Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias Eu sei que vou te amar... Autor(a): Ana Luiza Pereira de Lacerda - Conheça esse autor
História publicada em 19/05/2008
Por toda a minha vida, eu vou te amar...!
Desesperadamente, eu sei que vou te amar.
E cada verso meu será pra te dizer que eu sei que vou te amar, por toda minha vida...

Não há o que descreva, mais que essa letra, o amor incondicional que tenho por minha cidade.
Vontade de interagir e participar.
Quero voltar pra São Paulo. E aqui vou relatar meu sonho.
O de trabalhar e morar no mesmo bairro, que não precisasse de condução. De ir e voltar a pé.
Poderia ser perto da onde morei, em um apartamento seguro perto da Rua Amauri. Ou então lá pra cima, na Avenida Angélica. Desde que o emprego fosse perto.
Sou jornalista e ótima cozinheira. Índole boa, de fácil convívio.
Posso trabalhar em qualquer lugar, desde numa redação de revista, jornal, tablóide ou agência, até em restaurantes que vá do simples ao sofisticado.
Navego bem nestas áreas.
Sei que da época que saí de Sampa, 1975, muita coisa mudou. Mas nem tanto...
Há lugares que continuam os mesmos.
E a saudade dói muito no peito. É latente.
Vai muito além do querer resgatar uma vida exemplar, familiar e de autênticos paulistanos, onde os atos e palavras diárias inspiravam e expiravam a responsabilidade de ser e nascer nesta cidade. Permeando contundentes fases da vida, onde qualquer acontecimento rotineiro era motivo para nos passar história, biografias e passeios turísticos. Para cada local, cada ponto, há lembranças. E me vêm à cabeça os comentários sempre oportunos de mamãe, papai, vovó e vovô sobre Carlos Prestes, Líbero Badaró, Mário de Andrade, Ramos de Azevedo, entre tantos outros... Parque Trianon, Borba Gato, Parque do Ibirapuera, Praça Buenos Aires,
Igreja Nossa Senhora do Brasil, Igreja São Gabriel, Jardim Zoológico, Rua Augusta, Galeria Ouro Fino, Avenida São João, Avenida Angélica, Avenida Higienópolis, Rua Maranhão, Rua Amauri, Avenida 9 de Julho, Jardim Europa, Itaim, Cidade Jardim, Jockey Clube, Clube Pinheiros, Clube Harmonia, Colégio Pio II, Colégio Madre Alix, Ginásio Ofélia Fonseca, Avenida Paulista, Largo de São Francisco, Estação da Luz, Mercado Municipal, Teatro Municipal, Prefeitura, Palácio do Governo, Estádio do Pacaembu, Faculdade de Belas Artes, Shopping Iguatemi, Rua Iguatemi, Avenida Faria Lima, Museu do Ipiranga, Casa dos Bandeirantes, Instituto Butantã, Brás, Largo Santa Cecília, Avenida Consolação, Sorveteria América, Confeitaria Brunella, Confeitaria Vienense, Rio Tietê, Rio Pinheiros, Marginais, Aeroporto de Congonhas, Viracopos, Guarulhos etecetera.

e-mail da autora: [email protected]
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 18/09/2011 Obrigada à todos que responderam e entenderam meu amor explícito.
Ainda não voltei. Mas alimento a idéia.
Quem sabe um dia...
Ana Luiza ( [email protected] )
Enviado por Ana Luiza - [email protected]
Publicado em 28/05/2008 Também sou jornalista e, dizem, cozinho muito bem (aprendi com meus nonos, nonas e mama), Jé tive convites para atuar na área (jornalística) em outras paragens. Confesso, nunca tive coragem de largar esta São Paulo que tanto amo. Espero que volte, pois, a Paulicéia, certamente, estara de braços abertos. "O bom filho a casa torna". Enviado por Pedro Nastri - [email protected]
Publicado em 21/05/2008 ufa!!! ouvi até os suspiros!!! Enviado por turan bei - [email protected]
Publicado em 20/05/2008 Curtindo todo esse amor pela nossa Sampa, tenho certeza que irás voltar muito em breve. Saiba que nos e ela te esperamos de braços abertos. Enviado por Miguel - [email protected]
Publicado em 20/05/2008 Amiga, entendo seu problema. Tambme quero voltar. Quando viajo pra sampa fico olhando os partamentos par vender ou alugar, imaginando se fosse meu, se aquela varandinha fosse minha, se eu pudesse ir comprar pão á tarde naquela padaria e se aquela rua de árvores fosse a minha rua. Saudade não se explica. Enviado por Lygia - [email protected]
« Anterior 1 Próxima »