Leia as Histórias

Categoria - Paisagens e lugares Segundas intenções no Horto Florestal Autor(a): Alvair Teixeira - Conheça esse autor
História publicada em 13/07/2007
Ainda muito presente em minha memória, aquele passeio ao Horto Florestal com a turma do Colégio (Colégio Estadual da Água Fria), ali no início dos anos 70, carregava uma expectativa muito grande de ter oportunidade de declarar meu amor à Leslie - nome de atriz de Hollywood, uma menina de cabelos negros, olhos espertos e um sorriso lindo. Tudo acertado para irmos, uma turma de meninos e meninas, uma vitrola - daquelas de alto falante na tampa, colorida, alguns discos de vinil - Credence tocando Have you ever seen the rain - e o frescor de nossa adolescência. Os casais de quase crianças se formaram naturalmente e os deslocamentos pelas trilhas do horto começaram a acontecer. Conversamos, eu e a Leslie, muito, mas, para minha decepção, nada mais aconteceu. Nenhum beijo, nenhum abraço, nenhum amasso. O amor durou talvez somente mais uma ou duas semanas até que uma lourinha de minha turma me chamasse mais a atenção do que a Leslie que certamente não gostara de meu pouco jeito de lidar com as meninas. O tempo passou, dois casamentos, viajei boa parte do mundo, moro hoje em outra cidade, mas ainda trabalho aqui em São Paulo e ouvindo a CBN ontem a respeito dos Parques desta cidade, lembrei-me desta história que me remete a um tempo que os adolescentes se permitiam deslocar de um local a outro sem qualquer risco de assaltos, seqüestros, violências, etc... e com sua principal razão de tristeza sendo somente a profunda mágoa de um beijo perdido, de um abraço negado e de um amasso contido.

e-mail do autor: [email protected] E-mail: [email protected]
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 16/12/2007 Alvair, amei sua doce e "inocente" história. Tb tenho uma, não é bem uma história no Horto mas que passa pelo Horto. Para começar gostaria de receber fotos da rua Tenente Julio Prado Neves. Enviado por kika - [email protected]
Publicado em 28/08/2007 A Léslie também não encontrei, mas o Horto continua o mesmo, caro Alvair. Também o frequentei na década de 70 e, após anos afastado, hoje moro ao lado e corro lá 3x na semana. É o melhor lugar pra se morar em São Paulo pois está junto a Serra da Cantareira, a maior floresta urbana do mundo. Se vc. voltar vai ver que pouco mudou, aproveite e visite a Pedra Grande ao lado do Horto, donde se observa toda a cidade de São Paulo, após uma boa caminhada num aclive de ~ 1/2 hora e ladeado por uma bela Mata Atlântica. Sorte, Paulo W Enviado por Paulo W - [email protected]
Publicado em 19/07/2007 MInha família e a de uma tia adorávamos passear no horto. Tenho até algumas fotos, em branco e preto, já amareladas de passeio lá. Na época ninguém tinha carro, mas não deixávamos de passear e bastante. Tomávamos ônibus até o centro da cidade para pegar o ônibus Horto Florestal e era longa a jornada. Mas nada impedia a alegria, até descobrirmos que o Horto ficava bem perto do nosso bairro, Itaberaba/Freguesia do Ó. No máximo 15 minutos de táxi que compensava tomar por ser perto. Não tínhamos a noção de direção da cidade e nos deslocávamos ao centro (40 ms do nosso bairro) para voltarmos. O mais importante em tudo isto é perceber que antigamente enfrentávamos mais os obstáculos para conseguir algumas alegrias. Claro que o mundo adverso e violento de hoje estraga muita expectativa, mas vale tentar alguma coisa, não vale? Enviado por Vera Lúcia de Angelis - [email protected]
Publicado em 14/07/2007 Junte-se ao clube. Quase todo mundo neste site tem amores impossíveis, e beijos que não foram dados para contar. Enviado por Luiz S.Saidenberg - [email protected]
Publicado em 13/07/2007 Alvair. Em 1955, a turma do senai que tinha a marcenaria, como estudo, foi fazer uma visita no Horto Florestal. era para se ver madeiras de lei que lá tinha. Ao chegarmos, passamos pela casa do governador dar aquela relaxada. Quando iamos entrar no pavilhão onde estavam as tais madeiras de lei, eis que surge a nossa frente um gramado que fazia inveja a muito clubes de futebol. era o campo do Silvicutura, um dos grandes clubes da varzea. Bem se realmente tinha as tais madeiras de lei não sei. So sei que eu, e mais uns dez alunos, ficamos jogando bola que alguem levou, até o professor dizer que estava na hora de voltar ao Bras. Enviado por MARIO LOPOMO - [email protected]
Publicado em 13/07/2007 Alvair, há coisa de 3 anos estive almoçando num restaurante dentro do Horto. O Horto contínua lindo, a comida muito boa, os macacos divertidíssimos, mas não encontrei a sua Leslie nem as minhas Anita, Marilda, Marilan etc e etc Enviado por Antonio Souto - [email protected]
« Anterior 1 Próxima »