Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias Memórias de Pinheiros II Autor(a): Miguel S. G. Chammas - Conheça esse autor
História publicada em 27/02/2015
Fecho os olhos e as minhas lembranças sobre Pinheiros vão chegando. Podem não vir numa sequência cronológica, mas são memórias e assim devem ser registradas para cumprimento de uma decisão que tomei de contá-las.
 
Olha lá, com meus 14 anos. Era o ano de 1954, eu morava no casarão da Rua Augusta, 291 e tinha como meu grande e dileto amigo o Zilando, que também tinha morado na Rua Augusta e que estava residindo, então, na Rua Marques de Paranaguá, quase esquina da Rua da Consolação, onde seus pais mantinham uma pensão.
 
O velho Freitas, pai de Zilando, era proprietário de uma chácara no Rio Pequeno, com uma deliciosa piscina e nós costumávamos ir passar fins de semana por lá, era muito legal. Lembro que para chegar em Rio Pequeno era quase uma viagem, tomávamos o Bonde Pinheiros na Rua da Consolação e íamos até o Largo de Pinheiros. 
 
Descendo do bonde, andávamos até a Rua Butantã, onde ficava o ponto terminal do ônibus Rio Pequeno. O trajeto até Rio Pequeno era por mais uma hora e, depois, tínhamos que caminhar um bom pedaço até a chácara.
 
Lembro, ainda, que em um desses fins de semana, não tive como ir junto com toda a turma. Não lembro o motivo que me impediu, mas lembro que fiquei bastante triste por estar privado desse passeio. 
 
Porém, como nem tudo é tristeza na vida de um jovem que, na época, deveria estar beirando seus 15 anos, consegui me desvencilhar dos impeditivos no sábado e, pegando uma maleta de roupas, fui em busca das brincadeiras junto com o Zilando, o Juca Batista e o Sérgio.
 
Embarquei no bonde, desci no Largo de Pinheiros e antes de embarcar no ônibus resolvi comprar algo “quente” para aquecer nossos dias na chácara. Parei em um bar da Rua Butantã, comprei um litro da deliciosa “Caninha d’Ó”.
 
Cheguei na chácara quase na hora da janta, depois das efusivas recepções mostrei o beberico e decidimos tomar um trago. Eu estava tão cansado que depois de alguns goles, não aguentei e dormi sobre o prato de comida.
 
Foi uma grande aventura esta passagem que acabei de registrar.
 
Estou gostando da brincadeira. Aguardem outras estórias virão.
 
E-mail: misagaxa@terra.com.br
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 06/03/2015

Miguel e suas "aventuras", desta vez perto donde moro. Interessante, miguel, vc consumindo sua juventude em folguedos sadios, apesar de regados com cachaça que não é nem era um desvio de conduta. Sabendo beber, nada pode ocorrer. Parabéns, compadre.

Laru

Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
Publicado em 02/03/2015

Miguel, o que você relatou tem nome: felicidade, estar no lugar certo, vivendo a juventude da maneira mais sadia. Parabéns mesmo. Um abraço.

Enviado por Vera Moratta - vmoratta@terra.com.br
Publicado em 02/03/2015

Como é bom recordar os momentos da infância e da juventude que nos marcaram...são passagens as vezes tristes as vezes alegres com muita luta com ou sem travessuras mas as vezes acendem em nossas recordações nos fazendo sorrir por dentro...

Enviado por Walquiria - walquiriarocha@yahoo.com.br
Publicado em 28/02/2015

Miguel, que legal era a época dos anos 50. Com 14 anos comprava-se sem problema 1 litro de caninha e não se tornava um ébrio mas sim um grande autor como você do site SPMC. Hoje só e possível comprar depois dos 18 anos e quem compra geralmente se não se tornar um ébrio, eventualmente poderá também se tornar um autor de ... mil e uma complicações. Abraços - Capuano

Enviado por Roberto Capuano - robertocapuano@grafixdigital.com.br
Publicado em 28/02/2015

Miguel, aos 15 anos agente comete atos que até Deus duvida, pena que você não pode aproveitar o dia pois acaninha que você ingeriu agiu prontamente,parabéns pelo etílico texto.

Enviado por Nelinho - lt.ltesser@hotmail.com
Publicado em 28/02/2015

lembranças da nossa infância são maravilhosas,

eu também as vezes fico lembrando das nossas brincadeiras de crianças,

em pinheiros. joguei muito futebol nos campos do areiao, hoje e um super mercado.

Enviado por João Cláudio Capasso - jccapasso2@hotmail.com
« Anterior 1 Próxima »