Leia as Histórias

Categoria - São Paulo da cultura, gastronomia, lazer e oportunidades 17 de dezembro Autor(a): Francisco Lemmi Filho - Conheça esse autor
História publicada em 29/12/2008

Em 17/12/1949 eu nasci. Portanto, nesta chuvosa quarta-feira, completei 59. Todos eles vividos na minha querida capital paulistana.

De tantos quantos dezessete de dezembro existiram pós-1949, o de 1967 foi o mais marcante. É que em 17/12/1967 eu completava dezoito anos de idade no estádio do Pacaembu, naquele domingo, na esperança de ver pela primeira vez o São Paulo Futebol Clube sagrar-se campeão paulista.

E isto não aconteceu por causa de quinze segundos. Sim, porque o São Paulo vencia o Corinthians por 1x0 até os 44min40seg do segundo tempo, e era só o juiz encerrar o jogo que os quarenta mil são paulinos presentes iriam festejar o título paulista que não conquistávamos há dez anos, porque o último título que o São Paulo havia conquistado foi justamente contra o Corinthians em 29/12/57 no Pacaembu...

Mas, voltando ao 17/12/67. Nos últimos segundos, o Corinthians empatou, não permitindo a comemoração da torcida são paulina. Foi preciso um jogo extra entre São Paulo e Santos para decidir o paulistão 67. O jogo foi realizado com forte chuva em 21/12/67 no mesmo Pacaembu, e o Santos venceu por 2x1, frustrando de vez nossa massa torcedora.

Então, no domingo em que completei dezoito anos, em 17 de dezembro de 1967, eu me via chorando no Pacaembu, por não poder ver o meu tricolor campeão. Lembro-me como se fosse hoje daquele triste gol.

Hoje, todavia, passadas exatas mais quarenta e uma datas de 17/12, a tristeza pelo gol corinthiano foi superada devido às dezenas e dezenas de vezes que comemorei outros títulos do São Paulo Futebol Clube. Aliás, não há no Brasil torcida tão satisfeita com seu time como a do São Paulo.

Encaminho a todos votos de saúde e paz nestas festas que encerram 2008, e desejo Feliz 2009!

e-mail do autor: [email protected]

Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 13/05/2009 Caro Francisco também estive no Pacaembú em 67, nesse fatidico jogo, Lourival abriu a contagem de fora da área e Bene empatou p/ o Corinthians.
Mas já tivemos tantas alegrias que ficou na História do São Paulo esse jogo de 67.
Abraço tricolor
César G Rolfini
Enviado por césar guilherme rolfini - [email protected]
Publicado em 25/02/2009 Caro Lemmi, eu também guardo esse dia como se fosse ontem. Estava meio adoentado e minha família havia saido, portanto curti aquele um a zero, (gol de Lourival), até os 89 minutos, mas... ...aí teve que aparecer o maldito gambazinho, Benê , e acabar com o nosso sonho. Bem, na verdade não estávamos ainda prontos para sermos o maior clube de futebol do Brasil, o que hoje é uma realidade, e, por outro lado, fatos como estes, nos permite a aplicação de lições aos nossos inímigos, sem nenhum remorso. Enviado por antonio rossi dos santos - [email protected]
Publicado em 06/01/2009 Vilton Giglio: Realmente, daquele fabuloso Santos da Era Pelé, não há quem não tenha gostado, quem não tenha se admirado, era um timaço, valia a pena ver. A gente só não gostava, claro, quando enfrentava o nosso time, isso todos, palmeirenses, corinthianos, sãopaulinos, enfim, todos quando eram adversários. Mas, realmente, não o tendo como adversário, não havia quem não gostasse, não admirasse aquele fabuloso esquadrão que encantou o mundo. Era um time que, na realidade, a grande maioria, salvo os doentes fanáticos, tirava o chapéu, foi um time encantador. Mas, bem entendido, o Glorioso Santos F.C., da saudosa Era Pelé, porque, depois, não teve nada de extraordinário, embora tenha conquistado títulos importantes, porém, nem comparação, por melhor que tenha sido depois, com aquela máquina maravilhosa dos saudosos tempos da Era Pelé.- abraços - Pedro Luiz Enviado por Pedro Luiz Boscato - [email protected]
Publicado em 05/01/2009 No fundo mas bem fundo todos gostam do maior time do mundo e os srs.sabem qual é lógico o peixe,todos os times do Brasil e do mundo já sentiram o poderio do maior time do mundo,dá licença ,não adianta falar em timão,porco ,bambi,bacalhau,mengão,vascão,todos sabem quem é o SANTOS F.C.,obrigado pela atenção,esse é o time, Enviado por Vilton Giglio - [email protected]
Publicado em 05/01/2009 Com a devida vênia do Lemmi, um recado ao bom amigo Ailton: não tire suas "luvas de pelica" que elas, ainda tem odores de "segundona" e, conseguindo sair do "pelourinho", o coringuinha ainda é o último da Suprema Divisão.
Quanto ao seu texto, Lemmi, é um tanto lacrimoso mas, perfeitamente compreensível. Parabens.
Modesto
Enviado por Modesto Laruccia - [email protected]
Publicado em 30/12/2008 O meu timão gosta de tirar o doce da boca dos outros, mesmo que fique chupando o dedo.
Abração e Feliz Ano Novo. Ivette
Enviado por Ivette Gomes Moreira - [email protected]
Publicado em 30/12/2008 Sou corintiano, mas antes de mais nada aprendi a gostar do bom futebol, acho que foi o Santos do Pelé e Coutinho, o Botafogo de Garrincha e Nilton Santos, o Palmeiras de Ademir da Guia, mais o Brasil de 70, que aprimoraram a minha maneira de ver e torcer pelo Futebol. Aprendi a ver uma bela partida de futebol, bem jogado e disputado, deixando as paixões de lado, aprendi a gostar do futebol limpo leal sem a violência banal do grosso e desajeitado quem jamais teve intimidade com a bola.(não estou falando jogada mais viril e sem maldade) Aprendi que os nossos times quando perdem é por estarem jogando um mal futebol como o próprio São Paulo até a metade do brasileirão 2008. Assim como o meu Corinthians que desceu para a segundona e que agora jogando bem, volta para a serie A de forma Gloriosa.mas que vai ter que melhorar bem mais para as disputas na futura serie A. Enfim aprendi a reconhecer os méritos dos adversários e a reconhecer as deficiências do meu próprio time, assim como suas virtudes. Torcedor que não aprender a ver isso, vive de ilusão e sempre será o maior perdedor. Pois o futebol vive de altos e baixos. O que seria do Corintians se só o São Paulo fosse o Campeão, o que seria dos dois se só o Palmeiras fosse o Campeão e de todos os outros se só o Corintians fosse o Campeão. Tudo perderia a Graça. E agora um alerta. Esse atual time do São Paulo esta bem longe de ser o timão dos tempos de Raí,Juninho e Zetti. Achei, assistindo os jogos do Brasileirão que o São Paulo, pra quem gosta de futebol do meu jeito bem Jogado, foi apenas o melhor dos piores. Grémio,Palmeiras,Cruzeiro, Flamengo e até mesmo o seu tricolor, terão que melhorar muito para os próximos torneios, ou para não decepcionar na libertadores. Atualmente gosto muito de ver o meu time Campeão mas jogando o fino da Bola, como o Palmeiras da Academia , O São Paulo do Tele Santana, e o Santos de Pele e Cia. ou mesmo o meu Corinthians da década de 50. Parabéns pelo seu relato, pois já havia esquecido essa famosa partida da qual o Corinthians saiu vencedor mesmo não mostrando aquele futebol que faz bem para a vista. Enviado por Arthur Miranda - [email protected]
Publicado em 30/12/2008 Sou corintiano, mas antes de mais nada aprendi a gostar do bom futebol, acho que foi o Santos do Pelé e Coutinho, o Botafogo de Garrincha e Nilton Santos, o Palmeiras de Ademir da Guia, mais o Brasil de 70, que aprimoraram a minha maneira de ver e torcer pelo Futebol. Aprendi a ver uma bela partida de futebol, bem jogado e disputado, deixando as paixões de lado, aprendi a gostar do futebol limpo leal sem a violência banal do grosso e desajeitado quem jamais teve intimidade com a bola.(não estou falando jogada mais viril e sem maldade) Aprendi que os nossos times quando perdem é por estarem jogando um mal futebol como o próprio São Paulo até a metade do brasileirão 2008. Assim como o meu Corinthians que desceu para a segundona e que agora jogando bem, volta para a serie A de forma Gloriosa.mas que vai ter que melhorar bem mais para as disputas na futura serie A. Enfim aprendi a reconhecer os méritos dos adversários e a reconhecer as deficiências do meu próprio time, assim como suas virtudes. Torcedor que não aprender a ver isso, vive de ilusão e sempre será o maior perdedor. Pois o futebol vive de altos e baixos. O que seria do Corintians se só o São Paulo fosse o Campeão, o que seria dos dois se só o Palmeiras fosse o Campeão e de todos os outros se só o Corintians fosse o Campeão. Tudo perderia a Graça. E agora um alerta. Esse atual time do São Paulo esta bem longe de ser o timão dos tempos de Raí,Juninho e Zetti. Achei, assistindo os jogos do Brasileirão que o São Paulo, pra quem gosta de futebol do meu jeito bem Jogado, foi apenas o melhor dos piores. Grémio,Palmeiras,Cruzeiro, Flamengo e até mesmo o seu tricolor, terão que melhorar muito para os próximos torneios, ou para não decepcionar na libertadores. Atualmente gosto muito de ver o meu time Campeão mas jogando o fino da Bola, como o Palmeiras da Academia , O São Paulo do Tele Santana, e o Santos de Pele e Cia. ou mesmo o meu Corinthians da década de 50. Parabéns pelo seu relato, pois já havia esquecido essa famosa partida da qual o Corinthians saiu vencedor mesmo não mostrando aquele futebol que faz bem para a vista. Enviado por Arthur Miranda - [email protected]
Publicado em 30/12/2008 Parabéns "Chico". Feliz aniversário. No "O esporte mais querido", 17/01/08 você foi citado. E o comentário ao último texto do Gilberto Maluf, mencionamos o tricolor e o Morumbi. E tinha prometido ligar para você, mas confesso que esqueci.Abraços Enviado por Clesio de Luca - [email protected]
Publicado em 30/12/2008 Eu estava num baile pró-formatura de ginásio, na casa de um são-paulino. Lourival fez 1 x 0 aos 25 do 2° tempo e Bene empatou aos 44. Dos 25 aos 44 o dono da casa estava insuportável, era campeão daqui, campeão dali. Mas o gol de Bene acabou com o baile pró-formatura e ficará para sempre guardado na minha memória.Quem conhece futebol sabe que foi uma delícia. Menos para os tricolores.
Encontrei Bene em 1984 na Praia Grande em São Paulo e relembramos este gol.
Enviado por gilberto maluf - [email protected]
« Anterior 1 2 Próxima »