Leia as Histórias

Categoria - Nossos bairros, nossas vidas Bom Retiro Autor(a): Douglas Dias - Conheça esse autor
História publicada em 21/03/2006
Bem, gostaria mais de deixar um relato do que contar uma história em especial.
Quero falar do Bom Retiro. Uma região que oferece muito mais do que as lojas essenciais para o consumo de roupas e artigos relacionados à costura. Há ótimos restaurantes, sinagogas, casas de cultura, faculdade, prédios belíssimos, um parque maravilhoso, o museu de Arte Sacra, a Pinacoteca... Enfim. São múltiplas opções que terminam com a chegada na região da Luz, onde um espetáculo memorável aguarda o visitante - a arquitetura incrível da estação de trem.
Passeando pelas ruas do Bom Retiro com um olhar aguçado percebemos os traços das diferente culturas que formam o bairro e conseqüentemente a história da cidade. É uma família judia passando em frente a um grupo de coreanos. Um grego que aparece na porta de seu restaurante ao lado de um árabe que está de olho em um carro chegando. Nele há um muçulmano que estaciona com sua família para fazer compras ou comer um doce exótico na doceria que pode ser húngara, inglesa ou brasileira mesmo. Não importa. A vida multi-étnica toma conta do ambiente e você se percebe parte de um mundo dentro deste aqui: o mundo do Bom Retiro.
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 02/02/2013 OI GERALDO EU TAMBEM MORI NESSA ÉPOCA,,MOREI NA RUA DOS ITALIANOS SAI DE LÁ PARA CASAR COM PESIONISTA DA MINHA TIA ,ELE E DE PERTO DE CAMPINA,ODEIA BOM RETIRO E EU AMO BOM RETIRO,EM 1970 EU TINHA 12 ANOS.. SAI EM1980 E SÓ QUEM MOROU LA DESDE CRIANÇA ENTENDE A SAUDADE E O AMOR QUE TEMOS POR ESSE BAIRRO...FELICIDADES ... ...HOJE VOLTE PARA SAO PAULO Enviado por CLEONICE MARTA CABRAL - [email protected]
Publicado em 24/03/2010 morei no Bom Retiro na decada de 70,hj tenho 53 anos ,estudei no Alarico e no João Kopke morei na r Anhaia n 705 perto da barra do tibagi onde tinha o cine paris,a igreja santo eduardo,gostaria muito de entrar em contato com alguem dessa epoca,sai dai em 1971 para morar em LIMEIRA SP,eu brincava muito na linha de trem que passa ao lado do bairro,muitas saudades desse tempo
,meu pai tinha uma banca de jornal na sergio tomas onde tinha a viação tabu,se alguem ler e conhecer alguem dessa epoca por
Enviado por geraldo altair longhino - [email protected]
Publicado em 21/10/2008 Preciso de Imagens que prove que existem italianos, judeus.

O site também precisa de Imagens
Enviado por Bháskara - [email protected]
Publicado em 07/08/2008 Gostaria muito de saber quem possui alguns materiais , fotos, historias, filmes etc..Sou universitária e preciso muito de materiasi que falam sobre o bom retiro. Aagradeço desde já quem puder me ajudar Enviado por cintia brito - [email protected]
Publicado em 29/05/2008 você poderia se aprofundar mais em sua análise quanto as diferentes culturas presentes no bairro,o modo com o qual elas interagem com o espaço e uma com as outras. Enviado por Lê e Bia - [email protected]
Publicado em 08/05/2008 meus ancestrais chegaram no Bom Retiro há muitos anos.
Os por parte de pai,italianos,
no começo dos 1900.
os do lado da mãe, portugueses, inclusive ela, em 1925.
Nasci na Maternidade de São Paulo em outubro de 1946 e, dali a uns dias, fui para Rua Júlio Conceição 370, no Bom Retiro.
Era uma casa grande, transformada em cortiço e fiquei até os seis anos.
Antes, naquela casa, na frente da rua, com a rua da Graça, situava-se o açougue do meu avô italiano.
Minha mãe, quando solteira, morava na rua Silva Pinto, e minha avó portuguesa, para sovreviver, vendia bananas pela rua, que ía buscar bem cedinho no Mercado Municipal.
Apesar de tão pouca idade que tinha, lembro-me bem do Bom Retiro.
Mudei de lá e sempre voltava para visitar os antigos lugares em que vivi meus dias infantis e faço isso até. E dificilmente sem lágrimas nos olhos.
Sou único sobrevivente da família e tenho quase 62 anos.
Durante anos pretendi voltar de novo para o Bom Retiro, morar lá, morrer lá. Mas achei, depois, que este bairro fazia e faz ainda parte das minhas lembranças sagradas.
Ele não me pertence mais, nem aos italianos nem aos portugueses,mas ainda é meu por aqueles tempos inesquecíveis de ruas parcamente iluminadas com grilos cantando à noite e as canções na voz do Francisco Alves no rádio. E o cinemas Lux e Marconi, e também, um pouco mais longe, o Cine Paris. Lá vi Branca de Neve e os Sete Anões, Alice no País das Maravilhas, Peter Pan, e filmes americanos que influenciaram na minha formação ocidental e no meu romantismo sem barreiras, que ainda tenho até hoje.
Não vou voltar mais para lá para não perdê-lo de mim no que foi e eu incorrer no risco de perder-me no presente de um passado que não pode ser maculado.
Bom Retiro, te amo demais para te perder do que vc foi para mim.
E por este louco e desmesurado amor que não quero te ter hoje, só quero te visitar, te tocar na saudade, e chorar.
Um beijo no seu coração, Bairro querido.
Enviado por carlos vicente boccia - [email protected]
Publicado em 06/04/2008 Sempre direi que o Bom Retiro é a minha "cidade natal". Cada vez que chego lá , sinto-me em casa. Tudo é absolutamente familiar. O encontro com amigos de outras épocas. É impossível andar por lá sem encontrar pelo menos um deles. E , cada encontro é uma contiuação do anterior. As histórias continuam onde pararam desde o último encontro.
Os que moraram ou ainda moram lá ,e eu digo isso de todos os que conhecem o Bom Retiro há pelo menos 40/50 (alguns até mais) me entendem .
Enviado por Helena Bohuta - [email protected]
Publicado em 17/10/2007 essev texto pode ajudar em pesquisa,informasão,etc... Enviado por carolina - [email protected]
Publicado em 09/09/2007 Minha mãe nasceu no Bom Retiro, eu também, morei no Bom Retiro por 26 anos.Naquele tempo nós brincávamos na rua até tarde da noite e nunca teve perigo nenhum.Foi ótimo!As pessoas eram mais amigas.Morava na Rua Barra do Tibagi, e aprontávamos muito com a molecada da rua.Sinto saudades.Foi uma ótima infância e juventude.Agora mora na Zona Leste, mas nunca esquecerei os momentos felizes que passamos no BOM RETIRO. Enviado por VERA - [email protected]
Publicado em 24/08/2007 Estive em São paulo e fique maravilhado com as pessoas e com ocorre, corre do bom retiro. Tabém gostei muito da arquitetura e da gastronomia. Enviado por Miguel FFrança - [email protected]