviços de informática, o quanto eu estava perdendo nesta jornada, o quanto me destruía, e estava deixando marcas irremediáveis para o futuro, foi a luz no fim do túnel.

Depois veio a força incrível de Bete, e a cobrança para eu abrir meus olhos que veio do meu amigo Adison.

Eu via que muita gente tentava me atrapalhar em meu retorno, assim como muita gente me ajudou também e, mesmo com alguns degraus mais altos que os outros, consegui chegar ao pico.

Me livrei das lembranças ruins, da raiva, da revolta, do ódio, e das bebidas e das baladas destrutíveis que me detonavam.

O Dinho angustiado tinha acabado de se enterrar, estava prestes a nascer um novo Dinho.

Em 13 de março de 2007 coloquei todos os meus pertences à venda, queria me livrar de tudo, todas as energias que estavam em cada objeto que eu tinha.

Consegui me desprender de tudo, graças a Graça (uma amiga).
Estabeleci meu novo futuro: SÃO PAULO. Por que São Paulo? Deixe-me explicar por quê:

Na vida devemos andar para frente e nunca para trás. Saí de Maceió, fui para Recife, e por que eu deveria voltar para Maceió de novo? Tudo bem, minha família mora lá, amigos que eu amo moram lá, amo Maceió perdidamente, mas... E o trabalho? O que eu iria conseguir em Maceió?

Infelizmente é uma cidade que tem de crescer bastante em termos de emprego.

São Paulo é o centro de tudo no Brasil, algo me atraía aqui, não era o sonho do nordestino em ser rico em São Paulo, mas um sonho de viver em paz. Em paz? Logo em São Paulo? Estranho, não é? Então por isso escolhi São Paulo, porque aqui eu me senti em paz.

Comprei minhas passagens no dia 30 de março de 2007. E dia 30 de abril meu voo já estava saindo rumo a São Paulo.

Foi difícil deixar meu passado em Recife, foi difícil fechar a porta de onde morava e dar as costas, foi triste deixar meu animal de estimação com minha família em Maceió.

Fui para Maceió passar os últimos dias com eles antes de seguir para São Paulo.

O voo saiu às 04h20min da madrugada do dia 30/04/2007. Quando o avião decolou, falei para mim: “Acabou Dinho, agora é você por você e mais nada”.

Cheguei a São Paulo - SP às 07h20min.

Lembro-me, ainda, daquela manhã fria que cheguei a Guarulhos de dois anos atrás. Eu sozinho, com duas malas que "rasgavam" a cidade com destino ao bairro do Brás; final de uma viagem que começara às 04 da manhã da minha terra, Maceió - AL.

Vim com a cara e a coragem, mais alguns cacarecos que couberam na tal mala!

Fugi da fome e da miséria e de um futuro opaco que já começava a rondar aquela pensão que morei durante três meses na Rua do Gasômetro. Os dias se passavam, o frio rasgava meus tornozelos, parecia faca, e eu ia atravessando a metrópole, com 214 currículos debaixo do braço, ia ficando admirado com a quantidade de ruas, casas, carros e pessoas, tudo era novidade para mim.

Tristeza? Depressão? Eu não tinha nem tempo para isso. Pois, pela primeira vez na vida, eu só vivia para mim, só pensava em mim, e só buscava o melhor para mim, é como se eu tivesse apagado todo o passado e tivesse acabado de nascer naquela manhã de 30 de abril de 2007.

De repente, passei próximo a um edifício imenso em cuja base superior havia um lustre erguido com mais de dez metros, olhei... Olhei... Fui à recepção e resolvi subir naquela torre de 165 metros, chegando lá no topo vi essa cidade em 360º. Pronto, foi paixão à primeira vista, eu estava apaixonado por São Paulo. Para mim, até hoje, o Edifício do Banespa representa o marco de meu encontro com a cidade.

Nesses tempos eu comecei, recomecei, voltei a ser o Dinho, amigo, sensato, divertido e piedoso, principalmente comigo mesmo. Consegui vários empregos, conheci pessoas fantásticas, e sempre carrego na minha memória os belos momentos do meu passado, pois os ruins eu nem me lembro mais. Hoje sigo um caminho lindo, em que o sol brilha em meu horizonte, acompanhado pelas conquistas que consegui e que ainda terei de ter, aprendi a ter mais fé, aprendi a confiar em Deus e principalmente que, quando tudo está perdido, sempre existe uma luz, sempre existe o amor, e assim prego que toda tristeza é passageira, como tudo que é feio e barato, pois o que fica no futuro é o difícil, o bonito e caro.

É preciso reviver o sonho e a certeza de que tudo vai mudar. É necessário abrir os olhos e perceber que as coisas boas estão dentro de nós, onde os sentimentos não precisam de motivos nem os desejos de razão. O importante é aproveitar o momento e aprender sua duração, pois a vida está nos olhos de quem sabe ver.
Ando excitado, ansioso, contente, de cabeça erguida a levar com a vida de frente.

Há males que vêm por bem e acho que nunca estive tão bem...

Ver São Paulo e suas luzes à noite é gratificante! Saber que conhecemos seus mistérios, seus encantos...

Assim como a cidade me recebeu bem, é assim que me sinto em relação a ti, APAIXONADO, minha São Paulo querida! Parabéns!!!

e-mail do autor: [email protected] E-mail: [email protected]
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 08/03/2012 Estou Extasiado com sua força de vontade, as pessoas deviam ser assim dessa forma. saber realmente o que é VIVER. Enviado por Davi rigleto - [email protected],
Publicado em 20/10/2010 Denis, fiquei sem palavras para expressar a grandeza da tua pessoa, o quanto és um merecedor de crescer ainda mais,tenho certeza que serás um eterno vitorioso, pois tens ao teu lado o maior dos maiores que é o nosso criador *DEUS*...
Parabéns e obrigada por me deixar fazer parte da tua vida..
Enviado por sandra - [email protected]
Publicado em 02/05/2010 Sou testemunha de toda história vivida pelo meu queridíssimo amigo.E olha que ele apenas contou um resumo! Mas nada disso seria possível acontecer se não houvesse um boa essência, uma boa semente de AMOR!
Dinho querido, que sua tragetória seja permanente...que sua evolução seja em todo amanhecer motivo para suas reflexões e aprendizados extraordinários, porque eu APRENDI MUITO COM VOCÊ! Naquele ano de 2007 nossas vidas mudou para sempre! Hj sou casada com um paulistano e moramos há 3 anos na BA
Enviado por elisabete gouveia morinaga - [email protected]
Publicado em 01/05/2010 Dinho, vc sabe que poderá sempre contar comigo!!!E o que dizer de Sampa?Pra mim, o futuro é aí!!!Então lute e chegue onde vc quizer!!! Enviado por Ádison Sebá - [email protected]
Publicado em 01/05/2010 Li hoje esse texto que publiquei nesse site

Gente OBRIGADO POR TUDO MESMO.
Enviado por DINHO - [email protected]
Publicado em 21/07/2009 Dinho...Pura emoção! Estou, aqui chorando, sem vergonha de dizer, após ler seu texto e os depoimentos deses nossos amigos que ainda não conhecemos a cara, mas com certeza conhecemos o interior atravez de palavras postadas todos os dias com o coração.
Tem pessoas que não entendem São Paulo...Eu digo que Sampa não é pra ser entendido é pra ser vivido e vc conseguiu isso com muita garra e força. Seu texto é de uma generosidade imensa, o despojamento com que vc se revela é emocionante. Continuando..
Enviado por mary clair - [email protected]
Publicado em 21/07/2009 continuação São Paulo, minha renovação.
Quando vc chegou nessa São Paulo amada foi morar exatamente onde ela começou, no bairro que acolheu os sofridos imigrantes que fugiram de uma guerra, fugiram da fome...Nada é por acaso.
Dinho, só tenho a dizer que vc é um iluminado e que nada supera o que vc tem de melhor, a humildade de se mostrar por inteiro.
Um grande abraço, amigo e sinta-se em casa, vc esc
Dinho vc é a coragem a força e a fé. Deus está ai dentro de vc, superando todas as atrocidades
Enviado por mary clair - [email protected]
Publicado em 21/07/2009 continuando.
Esteja em casa, com certeza vc tem muitas histórias para contar, vc escreve muito bem.
Seja feliz!
Um grande abraço, amigo.
Enviado por mary clair - [email protected]
Publicado em 20/07/2009 São São Paulo, meu amor...São São Paulo, quanta dor... Enviado por Luiz Simões - [email protected]
Publicado em 19/07/2009 Nossa, que maravilha! Sinta-se em casa aqui nesta cidade que é de todos, que a todos acolhe e que tem o dom de nos deixar viver do jeito que quisermos. Aqui podemos passar os dias incógnitos, sem cruzar com nenhum conhecido, vagar sem destino, usufruir desse anonimato tão importante para o ser humano. E, basta um toque no celular para nos reunirmos em tribos, pois há para todos os gostos e bolsos, para todas as raças e nacionalidades. Aqui em S.Paulo a palavra preconceito não existe... Enviado por Trini Pantiga - [email protected]
« Anterior 1 2 Próxima »