Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias Um mundo dentro d’outro Autor(a): Modesto Laruccia - Conheça esse autor
História publicada em 07/04/2015
Por mais que se queira esquivar, estamos todos envolvidos dentro de um esquema único de coexistência: pacífica, litigante, amorosa, odiosa, relaxante e deslumbrante. 
 
Tudo e mais de uma centena de conceitos advindos de quem vive nesta que é a grande e fabulosa cidade de São Paulo. Pra muitos a vida, hoje está bem mais difícil, mais espinhosa, sacrificante. Não vou filosofar sobre o que é vida. Mesmo porque, faltam, a mim, recursos elementares para, pelo menos dar uma sugestão. 
 
Debrucei-me sobre o assunto por ter sido ontem, 08/03, dia consagrado a mulher e, por motivos “saudáveis”, não tive oportunidade de uma linha, sequer. Mas, não importa, de tão boa que são, elas vão me perdoar. 
 
Falar sobre mulher não existe parâmetro sobre tempo, local, época, nada impede que seja já ou o próximo século, sempre é um bom momento.
 
Existem países ou religiões que mantém a mulher segregada, afastada de tudo, chegando até proibir a exibição do seu rosto, além do corpo e as pernas. Nada contra, cada país dentro de seus hábitos, costumes e tradições.
 
Mas, não é de poucos milênios atrás que a mulher foi colocada em posição secundária com relação ao homem. De forma que, ainda persistem estes comportamentos que não deixam de espicaçar a curiosidade por serem costumes milenares.
 
Não é de hoje que se costuma taxar a mulher como “sexo-frágil”. Mentira, falsidade essa, milenar. A mulher é e sempre foi superior em tudo com relação ao homem. 
 
Em poucas palavras, passo a exemplificar determinados costumes que comprovam o que digo. Os árabes tem o direito de ter várias mulheres, desde que sustentem todas elas. Árabe não é nenhum bobo, sabem da inteligência delas, se servem delas sempre nas intimidades, partilhada uma por uma, com todas elas. No tempo de Jesus Cristo, só as mulheres eram penitenciadas num caso de traição conjugal, apedrejadas até morrer. Os homens, não, mesmo com os ensinamentos de Jesus Cristo, elas continuam a terem este tratamento. A própria natureza dos irracionais, sem nenhuma preocupação com o cargo, os machos submetem-se ao jugo feminino sem nenhuma “reclamação”. Vejam as abelhas, “rainha-mãe”, depois de copular, na sua elevada concupiscência, dá uma ferroada no seu par e pronto, manda vir outro; vejam os leões, a leoa vai a caça, preocupada em alimentar os filhotes enquanto o leão, exemplo de aposentado, deitado na grama enquanto os filhotes rolam por cima dele.
 
Felizmente isso está mudando, no mundo moderno, a mulher já tem seu lugar na sociedade assegurado pela sua capacidade intelectual, pela sua força e saudável composição física, resistindo muito mais do que os homens, em qualquer doença contraída. Às vezes faço um levantamento sobre amigos, vizinhos e conhecidos, o número de viúvas é bem maior do que viúvos. Quando a mulher enviúva, suporta solidão muito mais do que os viúvos. Por isso é que o mundo das mulheres é outro mundo. Os homens sempre subjugaram as mulheres com medo de sua esperteza, sabedoria, força, dinamismo, visão além dos atributos que só a mulher possui, ser MÃE.
 
Faço essa homenagem as mulheres que nunca me abandonaram, minhas avós, minhas tias, minha mãe, minhas irmãs, minha mulher Myrtes, minhas filhas e minhas netas.
 
E-mail: modesto.laruccia@hotmail.com
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 21/04/2015

É Modesto, dar valor a mulher é realmente muito belo, são nelas que nos apoiamos quando nos primeiros passos, a primeira palavra é sempre "mamãe"

e quando nós temos alguma dor por pequena que for eram nossas mães que primeiro nos socorriam, lembrar se nossas mães é lembrar de uma santa que nos deu a oportunidade de junto de nosso pai estarmos hoje cumprindo nossa missão aqui neste orbe sagrado, a terra, local de resgates de nossos erros passados, parabens Modesto, por mais que fazemos nunca conseguiremos pagar o favor que nossas mães nos fizeram, abençoadas todas elas. Marquezin

Enviado por João Marquezin - joaomarquezin@yahoo.com.br
Publicado em 14/04/2015

Parabéns, meu querido Modesto. É muito elegante um homem ter esse reconhecimento, pois a nossa vida não é fácil. Sempre carregadas de tarefas espinhosas, compromissos, sonhos, responsabilidades sem fim. Agradeço e me sinto honrada com a sua sensibilidade. Peço desculpas pelo atraso nos comentários... é que eu ando um pouco mais atarefada que o normal. Coisas que só acontecem com quem vive. Um abraço, meu querido amigo.

Enviado por Vera Moratta - vmoratta@terra.com.br
Publicado em 11/04/2015

Mo meu amigo, novo texto e nova oportunidade de demonstrar sua capacidade de pensar e de levar para o papel (telinha) textos tão coerentes. Valeu te ler novamente!

Enviado por Miguel S. G. Chammas - misagaxa@terra.com.br
Publicado em 08/04/2015

Quantas mulheres são chefes de família e sustentam os filhos sozinhas...Eu jamais deixaria pai de um filho meu impune se não ajudasse na criação.

Como disse a Marina grande parte das mulheres tem parceiros omissos que apenas trabalham fora tanto ou menos que suas mulheres e em casa se sentem um rei esperando tudo na mão.

Enviado por Walquiria - walquiriarocha@yahoo.com.br
Publicado em 08/04/2015

Permita-me tomar por minhas as suas palavras.

Enviado por Marcos Aurélio Loureiro - marcoslur_ti@yahoo.com.br
Publicado em 08/04/2015

Bela homenagem Modesto. Nós conquistamos vários espaços, creio que um dos mais importantes é o de reclamar, reivindicar. Devo declarar, como mulher ativa que sempre fui, o meu orgulhoso de ter coragem para lutar, trabalhar fora, cuidar da família, fazer um monte de coisas ao mesmo tempo. Mas sabe de uma coisa? Grande parte das mulheres lutadoras tem parceiros que se acomodam, sobrecarregando-as. Esta foi a minha realidade e de muitas outras. Nem 8 nem 80! (rs)

Enviado por Marina Moreno Leite Gentile - dagazema@gmail.com
Publicado em 07/04/2015

Modesto, você está coberto de razões, realmente as mulheres merecem uma homenagem como a que você está prestando na qual eu tomo a liberdade de me incluir,como dizia uma velha música "O Homem sem Mulher não vale nada", parabéns pelo texto.

Enviado por Nelinho - lt.ltesser@hotmail.com
Publicado em 07/04/2015

Caro Modesto: contestar o que! então viva as mulheres.

Parabéns; como sempre você nos concede a alegria de ler seus textos.

abc.

Heitor

Enviado por Heitor Iório - hiorio@imjm.com.br
Publicado em 07/04/2015

parabéns modesto,uma bela homenagem as lindas mulheres de todo o mundo.

inclusive as mulheres feias.(bricadeira)

modesto no passado assisti um filme, que nunca mais eu esqueci,

NENHUMA MULHER VALE TANTO,com ALLAN LADD,e ARLENE DAHAL,

Enviado por João Cláudio Capasso - jccapasso2@hotmail.com
Publicado em 07/04/2015

Modesto, compartilho com você da sua opinião, pena que ainda em muitos países a mulher ainda vive como na idade média e aqui no Brasil é espantoso o que muito delas sofrem ainda com os parceiros, mas você foi feliz nessa homenagem clara e bem feita, parabéns, Estan.

Enviado por Estanislau Rybczynski - estan_tec@hotmail.com
« Anterior 1 Próxima »