Leia as Histórias

Categoria - Paisagens e lugares Um Ginásio Inesquecível Autor(a): Décio Nappi - Conheça esse autor
História publicada em 29/08/2007
A década era a de 40 e eu fazia o ginasial no Acadêmico São Paulo, onde convivi com pessoas que jamais apagarei de minha memória: o Bira (Ubirajara Silva Alves), meu melhor amigo; o Arthur Murad, excelente cantor lírico; o Dino, ótimo jogador de basquete apesar da baixa estatura; o Jomar Pereira da Silva um gentleman que poderia muito bem seguir a carreira diplomática; o Helio Malpica, O Walter da Penha; os irmãos Heitor e Lupércio além, naturalmente, da encantadora Sarah, de rosto meigo, sorriso puro e lindos olhos negros, por quem me apaixonei perdidamente na pureza dos nossos 14 anos.
Demorei algo como 10 meses ensaiando as palavras que deveria usar para saber se ela aceitava namorar comigo, em dúvida se o sentimento era recíproco. Um dia, depois da última aula e a caminho do ponto de bonde, me enchi de coragem e fiz a grande pergunta, a mais importante de minha vida até aquele momento. Rosto corado de emoção e o chão sumindo aos meus pés, aguardei a resposta com a cabeça num turbilhão.
Sarah respondeu que aceitava sem mesmo pedir tempo para pensar, que era o jeito como as garotas conduziam o tema naquela época. E o ano chegou ao fim sem que eu tivesse sequer tocado em suas mãos no único encontro que tivemos fora da escola. Acho que foi amor platônico porque, em nenhum momento, me ocorreu pensar em Sarah pelo lado sexual. Ela foi para sempre um maravilhoso símbolo de pureza.
O Diretor do Acadêmico era o Sr. Argemiro, uma pessoa austera e, na minha memória, justo em suas decisões. Lembro do Arthur Luponi, o excelente professor de português que um dia foi acusado de anti-semitismo e virou notícia sensacionalista nos jornais da capital. Mesmo não entendendo muito do assunto nunca acreditei que ele fosse racista ou anti-semita, mas apenas um tremendo gozador que escolheu como alvo o grande contingente de judeus que cursava o Acadêmico. Teve também o Synésio, extraordinário mestre de matemática a quem devo muito o pouco que aprendei de álgebra. Um dia o Synésio surpreendeu todo mundo ao virar notícia de imprensa pela revelação que era bígamo. Inacreditável, um escândalo para os padrões morais da época. Lembro também do Leonildo, professor de Latim, que não simpatizava comigo só porque eu abominava a matéria dele. Ah, se pudesse voltar no tempo hoje eu pediria perdão de joelhos.
Dias atrás, na esperança de poder resgatar um pouco daquele passado maravilhoso fui até a Rua Oriente. Eu queria rever o prédio, o auditório, a quadra de basquete e, quem sabe, até minha sala de aula, mas o sonho acabou ao encontrar outro cenário. O edifício do tradicional ginásio é hoje ocupado por uma imensa loja de confecções assim como toda a Rua Oriente. Nem sei se o Acadêmico São Paulo ainda existe em algum outro local.
Mesmo assim, a forma como um dia existiu continuará viva em minha memória. Bem como a esperança de rever Sarah e alguns daqueles companheiros que jamais esquecerei. Quem sabe eu ainda possa ter a ventura de realizar esse sonho.

e-mail do autor: [email protected] E-mail: [email protected]
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 25/12/2012 Gilda de Napoli! Fiz o ginásio matutino nessa época e me lembro de alguns colegas, como a Aurora, Neide Barassal, Angelina de Russi, Kojiro Ito, samuel Sidsamer. Tinha o Américo, um aluno provocador que fazia questão de sentar nas primeiras filas para provocar os professores. Uma vez o Arthur Luponi correu atrás dele, escorregou e quebrou o ombro. O LASP continua existindo na memória dos que passaram por lá. Enviado por Marcos Túlio - [email protected]
Publicado em 25/04/2012 Lendo a descrição que o Décio fez do nosso Liceu senti vontade de manifestar o prazer que assim como eu, todos os alunos desfrutaram daquele espaço. Todos os professores e diretores plenamente capazes em transmitir conhecimento e respeito, tão queridos por todos.
Que pena que o "progresso" não poupou um estabelecimento deste quilate..
Obridada "meu" Liceu!!!
Obrigada Décio pelas lembranças e saudades de todos nós.
Fiz o Ginásio entre 1946 e 1950.
Enviado por Haydée de Aguiar Pertinhez - [email protected]
Publicado em 20/02/2012 ao passear no google cliquei no meu saudoso arthur luponi sua filha ma.reinaluponi pianista e nao e que encontro um exaluno do liceu academico sp e verifiquei que as saudades sao as mesmas como moro em porto alegre rs fiquei muito triste quado voce se refere ao liceu e pergunta: aonde esta o liceu? que pena o passado so fica em nossa memoria. prazer em lhe conhecer gns abraços Enviado por gilda de napoli schneider - walter,[email protected]
Publicado em 26/11/2011 Estudei No LASP de 1953 a l961, Me formei em Contabilidade ejuntamente com minha irma que terminou o Ginazio, Gente La passei os melhores anos da minha vida, daquela epoca eu ate poderia escrever um livro, eram tantos amigos, bailinhos nas casas dos amigos gente epoca inesquecivel os paquenas, bilhetes embaixo das carteiras,muitas aventuras..Atualmente estou No Canada, mas moro na California, quando retornar, vou escrever mais,pois amo a minha cidade sou Paulista, Paulistana,lembro=me de um amigo com seu nome no
curso de contabilidade,mas o papel com o nome dele nao esta comigo. Na proxima vez vou colocar uma lista com os nomes de meus ex-colegas...
Enviado por sinei Araldo de Magalhaes - [email protected]
Publicado em 17/08/2011 Décio Nappi,obrigado por me fazer recordar o Liceu Academico São Paulo,formei-me em 1955 Técnico em Contabilidade, turma da noite, e como voce sinto imensa saudade daquela época, o grande Prof.Argemiro, homem integro, prof. Matheus , Prof. Camilo e outros, mas nunca mais encontrei algum de meus colegas da época. Que Deus os proteja em qualquer lugar que estejam.Obrigado Décio Enviado por Orlando Ayres Santiago - [email protected]
Publicado em 08/12/2010 Mocidade em flor, cheia de vontade, pela vida vamos para um futuro promissor, a luz do saber, no estudo buscamos, conquistando louros para o Brasil engrandecer, nas se a nossa terra, que e tao boa e linda, e em teu seio encerra uma riqueza tao infinda, se ultrajada um dia, esta mocidade, nobre e forte a vingaria, Oh forte mocidade, cheia de fe e com fervor a estudar, firmes perseverantes, com puro amor e devocao, ...ESTE E UM TRECHO DO HINO DO LICEU ACADEMICO SAO PAULO, la eu estudei de 1970a76. Enviado por Celia Regina Carbone Amodeo - [email protected]
Publicado em 08/12/2010 Eu acabei de enviar um trecho do Hino de meu querido Liceu Academico Sao Paulo. Sou professora de Educacao Fisica e em 1993, pasmem voces, eu resolvi ensinar este hino a meus alunos. Liguei para o LASP que ainda existia, e pedi autorizacao para usar o hino com meus alunos, ele me atenderam e me pediram para ir ate a escola e ensinar o Hino a eles, pois ninguem sabia nem que havia um hino na escola. Pessoal eu sei o hino , tenho cadernetas com a letra do Hino e caderninho de foto oficial. Enviado por Celia Regina - [email protected]
Publicado em 06/12/2010 Prezados, estudei no Lasp entre 61 e 64, fiz o segundo e terceiro ginasial na parte da manhã e o quarto ano a noite. Fui colega do Pedrinho, Marcelo (está hoje em Uberaba), Décio Pierotti, Marisa Petri, e Antonio Carvalho Barbosa (pasmem: é o ator Toni Ramos da Globo, e tambem do Luiz Carlos Mendes Gusman que era eum grande poeta. Grandes recordações dos amigos e das lindas garotas do colégio,principalmente da Miriam que era filha de um funcionário graduado do colégio Enviado por Agenor Batista Figueira - [email protected]
Publicado em 06/12/2010 Continuação: Os professores eram os mesmos, o Luponi, o Roberto Zeidler, um prof. de desenho de quem gostava muito, mas não recordo seu nome. Um grande abraço a todos os contemporaneos, com saudades daquela época de ouro.
Agenor (06.12.10)
Enviado por Agenor Batista Figueira - [email protected]
Publicado em 05/11/2010 Prezado Decio
Estava pesquisando a História de um Piano que pertencia ao Liceu e me deparei com esta matéria, achei super legal.
Se Vc tiver foto do Liceu da sua época e se não fosse te atrapalhar poderia me mandar, seria grata.
Sei que pode parecer coisa de maluco, mas estou ajudando uma aluna em um trabalho. Acredite o Piano ainda Existe e encontra-se na Universidade que comprou o Liceu. Se puder mandar noticias agradeceria.
At
SANDRA
Enviado por SANDRA CARVALHO - [email protected]