Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias Eu, cantor. Autor(a): Luiz C. Peron - Conheça esse autor
História publicada em 22/09/2014
A essa hora, estou procurando na internet como passar o tempo antes de dormir...
 
Lá vou eu, tentando encontrar algo de interessante, que me distraía, até o sono me forçar a desligar o computador.
 
Adoro ouvir músicas. Ouvir, pois, embora as mesmas me fascinem, não tenho o menor dom em dominá-las.
 
Quando jovem, adquiri um álbum de músicas clássicas ligeiras, se não me engano das "seleções", e ficava curtindo trechos de óperas: La Traviatta, Aída Cavalaria Rusticana, Bolero de Ravel, Caprichio Italiano, etc.
 
E daí, a danada da memória, me levou ao Zaccaro, o italianíssimo...
 
Eu trabalhava na empresa patrocinadora do programa que ele apresentava, na Tv Bandeirantes, com o produto "Italian Pine", desodorante masculino.  Nas "convenções de vendas" no final do ano, o tal apresentador, era sempre convidado a fazer o show de encerramento da emissora.
 
Um dos diretores da empresa era um italiano, com quem o apresentador tinha ótimo relacionamento. Num aniversário do dito cujo, Zaccaro, promoveu um "jantar", num salão de festas que mantinha no Cambuci.
 
E lá entre vinhos, calabresas e petiscos passamos horas descontraídas. Zaccaro tinha uma equipe musical de cantores, obviamente de músicas italianas. E após algumas horas, começaram a desfilar tais artistas, e nós sentados em mesas, curtíamos as cançonetas.
 
Um deles, um baixinho e gordinho, de voz possante, começou a cantar "funi cuni, funi culá", empolgando a platéia, que cantava junto. Passando de mesa em mesa, oferecia o microfone aos presentes, para entoar o refrão da música. Ao tentar-me no “Ah, Ah”, bradou:
 
- Parem, parem!
 
A música parou. E ele, em alto e bom som, disse:
 
- Aqui temos um gênio - me apontando -, Ele conseguiu, numa nota só: desafinar, atravessar, sair do tom... É uma raridade pessoal, poucas pessoas são capazes de fazer tanto em tão pouco tempo...
 
Gargalhada geral: gozação pra semana inteira!
 
Bons tempos!
 
E-mail: luizcperon@bol.com.br
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 26/09/2014

Peron, não importa que voce desafine, o importante é cantar sempre para manter o espírito alegre mesmo nos piores momentos, parabéns pelo seu texto.

Enviado por Nelinho - lt.ltesser@hotmail.com
Publicado em 26/09/2014

Luiz, como é bom viver e ter casos interessantes e divertidos para contar. Parabéns pela experiência. Um abraço.

Enviado por Vera Moratta - vmoratta@terra.com.br
Publicado em 25/09/2014

PERON, SÓ FALTOU MESMO VOCÊ ESQUECER A LETRA, NÉ? (RISOS) ADOREI A HISTORIA, PARABÉNS

Enviado por Arthur Miranda (Tutu) - 27.miranda@gmail.com
Publicado em 24/09/2014

Se você disser que eu desafino amor;

Saiba que isso em mim provoca imensa dor.

Só privilegiados tem ouvido igual ao seu.

Eu possou apenas o que DEUS me deu.

Pois é Luiz, também sou uma lástima cantarolando, ainda bem que o João Gilberto nos entende perfeitamente.

Abraços.

Enviado por Julia Poggetti Fernandes Gil - gibajuba@yahoo.com.br
Publicado em 24/09/2014

A ultima vez que fui na Cantina do Ropperto tinha uma dupla que cantava essa e outras mais Italianas

Muito bom

Parabens pela historia

Alexandre

Enviado por Alexandre Ronan da Silva - alexandreronan@gmail.com
Publicado em 23/09/2014

Pois é, Peron, estes momentos são inesquecíveis, malgrado não voltar mais, pelo menos fica registrado na sua (e na nossa, também...)memória, pra sempre. Parabéns, Luiz.

Modesto

Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
Publicado em 23/09/2014

"Quem canta seus males espanta" e voce espantou a todos...mas tentar cantar esta música é ser muito abusado não acha????

Enviado por Walquiria - walquiriarocha@yahoo.com.br
Publicado em 23/09/2014

Peron, você não me causa inveja não. Aliás, acho que seríamos um páreo duro, um para o outro, porque eu desafino até para espirrar.Pobre do meu pai que era um musicista de mão cheia.

Enviado por Marcos Aurélio Loureiro - marcoslur_ti@yahoo.com.br
Publicado em 22/09/2014

Luiz, mesmo desafinando você teve a coragem de soltar a voz sem medo de ser feliz. Hoje relembrando você está saudoso daquele momento, Tudo nesta vida vale a pena e vale um texto. Parabéns.

Enviado por Miguel S. G. Chammas - misagaxa@terra.com.br
Publicado em 22/09/2014

Luiz, você bem que poderia aproveitar esse seu raro “talento” para cantar funk.

Enviado por Abilio Macêdo - abilio.macedo@bol.com.br
« Anterior 1 Próxima »