Leia as Histórias

Categoria - Nossos bairros, nossas vidas Tucuruvi e arrebaldes Autor(a): Marco Antonio (Marcolino) - Conheça esse autor
História publicada em 21/01/2008

Pouco se fala no Tucuruvi, bairro situado na zona norte da Capital, entre Santana e Jaçanã. Posso falar que, depois de Santana, o Tucuruvi é, ou era, o bairro mais importante da zona norte. Oferecia de tudo aos seus moradores e freqüentadores. Uma ida ao centro da cidade se fazia necessária só em último caso.
A grata surpresa de ler sobre o Tucuruvi veio com o Edson Menezes, no seu “Cine Valparaiso – a maior sala de projeção da América Latina” de 09.10.2007. Não conheço outra crônica que fale deste interessante bairro. Se alguém conhece, por favor...
Ao ler o Edson Menezes e o seu “Cine Valparaiso...”, é impossível, para a gente que freqüentou o Tucuruvi, ficar alheio, frio e não sentir a emoção da nostalgia daqueles anos 60, vividos naquele lugar de São Paulo...
Não morava no Tucuruvi, mas no Parque Edu Chaves. Assim o Tucuruvi era passagem obrigatória para quem precisasse comprar alguma coisa mais elaborada ou um serviço mais raro, ou mesmo para quem ia a Santana ou ao Centro da Cidade. O fato é que os dois bairros onde mais vivi foram o Jaçanã e o Tucuruvi. O Tucuruvi tinha seus encantos. Sempre gostei de cinema, assim os meus refúgios eram o Coliseu, os cinemas do Tucuruvi e os de Santana. Era gostoso, sábado a tarde, pegar o ônibus (Viação Brasiluso) e descer num desses bairros, como também causava um prazer enorme ir a pé ao Coliseu, era perto.
No Tucuruvi existiam 3 cinemas. Começando pelo Valparaiso, que era um cinema independente, às vezes passava filmes lançados pelo Circuito São Paulo Sul (Olido-Rivoli-Marabá-República), por exemplo: El Cid – Ben Hur – Cleópatra – Spártacus -Suplício de uma Saudade – Imitação da Vida, e mais a perder a conta.. Descendo a Avenida Tucuruvi, na altura da Avenida Mazzei, havia outro cinema (Cine Tucuruvi? - não me lembro o nome); nunca entrei neste cinema; por não pertencer a nenhum circuito, exibia filmes antigos. Bobagem minha, tempos depois descobri que filmes como”Casablanca” e “A Marca da Maldade” passaram por lá. Depois, no inicio da Guapira, havia o Cine Fidalgo, que pertencia ao Circuito Serrador (Ipiranga-Rio Branco-Ouro-Astor-Paissandu) e por lá passaram, entre outros: Laurence da Arábia - A Face Oculta - Bonequinha de Luxo - Duelo de Titãs - Matar ou Morrer - My Fair Lady - O Professor Aloprado (o original com Jerry Lewis) - O Meninão - O Cardeal - Candelabro Italiano e tantos outros.
Quanto à polêmica de ser ou não o maior cinema da América do Sul, não vou entrar nessa. Só acho que tanto o Valpa como o meu querido Coliseu eram, sim, os maiores, pois abrigaram milhares de corações e mentes emocionados e encantados. Estes cinemas eram como estrelas de magnitude tal que, mesmo mortas, têm brilhos que ainda chegam até nós. Esta é a grandeza deles.
O prédio do Valparaiso era meio arredondado, a enorme sala de projeção ficava no meio e, em volta, existiam vários tipos de comércios e serviços: auto-escola – farmácia –lavanderia – lanchonete e uma papelaria, que a gente não esquece jamais, era a Papelaria Valparaiso, quanto material escolar não comprei ali?
Existia no Tucuruvi uma das melhores escolas públicas de São Paulo: o Colégio Albino Cezar (Ginásio-Escola Normal-Clássico e Científico). Uma escola de primeira. Meu irmão fez o Cientifico lá. Neste Colégio havia um grupo de Teatro Amador, gente competente e premiadíssima. Lembro da menina que fazia “A Dama das Camélias”, era uma atriz nata. O Albino também patrocinava esportes, campeonatos, atividades mil.
Gastronomia? Ao longo da Avenida Nova Cantareira, havia, em algumas mansões, casas noturnas, o Fred ou Fred era uma delas. Até hoje, não sei se eram restaurantes ou boites. A coisa ficava por conta da nossa fértil imaginação. Os mais puros afirmavam ser restaurantes chiques de comida internacional, proibidos para nós, misteriosos, e que os fondues e flambados eram servidos à luz de velas.Outros, menos ingênuos e com alguns Carlos Zéfiros a mais na cabeça, juravam ser boites e que, lá pelas tantas, as mulheres dançavam um estranha dança e iam tirando a roupa, peça por peça, até ficarem nuas e pulavam na piscina e os homens, com roupa e tudo, pulavam também. Um delírio total!
Havia também o Mercado Municipal que oferecia qualidade nas carnes, verduras, queijos, azeitonas, frutas e flores. Uma maravilha!
Este era o Tucuruvi dos anos 60 e 70. Hoje está tudo mudado. Há anos não vou lá, moro no interior. Tenho certeza que está bem descaracterizado, irreconhecível.
Faço um apelo ao pessoal do Tucuruvi: escrevam sobre o bairro, contem uma história de (des)amor, daquelas que incendeiam o pessoal todo. O Jaçanã... aliás, o pessoal do Tucuruvi esnobava o pessoal do Jaçanã, pois bem, o Jaçanã tem uma turminha que, quase sempre, escreve sobre o bairro. Vamos lá, gente.

e-mail do autor: [email protected]

Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 04/01/2012 Nasci no Hospital Santo Antonio do Tucuruvi, que hoje já não existe mais cresci no Tucuruvi, o Valparaiso peguei na época em que se tinha o carnaval, ah como era bom...meu pai tinha uma farmácia em frente, A Droga Avenida, hoje é uma loja de roupas,também comprei muito materia escolar na papelaria Valparaiso, aquele tempo havia marchinhas de carnaval, carnaval de rua na Av Tucuruvi se não me engano a Gaviões da Fiel começou lá, era uma época boa. Minha infancia inesquecivel. Enviado por Fernanda - [email protected]
Publicado em 03/01/2012 Realmente, Tucuruvi e um Bairro maravilhoso, pois mora a 30 anos e não pretendo trocar por outro. Enviado por Beserra - [email protected]
Publicado em 28/12/2011 Nasci em 54 e fui criado neste adoravel bairro, onde fiz grandes amizades me emocionei ao ver estes comentários pq com certeza participeide tudo. Enviado por Emil Pereira - [email protected]
Publicado em 22/12/2011 nao nasci no tucuruvi mas fui morar la com 8 meses de vida estudei no silva jardim depois no albino cezar entrei no grupo em 64 tirei o diploma da 4ª serie no cine tucuruvi que ficava ao lado quase do grupo que depois virou salao de baile xodó que depois foi para o antigo cine fidalgo e virou bailao do joao no qual eu tocava sendo musico do dr.ildo depois joao carlos pulei muito carnaval no cine valparaiso frequentei o juncal,construçao,ruina no parque vitoria,castelinho danças,enfim saudades Enviado por antonio juarez - [email protected]
Publicado em 03/12/2011 Também sou um apaixonado por Tucuruvi. Nasci no bairro onde moro ate hoje. Fui muitas vezes ao cine Valparaiso, comprei material escolar na papelaria, estudei no Albino César e no Grupo Escolar Silva Jardim. Morei bem atras do Mercado Municipal. Muita coisa mudou no bairro, menos o orgulho de quem foi criado por lá. Enviado por Sergio Rocha - [email protected]
Publicado em 29/11/2011 Eu morava em guarulhos na vila rosália, e estudava no jaçanã no Colégio Comercial Nossa Senhora Aparecida. Que ficava em frente á extinta estação de trem do jaçanã. Enviado por ligai aparecida tamura - [email protected]
Publicado em 29/11/2011 Nasci no Tucuruví em 1940. Apesar de hoje morar no Alto de Santana depois de passar por Tremembé,toda semana estou no Acre Clube do Tucuruví, curtindo meus amigos de infância.Me formei no Albino Cesar em 1956 e dia 7 de dezembro próximo, estaremos nos confraternizando às 20 horas no Arcos da Cantareira.Eu, o Ary,Casaroli, Bosco etc.(ao todo já encontramos 40 ex-alunos.Se vc. for dessa época e quizer participar, entre em contato com o Ary Marinelli 2455-3369 ou Bosco 2959-5666 ou meu e-mail. Enviado por Luiz Sergio Scarpelli Esteban - [email protected]
Publicado em 22/10/2011 O cine chamava Cine Monte Libano na ava mazzei, 1797 - 244 lugares inalgurado 1952 e 1953. Enviado por Brisola - [email protected]
Publicado em 22/10/2011 Eu morava no prédio do cine valparaiso, meu pai era o sindico, era bom porque nao pagava cinema nem o carnaval. Tinha uma chacara no alto do cine com uma plataçaõ enorme de jabuticaba, iamos brinca e comer as frutas,eu dois filhos do Dr Ildo que era um dos donos,cheguei conhecer a Dna Badi mae dos Dr Ildo, Ilda e O ibrahim, ela tinha 3 filhos. continuo proximo envio Enviado por brisola - [email protected]
Publicado em 15/09/2011 Este relato me faz lembrar minha juventude, fui muita vezes ao cine valparaiso...nas tardes de domingo a fila dava volta no cinema p a matine, hoje tem um enorme estacionamento com hipermercado...nos saudoso carnaval, onde famílias se divertia com muito respeito...descendo av tucuruvi realmente era o cine tucuruvi, hoje tem uma sede da prefeitura de sp...e logo a esquerda estação do metro....ah cine fidalgo quantas lembranças o namorinho no escurinho do cinema q para simples pegar na mão era uma dificuldade...obrigado amigo pelas lembranças.hoje eu com 61 anos ainda vejo na minha mente o que era o tucuruvi, eu morador do jd.tremembé....lembro q na subida da sezefredo fagundes a antiga subido do raul, tinhamos q descer do ônibus e apanha-lo no topo da subida.....belas lembraças. Enviado por Carlos - [email protected]