Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias Por um Natal maior Autor(a): Vera Moratta - Conheça esse autor
História publicada em 19/12/2014
Quando chega aquele tempo ensolarado, ainda primaveril, com perfumes das flores cantando “oh! abre alas, que eu quero passar”, aprece até que o monóxido de carbono resolve, um pouco, se recolher aos seus limites e crueldades. Chega o tempo do sol de quase dezembro, eu voooou... os planos se desenham com olhar mais alegre e brilhante.
 
Os lojistas se preparam para comemorar, falar de tantos por cento do aumento do faturamento em “relação ao mesmo período do ano passado”. Que coisa chata ouvir isso!
 
E como são convidativas as luzes, as cores, as carinhas gorduchas de tantos Papais Noéis espalhados pelo Brasil varonil e todos fazendo rou rou rou... muita magia, promessas e esperanças de bons presentes! 
 
A ceia tão especial, o pernil douradinho, o frango assado e aquela crocância de despertar o apetite e a atenção, o arroz com passas, a maionese gelada... alguma novidade e o panetone cortado em fatias um pouco mais generosas. Fica muito bom também com o café, logo cedo. As sobremesas... tem que ter mousse de maracujá, algum sorvete. O cardápio é prá lá de criativo e convidativo a uns quilos a mais. Tem nada não: na segunda a gente começa o regime e vai prá caminhada... Sem contar a eterna cantilena: “não como para estar desse tamanho. O meu problema é genético”...
 
Ah! O barulho dos papeis de presente... que gostosura o farfalhar do celofane, dos pacotes cuidadosamente elaborados, as fitas que caem e ficam esquecidas no braço do sofá até o dia seguinte... O selinho estampado “com carinho” ou com “boas festas” rapidamente se rasga e se confunde com o papel que vinha embrulhando a garrafa de vinho da promoção para aquele tio que não bebe, mas foi o que deu prá comprar.
 
É rápido e tudo acaba. Rápido demais. Depois, tem a louça para lavar. Haja copo! Limpar a casa, dobrar os papeis de presente e colocá-los na reciclagem. Curtir os presentes novos. Pronto: acabou. É finito.
 
Eu penso que o Natal pode ser bem mais duradouro. Até porque fico pensando no aniversariante lá em cima, penduradinho numa nuvem, pensativo, balançando as pernas, coçando a barbinha e perguntando: “e eu?”
 
“É meu aniversário e poucos se lembraram de mim, de me abraçar, de dizer que gostam de mim e que a minha dor serviu para que o mundo pudesse se transformar”.
 
Possivelmente o aniversariante está olhando abismado para os abraços sinceros que não existiram, as declarações de respeito que ficaram para depois, o sorriso verdadeiro com o sabor da vitória pela superação de tantos dramas do cotidiano, a gratidão pela vida, o mais adorável presente dado pelo Pai Eterno, também ficaram para qualquer hora.
 
Acho que não deu tempo. Quem sabe muitos se esqueceram de abraçar e pedir perdão pelas agressões, pelo descaso, pelo desprezo porque estavam fazendo um selfie e postando suas curtidas no facebook. Afinal, ninguém é de ferro, convenhamos!
 
E eu continuo acreditando que o Natal pode ser bom e durar mais tempo. A sua preparação deve começar a cada primeiro de janeiro. Internamente, com calma e decisão, amor e gratidão, construindo o presente para o aniversariante: o agradecimento a toda a espiritualidade deve começar logo pela manhã, a honra ao pai e à mãe deve ser burilado dia após dia, o amor ao trabalho honesto deve estar incorporado na carne qual tatuagem para toda uma vida. 
 
O valor ao conhecimento também deve estar impregnando a alma e esse saber tem que ser sempre dividido para que a humanidade tenha sempre condições de evoluir. O respeito com a vida, a sociedade, a coisa pública, a ética, a humildade e a decência sejam aprendidos na barriga da mãe, bem antes da saída da maternidade. E que a paternidade seja responsável e amorosa. E que todas as religiões falem aos corações. E que as escolas falem alto e com decisão sobre ganhos e perdas e não pratiquem nenhum ato de apoio ao desleixo moral.
 
E que os avós sejam ouvidos e respeitados. E amados. Acariciados. Sejam benditos.
 
Um Natal que continue em fevereiro mesmo com o carnaval. Em março com a chegada do outono... Que os ventos uivantes da estação levem para longe a nossa descrença, o desânimo, a ingratidão e a solidão. Levem também o nosso orgulho, fonte de tantas maldades.
 
Que no Natal se abrace. Que tenhamos a coragem e a sensatez de abrimos os braços qual Cristo Redentor para nos aproximarmos dos nossos iguais e passarmos a energia, coração com coração, tocarmos nos rostos com alegria, nos colocarmos à disposição para que Jesus entre no peito qual luz eterna. Sem medo.
 
Desejo a todos um Natal em que possamos ter a coragem de exercitar o amor ao próximo, de não nos envergonharmos do nosso tamanho tão diminuto e que possamos rir das nossas próprias limitações e nos aproximarmos do outro como quem busca e pode dar afeto, sopro de vida, mais vida. Que tenhamos a coragem de aprender a falar. Sim: falar com responsabilidade e não dispararmos contra aqueles que não acreditamos ou não aceitamos por nos acharmos grandes demais.
 
Um Natal do abraço apertado, quente, para ficar inesquecível. Com amorosidade intensa. De alma inteira. Com exercício do perdão por mais difícil que ele seja. Um abraço de acolhida... por toda a vida.
E-mail: vmoratta@terra.com.br
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 08/01/2015

Linda mensagem de Natal, Vera e muitro oportuno falar de um aniversariante que nem é citado em muitos lares, espero que o seu Natal e seu Ano novo tenha sido completo, com muitas alegrias, e ficou linda a foto de vocês . Beijos no coração.

Enviado por Julia Poggetti Fernandes Gil - gibajuba@yahoo.com.br
Publicado em 03/01/2015

Vera, só hoje abri o e-mail e devo aquí lhe parabenizar pelas suas oportunas palavras, realmente estamos todos precisando repensar nossos atos e lembrar do Aniversariante e dar a Ele o presente que com certeza está esperando de nós.

Enviado por Nelinho - lt.ltesser@hotmail.com
Publicado em 29/12/2014

Pois irmã. Mesmo atrasado, um que o seu Natal tenha sido um Natal de verdade e que o Ano Novo possa ser realmente novo. Paz irmã, paz,paz e paz.

Enviado por Marcos Aurélio Loureiro - marcoslur_ti@yahoo.com.br
Publicado em 23/12/2014

Todo o Natal,eu peço ao menino Jesus que ajude ao mundo a encontrar a PAZ e que ninguém mais acorde sem ter o pão e o alimento do dia...

Enviado por Walquiria - walquiriarocha@yahoo.com.br
Publicado em 22/12/2014

E verdade Vera ! o aniversario e dele , e muita gente nem se lembra , mas vamos tentar ser as execoes e orar pelo menos e pedir a ele perdao pela maioria , e que ele nos de paz e harmonia para continuar nossas vidas com saude . Obrigado pelas saudacoes natalinas e da mesma forma lhes desejo a voce e a sua familia um Natal Feliz e um Ano Novo

prospero e saudavel .Abracos Felix

Enviado por João Felix - jfvilanova@gmail.com
Publicado em 21/12/2014

Que linda e sábia crônica sobre o Natal e a vida.Que o espírito da gratidão e solidariedade humana imprimidos em suas palavras estejam presentes em nossos corações todos os dias.Um grande abraço! Feliz Natal e Boas Festas!

Enviado por Ana Maris de Figueiredo Ribeiro - anamarisribeiro@ig.com.br
Publicado em 21/12/2014

Mensagem natalina em que abrange todos os trâmites envolventes de nossa existência. A Morato tem o dom inquestionável de cercar tudo o que envolve nossos sentimentos, nossas reações, nossas preocupações enfim nossos pensamentos como se ela, nossa querida Vera, na sua incomparável verve penetra em nossos pensamentos, em nossos corações, sem intervir de forma drástica porém com moderação, nos guia pra uma saudação ao Criador por sermos o que somos, seres humanos ainda em formação porém, com ganhos na busca DE NOSSA FORMAÇÃO.

Querida Vera, vc não escreve, apenas ganha nossa alma, nos conquista, nos envolve, nos tira do nosso dia-a-dia pra elevar nosso humanismo numa metáfora sonhada, impossível de ser alcançada porém, perfeitamente accessível. Um Santo e Feliz Natal e um grande 2015 pra vc e toda sua família. Um forte abraço e parabéns, querida.

Modesto

Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
Publicado em 19/12/2014

Vera, digo amém, e natal maior só com Jesus Cristo, parabéns, pelo texto e Feliz dia do advento,Estan.

Enviado por Estanislau Rybczynski - estan_tec@hotmail.com
Publicado em 19/12/2014

Vera minha amiga, já tive, nos antigamente, Natais tão bons como os que você descreveu na primeira fase deste texto.

Para mim o tempo passou depressa demais e, um dia, quando percebi, já não tinha mais ninguém ao meu lado. Filhos, netos, parentes, amigos, já não vinham me abraçar, minha mãezinha também partiu(coincidentemente numa tarde de 25 de dezembro) e foi sentar-se à mesa do Aniversariante.

Tive, então, de buscar outra família, agora bem menor e me adaptar a novas, para mim, comemorações.

Aquelas de antes já não povoam meus pensamentos.

Enfim, cada vez mais me coloco disponível para cumprimentar o Aniversariante e esperar que Ele me chame para sua mesa.

Bem, chega de "desabafadices" e "caraminholices" que gostam de borbulhar na minha mente.

Espero que você, amiga, tenha um Natal maravilhoso junto com os teus familiares. e, por favor, escreva sempre mais.

Enviado por Miguel S. G. Chammas - misagaxa@terra.com.br
« Anterior 1 Próxima »