Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias Relatos de viagem I Autor(a): Julia Poggetti Fernandes Gil - Conheça esse autor
História publicada em 01/12/2014
Mais uma vez volto à São Paulo, em 14 de setembro de 2014.
 
Como minha irmã já havia voltado à casa de repouso, e naquelas redondezas só teríamos o Ragazzo da Rua Vergueiro com a Av.Gentil de Moura como opção, resolvemos nos encontrar na estação Paraíso e procurar algum restaurante nas imediações. Encontramos um ótimo restaurante de especialidades árabes chamado Jaber, ele fica na Rua Domingos de Morais, 86.
 
A comida é excelente, o atendimento é ótimo, o preço um pouco salgado, mas vale a pena.
 
Pedimos um tabule, uma coalhada seca e quibe de bandeja. Serve bem duas pessoas, para adoçar a vida, um pedaço de halawi que dividimos.
 
Quando fomos pagar a conta, perguntei se aceitavam cartão e o garçom disse que só não aceitava vale-transporte, por que não tinha a maquininha, aí eu disse: “Então arruma uma maquininha para passar o vale-transporte assim nossa conta sai na faixa, pois já somos idosas”. Foi só risada.
 
Passamos no Pão de Açúcar e compramos um sorbet de maracujá zero açúcar e um H2O zero açúcar, para comemorar com a Li. Pegamos o metrô na estação Ana Rosa e fomos para a casa de repouso no Alto do Ipiranga.
 
Desta vez, ela nos reconheceu, e já foi logo agradecendo por ter feito a manicure dela.
 
Verifiquei que era necessário refazer as unhas das mãos, os pés ainda podiam esperar a próxima visita.
 
Depois de retirar o esmalte antigo, a Silvia foi aparando e lixando as unhas e eu passei um novo esmalte que ela escolheu, desta vez ficou bem melhor.
 
Arrumamos o cabelinho dela e colocamos uma tiara para a sessão de fotos.
 
Em seguida, Silvia foi preparando nosso “sorbet de maracujá” com H2O, que batizei de “Vaca amarela”. A Silvia batizou de “Ovelhinha”.
 
Brindamos e nos deliciamos juntas.
 
Logo que chegamos, contou-nos que uma amiga minha tinha ido visitá-la no dia anterior e havia levado um bolo de fubá delicioso. Perguntei se era a Walquiria e ela disse que não sabia, mas que era minha amiga. Também disse que a Walquiria gosta muito de conversar e tem assuntos interessantes que ela tem gostado muito das visitas.
 
Pegamos uma revista Veja para ler um pouco, e Silvia escolheu uma reportagem do Costa Concórdia que afundou na ilha de Giglio, aquele em que o comandante deixou os passageiros a ver navios.
 
Quando a Silvia leu o nome do capitão do navio, Francesco Schettino, eu falei: “mas esse Francesco Schettino é o próprio Scretino”. Aí foi só risada. O triste é que o Scretino para “saudar“ o Porto e fazer graça para uma namorada acabou com a vida de 32 pessoas.
 
Antes de nos despedir, chegou o filho dela, conversamos um pouco e já estava na hora do retorno, nos despedimos e o filho ficou com ela.
 
Desta vez foi mais leve a visita à mana.
 
E-mail: gibajuba@yahoo.com.br
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 07/12/2014

Obrigada, queridos amigos do site por comentarem esses textos, e principalmente à você Wal, que tem participado ao vivo e à cores dessas histórias.

Abraços à todos vocês.

Enviado por Julia Poggetti Fernandes Gil - gibajuba@yahoo.com.br
Publicado em 03/12/2014

Julia! prazer em conhece-las ainda que por via eletrônica, parabéns por essa sua atenção para com sua querida irmâ, parabéns pelo texto.

Enviado por Nelinho - lt.ltesser@hotmail.com
Publicado em 03/12/2014

Querido Luiz,peço licença para a Júlia por ocupar o espaço dela para dizer a voce que eu me sinto muito igual ao meu próximo(lógico que estou falando de pessoas do bem)Tenho um senso muito grande de cidadânia e de soliedariedade com as pessoas,sou extremamente feliz e de bem com a vida .A gratidão de tudo o que tenho,desde financeiramente até a saúde de todos os filhos e netos e familiares,me faz ser todos os dias infinitamente grata a Deus e a minha mãe que me conduziu a tudo isso.Voce lembra a 50 anos atras,quando os políticos colocavam grandes faixas de pano com propagandas nas ruas,minha mãe depois das eleiçoes saía com a gente para recolhermos todas estas faixas que eram de algodão macio e lavava-as tirando as tintas(lembrando que era com água do poço,e sabão feito em casa)e cortava dezenas quase centenas de fraldas e fazia baínha de acamento na sua velha máquina, em todas e as levava para mães muito pobres que tinham bebês ou que estavam grávidas,lembrando que só existia fraldas de pano nesta época.Viu agora com quem aprendi???

Enviado por Walquiria - walquiriarocha@yahoo.com.br
Publicado em 02/12/2014

Bela história e relato da visita para a irmã.Interessante também a descrição e dica do restaurante da Vergueiro e também a foto que ilustrou a história,ficou muito boa.Parabéns!

Enviado por Ana Maris de Figueiredo Ribeiro - anamarisribeiro@ig.com.br
Publicado em 02/12/2014

Walquiria:

Há algum tempo escrevi a respeito da diferença entre caridade e solidariedade, segundo meu conceito...

Voce não pratica caridade; pois não espera troco divino...

Voce pratica solidariedade......ajuda,simplesmente ajuda....e fim....

Pessoas como voce, me fazem,ainda, acreditar no ser humano..

Abraço

Enviado por Luiz C. Peron - luizcperon@bol.com.br
Publicado em 02/12/2014

Julia sua irmã é uma gracinha!

E vc com esse sorriso , é demais.

Enviado por Benedita Alves dos Anjos - dosanjos81@gmail.com
Publicado em 02/12/2014

Julia já pensou se todos os dias fossem assim ? Como diziam na na nossa época "Legal" . Abraços Aureliano ...

Enviado por José Aureliano Oliveira - joseaurelianooliveira.aureliano@yahoo.com.br
Publicado em 01/12/2014

Mais uma visita a querida irmã, contada com muito carinho e respeito, mostrando a fraternal índole que repousa em seu coração. Parabéns, Poggetti.

Modesto

Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
Publicado em 01/12/2014

Júlia, confesso que me emocionei, mais uma vez, ao ler o seu relato. O amor, a amizade profunda e verdadeira entre irmãs é uma grande bênção e que vale este e tantos outros textos. Parabéns pelo respeito, pela união, pelo carinho transbordante entre vocês. E que simpatia as duas irmãzinhas!!! Um abraço imenso para essas garotas tão simpáticas e muito queridas.

Enviado por Vera Moratta - vmoratta@terra.com.br
Publicado em 01/12/2014

Que lindo Julia!!! imprimi esta foto e saí mostrando para todo mundo igual uma criança...Olhem minha amiga do site!!olhem a irmã dela que agora também é minha amiga e que eu vou visitar, que linda !!

Fiquei saltitante o dia todo em ver voces.Obrigada por esta linda foto...

Enviado por Walquiria - walquiriarocha@yahoo.com.br
« Anterior 1 2 Próxima »