Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias Eu, paulistano Autor(a): Glauco de Arruda Barlebem - Conheça esse autor
História publicada em 19/06/2008
De repente, me descubro paulistano. Assim, paulistano em essência, de corpo e alma. Digo, aliás, que me descubro paulistano, porque paulistano, na maioria das vezes nem percebe que é. Acha bonito o folclore de outras paragens, mas não se dá conta de pertencer a uma cidade cheia de belezas e tradições.
Sou neto de italianos, por parte de mãe, bisneto de portugueses e alemães, por parte de pai e cresci sobre o asfalto e entre os edifícios da maior capital do país. Morei na Rua Marconi e estudei no Caetano de Campos, quando ainda era na Praça da República. Quer sujeito mais paulistano?
Para descobrir-se paulistano é preciso refletir sobre a própria história, recordar-se de fatos, de passagens, de ruas e praças. E mais, é preciso lembrar-se de pessoas. Personagens que povoam nosso cotidiano e que estariam em um livro de memórias, caso resolvêssemos escrever um.
Lá pela década de sessenta - isso já é século passado - tinha um sujeito, que andava pelo bairro da Ponte Pequena, perto do Clube Tietê, fantasiado de cowboy, da cintura pra cima, e de cavalo, da cintura pra baixo. Na verdade, nos pés calçava botas e esporas, creio que pela impossibilidade de ter cascos. Creio que ele se imaginava um cavaleiro sobre sua montaria, duas figuras em um só personagem, um centauro urbano, que tornou-se famoso na região, daquela época.
Inauguro uma série de pequenas histórias, neste site, com esta apresentação. A idéia é convidar cada leitor a descobrir-se paulistano e refletir sobre o significado dessa descoberta.
Assim, caros leitores, muito prazer. Meu nome é Glauco de Arruda Barlebem, escritor, bacharel, porém, acima de qualquer coisa, paulistano. Com todo o orgulho que eu possa carregar.

e-mail do autor: [email protected] E-mail: [email protected]
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 18/10/2008 Glauco - com prazer li a sua história. Conheci o personagem a que você se refere(conheci de vista.
Me identifiquei muito com o seu pensamento porque também sou uma dessas paulistanas. Amo a minha cidade e fico procurando pontos para afirmar e confirmar a identidade desta paulicéia. Parabéns
Enviado por MARIA REGINA LEANDRO DE SOUZA - [email protected]
Publicado em 26/06/2008 Bem vindo Glauco, a sua idéia de descobrir-se paulistano e refletir sobre. penso que é uma boa idéia. Enviado por Clesio de Luca - [email protected]
Publicado em 21/06/2008 O fato de você ter estudado na "minha" Caetano,ainda mais na Praça da República, já é motivo, sim, para se orgulhar de ser PAULISTANO!
Felicidades. Virgínia
Enviado por Virginia André - [email protected]br
Publicado em 21/06/2008 Barlebem, paulistano da gema, receba as boas vindas de quem se considera o mais paulistano de todos os paulistanos, defensor das principais reinvidicações de São Paulo no seio da república, ferrenho contestador de iniciativas depreciadas de cidades que se julgam merecedoras (econseguem, pqp...)de sediar tudo quanto é esporte, sem o merecer, corroendo-se, até agora por não ter conseguido a da "Formula Um": EU. Um abraço.
Modesto
Enviado por Modesto Laruccia - [email protected]
Publicado em 20/06/2008 Eu também tenho orgulho de ser paulistano, caro Glauco, do Tatuapé, do Brás, da Mooca, do Belém, da São João com a Ipiranga, mas de 40 anos atras, porque, ca entre nós hein, o que fizeram com nossa São Paulo, é de chorar. abraços,Beira Enviado por José Camargo Beira - [email protected]
Publicado em 20/06/2008 Glauco, voce nao e' paulistano, e' "paulistanissimo" como eu. Prazer e' meu. Enviado por Wagner - [email protected]
Publicado em 20/06/2008 Benvindo, Glauco. O personagem que você citou era o incrível Homem-Cavalo, famoso pela Lapa e cercanias. Creio que usava sela, também. Enviado por Luiz S. Saidenberg - [email protected]
Publicado em 20/06/2008 Seja bem vindo Paulistanissimo Enviado por Mário Lopomo - [email protected]
Publicado em 20/06/2008 Seja bem vindo Glauco e junte-se a nós simples mortais mas PAULISTANOS da gema.
Nos te abraçamos e ficamos aguardando suas pequenas grandss historias.
Enviado por Miguel - [email protected]
Publicado em 20/06/2008 Querido amigo

Acho que já estamos fazendo tudo iso neste site. Estamos refletindo sobre o sermos paulistanos, sobre locais, pessoas que fizeram parte da nossa história, sobre as nossas memórias. Falando em memórias, já escrevemos um livro de memórias juntos, chama-se 'Sao Paulo minha cidade'
Enviado por Lygia - [email protected]
« Anterior 1 2 Próxima »