Leia as Histórias

Categoria - Nossos bairros, nossas vidas Sapopemba - Vida na avenida Autor(a): Douglas Dias - Conheça esse autor
História publicada em 17/05/2006
Imagens em transição na periferia. Poucas pessoas conhecem as coisas boas presentes nesse bairro. A maioria das vezes que ele ocupa o noticiário da TV ou outros espaços da mídia, os temas não variam muito: violência, pobreza e falta de infra-estrutura.
Quem é morador do local há mais de 20 anos, percebe o quanto a qualidade de vida no local evoluiu. Basta chegar na altura do número 8500 da Avenida Sapopemba - a terceira maior do mundo em extensão - para descobrir que isso é realidade. Para os vizinhos da Zona Leste de São Paulo, ela é conhecida como uma região excelente para compras e visitação religiosa.
O local, povoado em sua maioria por imigrantes italianos e portugueses, tem na igreja matriz uma homenagem à Nossa Senhora do Rosário, muito aclamada em Portugal. Possui uma imagem da Santa do Rosário, padroeira de nossos descobridores, vinda para cá em 1921. Sua arquitetura possui vitrais belíssimos e a nave azul da igreja pode ser vista à longa distância na Zona Leste. Seu ossário, ambiente de paz e calma durante todo o dia, possui uma capela pequena e aconchegante. É um refúgio ao corre-corre da avenida central.
A tradicional festa de Nossa Senhora do Rosário, completa seus 77 anos em 2006 e acontece durante todos os finais de semana de maio. A comunidade local prestigia o evento, que já foi maior, mas que ainda hoje é motivo de mobilização de todo o bairro. Não há quem não traga na memória boas recordações da festividade nos anos 70, 80 e 90, quando as caravanas marcavam presença na comemoração.
O mercado municipal Antonio Gomes fica próximo à paróquia. É uma construção recente, de 1992, mas seu estacionamento abriga um patrimônio natural: uma árvore da espécie Sapopema, uma das origens do nome do bairro. Oferece o típico pastel de feira e outros produtos alimentícios.
O principal atrativo cultural é a escola de samba Combinados de Sapopemba. Fundada em 12 de Dezembro de 1984, desfila pelo grupo de acesso do carnaval paulistano. Homenageando Inesita Barroso, integrante da ala de compositores desde então, a Combinados foi campeã pela primeira vez em 1992. De lá pra cá, muitos artistas passaram por seus desfiles como Jair Rodrigues, Maurício de Souza, Tonico e Tinoco e muitos outros. Os ensaios podem ser conferidos a partir de novembro, na sua própria quadra.
O acesso ao bairro é facílimo: o começo da grande e famosa avenida se dá na Salim Farah Maluf, um braço de acesso à Marginal do rio Tietê. Vale a pena esticar e conhecer a cara da periferia, com muita história pra contar. Uma avenida vasta e viva.
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 15/10/2013

Nasci e moro em sapopemba já há 44 anos, a festa da padroeira realmente é de nsa. sra. de fátima.

O comércio antigo ainda existe, nikei, loja de brinquedos fátima, visa calçados, entre outros.

As escolas também victor miguel romano, fátima, flores da cunha, mas a que mais deixa saudades eram as escolas de madeira, clóvis bevilacqua e grimaldi.

Os bailes eram o anjo da guarda, corintinhas, studio 33, xodo, principe negro, etc.

vai um pouco da historia:

Foi oficialmente fundada em 26 de junho de 1910, sendo elevada à condição de distrito no ano de 1985, quando foi desmembrada de Vila Prudente. A história de Sapopemba está viva na memória de seus moradores mais antigos. O primeiro nome dado à região pelos imigrantes italianos foi Monte Rosso, devido à terra vermelha (rosso é um termo italiano que significa "vermelho"), própria para a agricultura e fabricação de telhas e tijolos. Depois veio o nome "Sapopemba", originário da árvore sapopema, espécie comum na Amazônia que desenvolve raízes de até dois metros de altura ao redor de seu tronco.

Todavia, foram os portugueses os responsáveis pelo povoamento do bairro, que transformaram as grandes extensões de terras férteis em chácaras de plantação de verduras. Américo Colaço Secco, morador da região desde 1923, conta que os filhos sempre ajudaram no trabalho da roça: "Tudo o que plantávamos era vendido no mercado da Rua da Cantareira, próximo do Parque Dom Pedro", lembrando o tempo em que o local era todo de madeira.

José Annes é outro morador com história para contar. Ele diz que em 1924, durante os 28 dias da Revolução, foi expulso de casa com sua família pela artilharia carioca e mineira, e teve que fugir em carros de boi. Segundo Annes, a agricultura foi introduzida na região pelos imigrantes portugueses. "As pessoas que moravam aqui viviam de cortar as árvores que já existiam e vender os feixes de lenha para as padarias do Belém", afirma.

O evento mais importante da história de Sapopemba foi a chegada da imagem de Nossa Senhora de Fátima, vinda de Portugal em 1931. Encomendada por João Alves Pereira, a imagem só foi liberada pela alfândega depois que uma comissão de moradores pagou três contos de réis, valor de que Pereira não dispunha. "Cada um deu o que podia, mas todos contribuíram", conta Secco, filho de um dos integrantes da turma que pagou a taxa alfandegária.

Aí então uma procissão grandiosa levou a estátua da santa até Sapopemba. "O grupo que carregava a imagem partiu da Rua Padre Lino, na Quarta Parada e outro saiu da Igreja de São Roque, onde hoje é a Paróquia de Nossa Senhora de Fátima e São Roque", afirma Annes, lembrando os momentos que viveu aos seus dezesseis anos. O encontro dos dois grupos aconteceu na Capela de Santa Cruz, na Estrada da Barreira Grande.

Mais tarde, ao lado da antiga Igreja de São Roque, foi erguido um santuário para a imagem da santa.

É o distrito das escolas de samba GRCES Combinados de Sapopemba e GRCES Tradição da Zona Leste. Apesar do desenvolvimento da área, Sapopemba, o distrito mais próximo da periferia leste da cidade, mesmo estando a uma grande distância dos bairros periféricos, é um distrito horizontal de classes média e media baixa. Devido à urbanização de seus bairros vizinhos estarem atingindo seu ponto máximo, a região está sendo alvo de uma forte especulação imobiliária, tornando-se um dos métros quadrados mais caros da região.

Ultimamente não tem sido uma região tão agradável, está muito violenta, a molecada não sabe preservar a região onde mora, mas infelizmente são paulo tá assim, é uma pena.

Abs. e apreciem a história.

Enviado por cal - [email protected]
Publicado em 12/06/2012 maravilhoso bairro onde estudei o primário e o ginásio,as minhas primeiras paqueras e o meu primeiro Amor,fui batizada, crismada, e me casei na igreja do Rosário de Fátima, com os Frei portugueses que lá chegaram para acolher mais a comunidade portuguesa do bairro,estou feliz por encontrar este site que relembro minha infância e
amigos, famíliares com saudades.abraços a todos.
Enviado por Virginia - [email protected]
Publicado em 14/05/2012 eu nao conheco sapopemba mas me faLAM QUE E BOM ESTE BAIRRO... Enviado por gislenemoreira - [email protected]
Publicado em 21/03/2012 morei em sapopenba durante vinte e cinco anos gosto muinto do bairro mudei para o imterior mas tenho muintos amigos em sapopenba Enviado por quirino - [email protected]
Publicado em 19/03/2012 sobre a igreja que me consta é de nossa senhora de fátima , os restos mortia de meu pai esta no ossário da igreja ( olivio zara) , lembro-me quando a igreja era na av. onde é a loja nossa senhora de fatima, foi la que fiz o catecismo , logo após foi construido um galpão provisório até a construção da igreja atual, neste galpão houve um roubo na época e levaram a coroa de nossa senhora que foi encontrada logo depois.
meu pai trabalhava com construção e ajudei muito ele na construção da igreja.
Enviado por josé carlos zara - [email protected]
Publicado em 19/02/2012 quando eu era criança em 1965, já ia com meus pais a festa de nossa senhora do rosário para nós era uma grande alegria poder participar de uma comemoração tão significativa para a família , por isso digo que antes de 1970 ela já fazia aquelas festas com fogos etc muitas barracas tipicas de festas debaixo de uma paineira que ainda existe ao lado do mercadão antonio gomes Enviado por regina - [email protected]
Publicado em 04/01/2012 A igreja que existe a muitos anos no Sapopemba é Nossa Senhora de Fátima. Enviado por Elenilde Bordoni da Silva - [email protected]
Publicado em 06/12/2011 LI, FECHEI MEUS OLHOS, E COMO NUM PASSE DE MÁGICA, EU ESTAVA LA NOVAMENTE, TENHO SAUDADES DA ÉPOCA EM QUE VIVI LÁ. ESTOU FORA DE SÃO PAULO DESDE 2005, HOJE VIVO AQUI NO RIO GRANDE DO NORTE, UMA HISTÓRIA LONGA, TALVEZ UM DIA EU CONTE... MAS FOI MUITO BOM RELEMBRAR TODOS ESSE LUGARES. UM GRANDE ABRAÇO E PARABÉNS! Enviado por ELENICE SOUZA DE LIMA - [email protected]
Publicado em 29/11/2011 morei em sapopemba de 1992 a1996 gostaria de encontrar pessoas que freguentava o baile corinthians o nicola valdir mancha henrique claudio Enviado por india - [email protected]
Publicado em 29/11/2011 morei em sapopemba de 1992 a1996 gostaria de encontrar pessoas que freguentava o baile corinthians o nicola valdir mancha henrique claudio Enviado por india - [email protected]