Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias Chorando... outra vez ! Autor(a): João Felix - Conheça esse autor
História publicada em 23/07/2014
Tenho uma série de textos já escritos, lembrando momentos das “velhas” Copas do Mundo. Desses, quatro já foram publicados. Relembro como as vivi naqueles velhos tempos, dando destaque, inclusive, às curiosidades que aconteceram durante as disputas. 
 
Ia continuar com o próximo capítulo, de número cinco, mas com essa derrocada da nossa seleção resolvi parar. Não acredito que ninguém, mesmo que goste do futebol brasileiro como sempre gostei, tenha vontade de ler mais nada que trate desse assunto. Com todo o respeito, que tenho pelos nossos velhos craques da velha guarda. 
 
Quem sabe um dia, antes de eu partir, ainda sinta motivos para enviar as histórias que tenho. Destacando as de 1982 e 1986, com Tele Santana como o técnico - que merecia ter sido campeão pelo menos na Espanha, com aqueles times que dirigiu -, e também, a de 1994, copa que foi disputada aqui nos Estados Unidos, que tive oportunidade em acompanhar.
 
Voltando ao primeiro texto que foi publicado, lembro o quanto senti pela derrota do Brasil naquele dia. Chorei copiosamente no fim da partida, pois perdíamos a copa dentro de casa, de virada, por 2x1. Depois de fazer uma ótima apresentação, com goleadas de 7x1 e 6x1, contra Suécia e Espanha. Essa derrota ficou encravada na minha mente por muito tempo. 
 
Oito anos depois fomos campeões, o que foi amenizando a minha dor. Quatro anos depois seriamos bicampeões no Chile, e tricampeões em 1970. Minha geração foi premiada com esses craques maravilhosos, que jogavam um jogo bonito e vistoso, encantando o mundo com a bola conduzida de pé em pé, com passes perfeitos na direção da meta adversária. Era a inesquecível seleção canarinho.
 
Nunca imaginaria que, depois de 64 anos, iria voltar a chorar - já nos meus 80 anos. Não como em 1950, copiosamente, mas soluçando em ver nossa seleção ser horrorosamente humilhada, por um vexaminoso placar de 7x1. E quatro dias depois, por 3x0 (10 gols em 4 dias). Não era só pelo fato de perder mais uma oportunidade, de ganhar uma copa na nossa casa, mas a maneira em que perdemos tão catastroficamente. Além, de ficar observando a tremenda festa dos “hermanos”, no nosso quintal. Não festejando a vitória deles, mas a nossa desonrosa derrota. Eu vou sofrer intimamente por algum tempo, pelo que me resta neste mundo, pela idade que já alcancei. Mas sinto pena destas gerações de hoje, que terão que carregar essa humilhação por muito tempo, futebolisticamente falando.
 
Procurei encontrar adjetivos para qualificar essa inexplicável derrota, mas ela é inqualificável. Ela é vergonhosa mesmo, infelizmente.
 
Temos que entender que esta geração de atletas, não foi experiente o bastante para defender o nosso Brasil Penta Campeão, único país que participou de todas as vinte copas já realizadas. Por ser o país sede não disputamos as eliminatórias, e tivemos isso como desvantagem, perante os outros, que vieram todos preparados.
 
Mas, da maneira que eu vejo essa geração, é bem provável que ela não se classifique para o próximo mundial, pois terão 18 jogos pela frente, nesses próximos dois anos.
 
Agora teremos sempre que pensar duas vezes: “antes dos 7x1 e depois dos 7x1”.
 
Outra coisa que pesou, em excesso de confiança, foi a nossa vitória enganosa na copa das confederações. Um torneio de poucos jogos, em que fomos campeões, mas que não serviu para nada. Sinceramente, eu não tinha muita fé nessa seleção. Assisti ao jogo aqui em Miami no mês de dezembro, contra a seleção da Honduras, e mesmo com 5x0 no placar, não fiquei convencido. Tanto que para mim, era um sonho ter ido assistir a copa no Brasil, inclusive conhecer a Arena Corinthians.
 
Lá no fundo do meu coração, algo me dizia que eles não iriam fazer um bom papel. Quem nos dera, ter o México chegado em primeiro lugar no nosso grupo, assim teríamos enfrentado a Holanda, que com certeza nos teria derrotado por um placar mais honroso. Ou então, que aquela bola, nos minutos finais da prorrogação contra o Chile, não tivesse batido no travessão. Então estaríamos eliminados nas oitavas, e não teríamos que carregar essa mancha dos “7x1” no nosso currículo.
 
Só peco a Deus que ele nos ajude daqui para frente. Amém!
 
E-mail: jfvilanova@gmail.com
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 29/07/2014

Meu amigo,não consigo traçar nehum comentário sôbre futebol ou mesmo a copa do mundo.No dia da derrota do Brasil para a Alemanha,minha neta de 8 anos chorava copiosamente fazendo a gente chorar só de vê-la...Mas eu cheguei em frente a ela e disse:Minha linda,voce está tão arrazada quanto nós estamos...só que a gente tem a visão de que este desespêro e esta dôr é só nossa...os jogadores a semana que vem voltam para o exterior nos clubes em que jogam,e continuarão a ganhar rios de dinheiro,podendo até jogar fora e ainda continuarão ricos...e nós é que ficaremos aqui com as dívidas da copa e a vergonha de encarar o País do futebol ser apenas um nada... (nem um mísero terceiro lugar)Por isso não chore mais porque, são eles que tem que chorar por nós...

Enviado por Walquiria - walquiriarocha@yahoo.com.br
Publicado em 29/07/2014

Felix, atualmente eu já não estranho mais nada no futebol brasileiro, péssimos dirigentes, interesses comerciais, empresários gananciosos, transações mal explicadas, enfim tudo isso deu o resultado que aí está e você póde esperar dias piores se as coisas não mudarem, e vou mais além: para mim seleção tem que ser formada só por jogadores que estiverem atuando no país, chega de importar jogadores que estiverem atuando fóra do Brasil, parabéns pelo texto.

Enviado por Nelinho - lt.ltesser@hotmail.com
Publicado em 24/07/2014

Caríssimo fratelo, sua tristeza e amargura tem sua razão de ser, a real situação nos faz pensar em tantas coisas, João que tenho até medo de pensar. Será que houve mutretagem? nesse caso, não precisaria chegar aos malogrados "7". Vc não estava aqui e não via o Felipão, na TV "rasgando" a fantasia, faturando horrores com propaganda, ele e a esposa; os jogadores distribuindo sorrisos, alegria, dando a certeza "já ganhamos" de triste memória; um ufanismo falso, revoltante, hipócrita e descarado de tão sem vergonha, feitas por vários jogadores.

A equipe técnica, que a tudo assistiam e, se nós, pela TV, vendo os jogos, percebia-mos a diferença com os times da Europa, por que não se prepararam melhor?

Vc não vai ver, já começou a bandalheira das Olimpíadas, como nas Copas das Confederações, "RIO 2016" alardeando e gastando os "tubos" nos subfaturamentos, querendo "tapar o sol com a peneira",incentivando turismo, mostrando Copacabana e Leblon, "únicas atrações do Brasil inteiro". Deus me livre, nem quero pensar no que vai dar.

Querido brother, sua narrativa, impecável como sempre, não derramará prantos a toa, suas lágrimas iram umedecer a terra seca, árida e sem esperanças de brotar alguma erva que não seja daninha e aí, então, estaremos vingados. Abraços, Felix, vc já passou por momentos desagradáveis por isso, não se aborreça mais. Deixe a vida nos levar. Parabéns, querido amigo.

Laruccia.

Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
Publicado em 24/07/2014

Talvez, pior que essa derrota tenha sido a falta de caráter dos membros da comissão técnica em não assumi-la com dignidade e honra, mas talvez seja exigir muito de gente tão pequena. Que fiquemos nós, brasileiros, com esse gosto amargo na boca pelas décadas vindouras. Borges dizia que o esquecimento é a única vingança e o único perdão, vamos esquece-los. Grande abraço e parabéns pelas cronicas maravilhosas sobre nossas copas.

Enviado por Alfred Delatti - apdelatti@ig.com.br
Publicado em 23/07/2014

João, meu querido amigo, essa foi a primeira Copa que acompanhei de fato, com atenção, tentando assistir o maior número possível de jogos... infelizmente deu nisso. Como frequento colônias alemãs aqui em Santa e Bela Catarina, acho que compreendi um pouco o final. Parabéns pelo ótimo texto. um abraço.

Enviado por Vera Moratta - vmoratta@terra.com.br
Publicado em 23/07/2014

Vamos renovar e desenterrar e ressuscitar o Vicente Feola ou ir buscar o Lazarone, que conseguiu ficar em sem a Copa mas pelo menos invicto na Argentina. Querido Felix esqueça o insucesso da nossa Seleção, e continue escrevendo o sucesso de suas memórias, Saudações alvi-negras do antigo parque são Jorge e atual Itaquerão.

Enviado por Arthur Miranda (Tutu) - 27.miranda@gmail.com
Publicado em 23/07/2014

O sonho de ver a seleção campeã no Brasil, tornou-se um grande pesadelo, quiça maior do que aquele ocorrido em 1950. O atual time está repleto de milionários que já ganham vultuosas somas monetárias sendo ou não campeões do mundo e não precisam "defender" o Brasil, aliás um empresa privada usando o país como sede de seus interesses, tanto que a CBF está blindando seus dirigentes com Gilmar, Dunga e Cia, atuais testas de ferro da seleção. Não há renovação de mentalidade!

Enviado por Carlos Fatorelli - cafatorelli@gmail.com
Publicado em 23/07/2014

Felix, primeiramente digo que não tem nada a ver o insucesso da seleção com o sucesso de suas memórias para nos lembrar e aprender fatos do futebol e outra coisa, doravante vai ser assim, para ganharmos algo, teremos que nos superar em tudo, futebol, organização, simplicidade, modestia, raça,técnica, pois os outros aprenderam a jogar futebol.

Agora, voce viu a renovação na CBF,e comissão geral????????????, a renovação se faz de cima para baixo, parabéns, Estan.

Enviado por Estanislau Rybczynski - estan_tec@hotmail.com
« Anterior 1 Próxima »