Leia as Histórias

Categoria - Nossos bairros, nossas vidas Bom Retiro Autor(a): Douglas Dias - Conheça esse autor
História publicada em 21/03/2006
Bem, gostaria mais de deixar um relato do que contar uma história em especial.
Quero falar do Bom Retiro. Uma região que oferece muito mais do que as lojas essenciais para o consumo de roupas e artigos relacionados à costura. Há ótimos restaurantes, sinagogas, casas de cultura, faculdade, prédios belíssimos, um parque maravilhoso, o museu de Arte Sacra, a Pinacoteca... Enfim. São múltiplas opções que terminam com a chegada na região da Luz, onde um espetáculo memorável aguarda o visitante - a arquitetura incrível da estação de trem.
Passeando pelas ruas do Bom Retiro com um olhar aguçado percebemos os traços das diferente culturas que formam o bairro e conseqüentemente a história da cidade. É uma família judia passando em frente a um grupo de coreanos. Um grego que aparece na porta de seu restaurante ao lado de um árabe que está de olho em um carro chegando. Nele há um muçulmano que estaciona com sua família para fazer compras ou comer um doce exótico na doceria que pode ser húngara, inglesa ou brasileira mesmo. Não importa. A vida multi-étnica toma conta do ambiente e você se percebe parte de um mundo dentro deste aqui: o mundo do Bom Retiro.
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 14/05/2007 Caro Douglas, a história que escrevi esses dias chama-se Bicho Preguiça e fala do Parque da Luz e da rua onde meu trabalhou muitos anos:Ribeiro de Lima, na loja de Tecidos cujos donos eram judeus e chamava-se Tecelândia. Você conheceu?
Parabéns pelo texto.
abraços
Vera
Enviado por Vera Lúcia de Angelis - [email protected]
Publicado em 08/04/2007 Os passeios na Rua Jose Paulino, aonde minha mae trabalhava, O colegio de Santa Ines na Rua Tres Rios, ou ate mesmo onde morei na Rua da Graca e na Rua Guarani, me trazem tantas boas lembracas, as padarias, os doces, as esfihas, quantas saudades.... Enviado por Fabio - [email protected]
Publicado em 07/02/2007 gostaria muito de retornar ao bom retiro moro na bahia atualmente Enviado por rose - [email protected]
Publicado em 10/01/2007 Douglas, adorei seu comentario sobre o bom retiro, pois eu me criei na r da graca, e vive la ate meus 23 anos, realmente no b retiro ha uma mistura de raca , e isto e bom pois assim temos que aprender a respeitar aos outros, e tb aprendemos novas culturas. um abraco e feliz 2007 Enviado por sofia - [email protected]
Publicado em 10/01/2007 Douglas, adorei seu comentario sobre o bom retiro, pois eu me criei na r da graca, e vive la ate meus 23 anos, realmente no b retiro ha uma mistura de raca , e isto e bom pois assim temos que aprender a respeitar aos outros, e tb aprendemos novas culturas. um abraco e feliz 2007 Enviado por sofia - [email protected]
Publicado em 10/01/2007 Adorei os comentários e gostaria muito de morar novamente no bairro,moro atualmente na bahia e se deus quizer voltarei para o bom retiro so preciso comprar um apartamento e estou trabalhando para isso,pois a minha família moram todos aí. Enviado por Rôse - [email protected]
Publicado em 22/12/2006 Todos os comentarios feitos, retratam o Bom Retiro, em suas diversas facetas, mas em nenhum deles, são mencionados dois fatos muito importantes para complementar a historia do bairro. O primeiro é o de que na Rua do Porto, havia efetivamente um porto fluvial, onde pessoas e mercadorias eram transportadas por barco para a zona norte (antes da construção da ponte grande)e dai advem a piada entre os antigos mordores italianos que quem nascia no Bom Retiro tinha cabeça, tronco e menbros e mais um par de remos (barqueiro). O outro fato não mencionado prende-se a existencia de uma zona de meretricio no lado esquerdo da Rua José Paulino, ali implantada para tirar as "trabalhadoras do sexo" do centro (Rua Timbiras, Aurora,etc.) da cidade e proximo a recem inaugurada Av. Ipiranga. Esse enclave no Bom Retiro, começava no inicio da José Paulino, e ia até a Rua Silva Pinto, abrangendo as Ruas que terminavam nos muros da ferrovia, e mais as Ruas Carmo Cintra, Aimores, parte da final da Ribeiro de Lima e prof. C. Lombroso (náquela tempo Itaboca).
Essa Zona foi retirada por pressão justa da comunidade judaica, pelo então Governador Lucas Nogueira Garcez (dizia-se na epoca que era para ver se a mãe dele voltava para casa). Acho que esses fatos são importntes para que se tenha uma visão mais completa da historia desse bairro.
Enviado por helio raymundo de freitas - [email protected]
Publicado em 15/12/2006 Douglas,
Você conseguiu descrever brilhantemente o Bom Retiro e sua multi-etnia. Naquela região ainda há o Teatro Cultura, as barulhentas "maritacas" nas árvores gigantes que entremeiam a Fatec e a Estação Tiradentes, a Igreja de Dom Bosco ali na Afonso Pena, do outro lado da Av. Tiradentes há a Rua das Noivas, a Igreja de São Cristõvão, o Batalhão da PM(acredito que havia lá também a Cavalaria e o Canil). Com destino a Santana passamos pelo antigo e célebre Clube Regatas Tietê, que na São Paulo de antigamente marcou a época com seus eventos. Certamente aquela região é um lugar diferenciado na capital e tem uma certa poesia em suas ruas que trazem consigo tantas histórias de vidas que por ali passaram e levaram com elas aquele fascínio que ainda ronda por lá.
Enviado por Consolata Panhozzi - [email protected]
Publicado em 10/11/2006 Bom Retiro é um vício um berço ,um colo ...Tenho
mais de 50 anos ,nasci aqui,voltei prá cá na adolescência,tínhamos as escuderias com gincanas,
estudei no Alarico Silveira(antigo Normal)meu pai trabalhou aqui a vida inteira ,aqui conheceu minha mãe .Encontrei pessoas ótimas no Alarico,batalhadoras e fiquei centrada .Casei aqui e desde 1967 ,só saí daqui três longos anos
prá voltar mais rápido ainda .Aqui meus filhos nasceram e meu sonho é de enxergar o bairro sem
tantos estabelecimentos comerciais fechando e menos sujeira na rua .Não gosto de ter que sair para ter que encontrar distração ou procurando supermercados .Os imigrantes são bem recebidos e
acabam adotando o sotaque delicioso "italianado"
que antes era uma constante aqui e nós independentemente da descendência pegamos também.As pessoas que aqui residem acabam adotando a amizade e carinho de uma grande família :gregos,árabes,russos,poloneses,coreanos,
húngaros ,enfim todos ! Os migrantes também ensinam e aprendem os costumes .É por isso tudo
que declaro meu amor eterno ao Bom Retiro !
Enviado por yara auilo haikal - [email protected]
Publicado em 22/05/2006 A riqueza de Sao Paulo se descortina sempre para quem limpa um pouco os olhos e procura enxergar alem do que está obvio. Em todo canto há poesia. Enviado por Mari Aldrigui - [email protected]