Leia as Histórias

Categoria - Nossos bairros, nossas vidas A casa da minha infância era verde Autor(a): Antonio Carlos de Camargo - Conheça esse autor
História publicada em 27/02/2009
Verde era um barraco que meu pai construiu atrás da casa amarelada de tinta marcada pelas manchas das intempéries do tempo, ali na Rua Jaboatão, onde eu pisava e corria descalço nas brincadeiras com outras crianças, a minha turma. A turma que corria atrás dos balões nas festas juninas, a turma que subia nos pés das árvores frutíferas para colher laranjas e coquinhos, a turma que protegia as meninas da rua contra qualquer candidato a namorado que fosse de outras ruas ou, pior, de outros bairros.

Aos domingos, logo na manhãzinha, eu juntava minha caixa, as latas de graxa, escovas, as tiras de pano que eu rasgava das roupas velhas e ia para a praça e lá ficava até perto do meio dia, quase sempre o tempo suficiente, menos quando chovia, para o meu domingo. Domingo de criança pobre, de pouco conforto, até pouca comida, mas em casa de muito amor e com humor.

E melhor, aos domingos, para mim, minha turma e muitas crianças do bairro, porque havia um programa especial: matinê no Cine Casa Verde, dia e hora do encontro com nossos heróis, os mocinhos dos seriados. Dia de viajar ao espaço com Flash Gordon nos levando ao Planeta Marte, ou do Besouro Verde e seu motorista oriental, o Bruce Lee da época...

Ah, minha Casa Verde, a casa da minha infância que permanece comigo na minha velhice mesmo depois de outras poucas casas, mas muitos apartamentos em tantos bairros de inúmeras cidades... Porque nossa primeira casa, nosso primeiro bairro, ninguém esquece.

e-mail do autor: [email protected] E-mail: [email protected]
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 22/02/2010 simplesmente demais, eu tbm passei belos momentos na Casa Verde, Bairro do Limao,,que saudades,,meu amigo Enviado por leandre fenix - [email protected]
Publicado em 26/01/2010 Antonio, eu consigo matar essa saudades passando as vezes no Mustang ( rua Atilio Pifer) e encontrando alguns antigos como nos, que estivemos por exemplo na escuderia Esmeril!!! Enviado por felicio - [email protected]
Publicado em 06/03/2009 Registro de agradecimento a todos que fizeram comentarios. Obrigado e até breve. Enviado por Antonio Carlos de Camargo - [email protected]
Publicado em 02/03/2009 Antonio Carlos,bela narrativa.Bem lembrada essa proteção às meninas da nossa rua.Até do Flash Gordom vc me fez lrecordar, meu seriado favorito do Cine Ideal.Tenho no meu HD um trailer de 3`.Rubens. Enviado por Rubens Ramon Romero - [email protected]om.br
Publicado em 02/03/2009 Tem razão Antonio Carlos, a gene se recusa a esquecer a casa de nossa infancia, mesmo reconhecendo que os dias ali vividos não tenha sido fartos e de plena felicidade.
A minha casa na Rua Augusta está sempre presente.
Enviado por Miguel - [email protected]
Publicado em 02/03/2009 Sr. Camargo, pessoas como nós, que tiveram uma infância muito humilde mas com muita alegria tem muito a agradecer a sua a nossa Casa Verde, pois, morava na V.N.Cachoeirinha nas décadas de 60/80, fazia muitos carretos e marretava quando garoto nas feiras das ruas Santo Eudóxia. Lili, Zilda e outras. Tenho muitas saudades desta época. Abraços e continue adorando sua Casa Verde, pois internamente ela é de OURO. Enviado por Agnaldo Leandro da Silva - [email protected]
Publicado em 02/03/2009 É verdade, Antonio, principalmente quando tivemos uma infância cheia de encantos. Belo texto, parabéns.
Modesto
Enviado por Modesto Laruccia - [email protected]
Publicado em 01/03/2009 Bons tempos aqueles que no quintal das casas, tinha pés de fruta. e qual casa daqueles anos 1950, não tinha? Enviado por mario lopomo - [email protected]
Publicado em 01/03/2009 Antonio, que lindo seu texto. A primeira casa estará sempre viva me nossas lembranças. Parabens e um abraço. Enviado por margarida p peramezza - [email protected]
Publicado em 01/03/2009 Belas lembrancas da sua infancia na nossa Casa Verde. Tive uma banca de jornais na Atilio Piffer, ate escrevi um texto sobre este meu desastroso evento(9/Jan). Estudei no "matao" e na rua em que vc morou, na Jaboatao tem um colegio famoso na regiao,o Bernardino de Campos. Bom, as suas lembrancas agucaram a minha.Parabens por homenagear este bairro, tambem tao querido pra mim. Enviado por Etel - [email protected]
« Anterior 1 2 Próxima »