Leia as Histórias

Categoria - Nossos bairros, nossas vidas Tucuruvi e arrebaldes Autor(a): Marco Antonio (Marcolino) - Conheça esse autor
História publicada em 21/01/2008

Pouco se fala no Tucuruvi, bairro situado na zona norte da Capital, entre Santana e Jaçanã. Posso falar que, depois de Santana, o Tucuruvi é, ou era, o bairro mais importante da zona norte. Oferecia de tudo aos seus moradores e freqüentadores. Uma ida ao centro da cidade se fazia necessária só em último caso.
A grata surpresa de ler sobre o Tucuruvi veio com o Edson Menezes, no seu “Cine Valparaiso – a maior sala de projeção da América Latina” de 09.10.2007. Não conheço outra crônica que fale deste interessante bairro. Se alguém conhece, por favor...
Ao ler o Edson Menezes e o seu “Cine Valparaiso...”, é impossível, para a gente que freqüentou o Tucuruvi, ficar alheio, frio e não sentir a emoção da nostalgia daqueles anos 60, vividos naquele lugar de São Paulo...
Não morava no Tucuruvi, mas no Parque Edu Chaves. Assim o Tucuruvi era passagem obrigatória para quem precisasse comprar alguma coisa mais elaborada ou um serviço mais raro, ou mesmo para quem ia a Santana ou ao Centro da Cidade. O fato é que os dois bairros onde mais vivi foram o Jaçanã e o Tucuruvi. O Tucuruvi tinha seus encantos. Sempre gostei de cinema, assim os meus refúgios eram o Coliseu, os cinemas do Tucuruvi e os de Santana. Era gostoso, sábado a tarde, pegar o ônibus (Viação Brasiluso) e descer num desses bairros, como também causava um prazer enorme ir a pé ao Coliseu, era perto.
No Tucuruvi existiam 3 cinemas. Começando pelo Valparaiso, que era um cinema independente, às vezes passava filmes lançados pelo Circuito São Paulo Sul (Olido-Rivoli-Marabá-República), por exemplo: El Cid – Ben Hur – Cleópatra – Spártacus -Suplício de uma Saudade – Imitação da Vida, e mais a perder a conta.. Descendo a Avenida Tucuruvi, na altura da Avenida Mazzei, havia outro cinema (Cine Tucuruvi? - não me lembro o nome); nunca entrei neste cinema; por não pertencer a nenhum circuito, exibia filmes antigos. Bobagem minha, tempos depois descobri que filmes como”Casablanca” e “A Marca da Maldade” passaram por lá. Depois, no inicio da Guapira, havia o Cine Fidalgo, que pertencia ao Circuito Serrador (Ipiranga-Rio Branco-Ouro-Astor-Paissandu) e por lá passaram, entre outros: Laurence da Arábia - A Face Oculta - Bonequinha de Luxo - Duelo de Titãs - Matar ou Morrer - My Fair Lady - O Professor Aloprado (o original com Jerry Lewis) - O Meninão - O Cardeal - Candelabro Italiano e tantos outros.
Quanto à polêmica de ser ou não o maior cinema da América do Sul, não vou entrar nessa. Só acho que tanto o Valpa como o meu querido Coliseu eram, sim, os maiores, pois abrigaram milhares de corações e mentes emocionados e encantados. Estes cinemas eram como estrelas de magnitude tal que, mesmo mortas, têm brilhos que ainda chegam até nós. Esta é a grandeza deles.
O prédio do Valparaiso era meio arredondado, a enorme sala de projeção ficava no meio e, em volta, existiam vários tipos de comércios e serviços: auto-escola – farmácia –lavanderia – lanchonete e uma papelaria, que a gente não esquece jamais, era a Papelaria Valparaiso, quanto material escolar não comprei ali?
Existia no Tucuruvi uma das melhores escolas públicas de São Paulo: o Colégio Albino Cezar (Ginásio-Escola Normal-Clássico e Científico). Uma escola de primeira. Meu irmão fez o Cientifico lá. Neste Colégio havia um grupo de Teatro Amador, gente competente e premiadíssima. Lembro da menina que fazia “A Dama das Camélias”, era uma atriz nata. O Albino também patrocinava esportes, campeonatos, atividades mil.
Gastronomia? Ao longo da Avenida Nova Cantareira, havia, em algumas mansões, casas noturnas, o Fred ou Fred era uma delas. Até hoje, não sei se eram restaurantes ou boites. A coisa ficava por conta da nossa fértil imaginação. Os mais puros afirmavam ser restaurantes chiques de comida internacional, proibidos para nós, misteriosos, e que os fondues e flambados eram servidos à luz de velas.Outros, menos ingênuos e com alguns Carlos Zéfiros a mais na cabeça, juravam ser boites e que, lá pelas tantas, as mulheres dançavam um estranha dança e iam tirando a roupa, peça por peça, até ficarem nuas e pulavam na piscina e os homens, com roupa e tudo, pulavam também. Um delírio total!
Havia também o Mercado Municipal que oferecia qualidade nas carnes, verduras, queijos, azeitonas, frutas e flores. Uma maravilha!
Este era o Tucuruvi dos anos 60 e 70. Hoje está tudo mudado. Há anos não vou lá, moro no interior. Tenho certeza que está bem descaracterizado, irreconhecível.
Faço um apelo ao pessoal do Tucuruvi: escrevam sobre o bairro, contem uma história de (des)amor, daquelas que incendeiam o pessoal todo. O Jaçanã... aliás, o pessoal do Tucuruvi esnobava o pessoal do Jaçanã, pois bem, o Jaçanã tem uma turminha que, quase sempre, escreve sobre o bairro. Vamos lá, gente.

e-mail do autor: [email protected]

Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 19/04/2010 NASCI NO TUCURUVI, NO HOSPITAL PRESIDENTE EM 1977.ESTUDEI NO AMENAIDE DA PRIMEIRA ATÉ A OITAVA SÉRIE E 2 ANOS NO ALBINO CÉSAR. MOREI DURANTE 8 ANOS NA RUA SALVADOR BICUDO NAQUELE PRÉDIO.TENHO MUITAS SAUDADES DE TUDO.INFELIZMENTE HOJE NEM MORO MAIS EM SÃO PAULO,ESTOU MUITO LONGE, EM NATAL.SAUDADES!!! Enviado por Alexsandra/Sandrinha - [email protected]
Publicado em 15/04/2010 Morei por mtos anos no tucuruvi, na rua s.nestor travessa da Mazzei....lembro-me perfeitamente de tudo...do salão Lino na av. Nova Cantareira, do França do Hospital Presidente, do Jardim França, onde passei parte de minha vida...larguinho da igrejinha próxima ao Acre.....quantos amigos queridos deixei por lá!...saudades de todos e du tudo que vivi. Enviado por Sérgio - [email protected]
Publicado em 05/04/2010 COMO O TEMPO PASSOU RAPIDO, SOU NASCIDO EM TUCURUVI, NA RUA LABINO CESAR, 109, NO LADEIRÃO, TODA MINHA INFANCIA E JUVENTUDE FORAM VIVIDAS NO MEU QUERIDO TUCURUVI, ESTUDEI O PRIMERIO NO GRUPO ESCOLAR SILVA JARDIM, FIZ ADMISSÃO NA ESCOLA DO PROFESSOR JOÃO NA R. ALBINO CESAR, FUI UM DOS MAIORES FREQUENTADORES DA PADARIA ADAMASTOR EM FRENTE AO CINE VALPARAIZO, FREQUENTAVA TAMBEM O BAR E LANCHES VALPARAIZO DOS PORTUGUESES, E MAIS O BAR DA LAURO ONDE SE COMIA O FAMOSO BAURU DO LAURO. Enviado por pedrinho tuche - [email protected]
Publicado em 05/04/2010 sera que ainda tem algum amigo meu em tucuruvi, estamos velhinhos, todo mundo da turminha do valparaizo, teco, tigues, porcão, bolinha, baltazar, bigo, paulinho javali, e um monte deles, aguardo respostas tuche Enviado por pedrinho tuche - [email protected]
Publicado em 25/02/2010 adorei ler essas historias,estudei no IEAC (Albino Cesar) na decada de 60, era maravilhoso,prof Roma, D Tarcila, prof Lamana, prof Eni (de desenho) salas proprias para cada materia, o que mais diferenciava este colegio é que os alunos é que iam para a sala de aula, especifica, Sala de Geografia, sala de ciencias, onde aprendiamos tudo, dessecar minhocas, baratas e etc, era bárbaro, nao me lembro do nome do prof, só sei que ele velho kkkk, aulas de ginastica ritmica, e muito mais.... Enviado por suzete - [email protected]
Publicado em 22/02/2010 Eu tenho 15 anos estudo no colégio Albino César, eu não sei se essa página ainda é visitada, mas eu sempre quis saber mais sobre a história do bairro, eu moro na Vila Mazzei mais exatamente. Vejo aquela velha piscina abandonada e penso nos torneios já disputados lá, fotos antigas dos times, o teatro que não é mais usado, lá deve ter sido um grande local. Enviado por Luis Eduardo - [email protected]
Publicado em 10/02/2010 Que saudades ao ler esse relato, morei toda minha vida em Tucuruvi de 60 a 80 e mudei apos casar. Que saudades do Albino, Jd. Franca, Gepef por onde passei e tambem do Acre Clube onde frequentei toda minha adolescencia. Realmente esta tudo mudado mas que bom poder relembrar com emocao nosso tempo de infancia e adolescencia. Enviado por Miguel Ruiz - [email protected]
Publicado em 28/01/2010 Saudades, história de um bairro querido e maravilhoso, a gente vai para outro lugar mas volta nem que for em sonhos. Pois bem nasci no meu querido bairro do TUCURUVI em 1954, estudei no antigo educandário São paulo da Cruz hoje colégio marista,Silva Jardim, Professora Luzia de Godoy na rua Altinópolis (extensão o Abino) e finalmente conclui o 2 grau no famoso Albino César de l972 a 1975 noturno,sinto saudades de todos más está difícil de encontrar alguem desta época,más foi maravilhoso. Enviado por Maria Cristina Ferreira - [email protected]
Publicado em 21/01/2010 Bom Dia
Sim havia um cinema o cine Tucuruvi,em frente havia a papelaria Real, na proxima esquina desciamos ate o campo do Ypiranguinha cuja sede ficava na lage do predio onde ficava a papelaria Real, a camisa deste time era listrada preta e branca.Em frente a essa esquina ficava a casa do Fidalgo ( castelinho )
Enviado por Francisco Oliveira - [email protected]
Publicado em 18/01/2010 Boa tarde gente,gostei muito de todos os comentarios tambem sou do Tucuruvi estudei No Albino e Silva Jardim fui presidente do centro civico nos anos 70 e80 junto com o humorista Joao Cleber,frequentei O Acre durante muito tempo,gostaria muito de reencontrar todos da minha epoca meu nome no Acre era Mario Hulk contatos por favor Abraços a todos Enviado por Mario - [email protected]