Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias SOS Jesus Cristo Autor(a): João Cláudio Capasso - Conheça esse autor
História publicada em 30/05/2014
O meu texto de hoje é diferente dos meus textos atuais, eu sei que muitos leitores não vão concordar com os meus pensamentos, não sou preconceituoso, não sou homofóbico, eu sou a favor de que cada um desce do bonde como quer, todos tem o livre arbítrio. Mas certa madrugada estava sem sono e fiquei assistindo TV até de madrugada. Vi vários canais: Bandeirantes, Rede TV, Record, SBR, várias TVs a cabo, etc.
 
Eu resido no Campo Belo, em São Paulo. Conheço muito bem a noite em São Paulo, como todos já sabem, mas com 73 anos de idade eu jamais pensaria que um dia eu fosse presenciar em vários canais de TVs coisas absurdas, como, por exemplo, ao ver um canal de TV estava passando a festa de aniversário de casamento de um senhor de 60 anos, homossexual. Ele é um grande jurista, fazia 20 anos de casado com um rapaz bem mais moço; todos os convidados cumprimentando o casal. 
 
O senhor foi entrevistado e falou que estava muito feliz com o seu casamento; ele era da alta sociedade, dava para ver que foi uma grande festa em um buffet. Troquei de canal e estavam entrevistando uma famosa cantora, junto com sua atual esposa (a cantora tinha se separado do marido para casar com uma mulher), e no mesmo canal passou um vídeo de um jornalista homossexual casando com um rapaz: ele entrou na igreja ao lado da sua mãe e a igreja estava repleta de convidados.
 
Depois do casamento, apareceu o jornalista chorando de felicidade... Fiquei virando de canal em canal, até que um canal mostrou a filha matando o seu próprio pai, com um fio de telefone, durante toda a noite só notícias horríveis. Desliguei a TV e fiquei pensando se eu estava em outro planeta, porque cada coisa bizarra que eu assisti...
 
Eu sei que é no mundo todo isso, as famílias não tem mais respeito pelos seus entes queridos. Fiquei pensando na minha mocidade, quando nós rapazes namorávamos as belas moças, os lindos bailes de formatura, a luta para conseguir alugar um belo smoking.
 
Éramos felizes, lindos tempos em que os filhos respeitavam os pais, agora só nos resta pedir ajuda, socorro Jesus Cristo.
 
E-mail: jccapasso2@hotmail.com
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 03/06/2014

Capasso, aquele "nosso tempo" infelizmente não volta mais! a falta de respeito ao próximo, o sentido de pudor e vergonha há muito deixou de existir, é certo qwue cada um faz o que bem entender mas acho que para tudo tem um limite, também não sou preconceituoso mas não sou obrigado a concordar, parabéns pelo pelo texto.

Enviado por Nelinho - lt.ltesser@hotmail.com
Publicado em 02/06/2014

O anormal tornou-se normal, e ser por vias naturais hétero, adjetivo para os dois gêneros parece ser o grande pecado, pois as condições atuais dão ênfase ao lado não oposto da atração que ameaça a procriação natural e normal.

Enviado por Carlos Fatorelli - cafatorelli@gmail.com
Publicado em 02/06/2014

Parece que os valores tão cultivados por nossos país e que afinal fez as pessoas que hoje somos, já não contam muito não é ? Acredito que estamos passando por uma época de transição em que falsos valores tentam estabelecer cidadania como uma falsa forma de liberdade. Talvez seja nossa unica razão de estar nesse mundo, resistir a eles e ficarmos fiéis a verdadeira dignidade humana que aprendemos com nosso pais e que afinal, vencerá. Partilho também de sua perplexidade caro amigo.

Enviado por Alfred Delatti - apdelatti@ig.com.br
Publicado em 02/06/2014

Já havia mandado meu comentário quando li o comentário do Modesto e na segunda estrofe ele abrange com poucas palavras,exatamente a catástrofe que assola o nosso país sem lei nenhuma para proteger os cidadãos trabalhadores e sem Deus nenhum dentro das famílias...Existe uma piada que diz,que não temos furacões,nem vulcões explodindo ou tempestades de neve,mas temos uma corja de políticos que valem por tudo isso...

Enviado por Walquiria - walquiriarocha@yahoo.com.br
Publicado em 02/06/2014

Não é questão de preconceito e sim de "respeito ao próximo".Existem coisas que não podem ser exibidas,por uma pura questão de dever e cidadânia ou assunto entre quatro paredes.Por exemplo,fazer sexo é um ato livre,mas não pode ser praticado em lugares públicos,andar nú também é um ato livre,mas não se pode sair pelado nas ruas, discutir com a mulher ou o marido é até passível de entendimento,mas ninguém pode parar na avenida e gritarem ou se chingarem mutuamente e assim por diante.

Eu acho uma falta de educação terrível um casal aos beijos tipo desentupir a pia e amaços obcenos em lugares públicos.Existem crianças e pessoas que merecem ser respeitadas.Eu mesma já chamei a atenção de um casal destes na fila do cinema,porque passavam demais dos limites do direito de abraçar e de beijar alguém querido.

Se o casal hétero que é precursor na sociedade já é de muito desrespeito estas cenas obcenas,imaginem os homossexuais que invadiram a nossa cultura e querem ser aceitos pela sociedade como iguais,mas que não respeitam os lugares por onde andam e insistem em ser diferentes no pudor e na forma de se comportar.

Eu admiro os cidadãos e cidadãs de respeito,sejam eles de que sexo fôr.Conheço homossexuais tão íntegros, bons filhos,boas pessoas,trabalhadores, admirados e respeitados pela família pelos exemplos que dão a todos que com eles convivem... e conheço héteros mal caráter,irresponsáveis,que só dão desgostos e preocupações a seus familiares e se tivesse que escolher para ser meu filho seguramente escolheria o primeiro caso.Por isso não é questão de homofobia e sim de respeito!!!

Enviado por Walquiria - walquiriarocha@yahoo.com.br
Publicado em 01/06/2014

ENQUANTO não ser der conta do mal que assola as vidas pelo mundo ,tudo o que o sr. assistiu continuará á acontecer ,infelizmente.JÁ não consigo assistir algumas novelas que eram a minha distração as noites.Não admito em minha casa certas situações como pais que, não sei o que leva a criar crianças sem valores morais,nem religião.HOJE sei a importância de DEUS na vida de todos,todos mesmo,não importa a igreja. OS tempos mudaram,mas para pior.CABE á nós não apoiar ,e o maisa vida no futuro mostrará se valeu á pena,abraços sr.JOÃO.

Enviado por Luzia Helena Junqueira - luziahelena030746@gmail.com
Publicado em 31/05/2014

... e vc não conseguiu ver um casamento de um HOMEM e uma MULHER, João? mas, é evidente que não, isso não existe mais... é coisa do passado, quando vc ver, vai ser numa paróquia de bairro afastado onde não chegou a "onda". Pois é, Capasso, a coisa virou moda, mesmo, nas novelas atuais, homens se beijando ARDOROSAMENTE, mulheres se amassando e apalpando-se DESESPERADAMENTE, é a própria Sodoma e Gomorra, numa impaciência louca como se estivessem afim de recuperar o tempo perdido.

Capasso, conforme-se. nosso tempo acabou, ACABOU, ACABOU pra sempre, nossas vidas não passam de ILUSÓES, FANTASIAS, SONHOS DE COMO PODERIA SER A VIDA NESSE PLANETA. O desespero nosso é vc receber um tipo de educação e ASSISTIR o resultado catastrófico da mesma educação em seus descendentes. Crianças jogadas no lixo, mães que matam filhos, pais que estupram filhas, pequenas dívidas que levam a carnificinas de crianças como se fossem churrascadas, casamentos que não passam de dois anos, padres e pastores se satisfazendo sexualmente em crianças, tudo modernamente instaladas em nossas vidas, sabe o que é isso? É O FIM. Parabéns pelo texto, Capasso.

Modesto

Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
Publicado em 30/05/2014

João, não é de meu feitio comentar textos de companheiros a não ser quando o companheiro tem algo de muita importância para dizer, o que é o caso desse seu texto. CONCORDO TOTALMENTE com seu modo de pensar. Vivemos uma ditadura de absurdos, pessoas não concordando com determinados comportamentos e situações mas calando, talvez com medo de ter dedos apontados em sua direção; não é uma questão de nossa idade ou de nosso tempo, talvez seja uma questão de ter ou não vergonha na cara!

Ignacio

Enviado por Joaquim Ignácio de Souza Netto - joaquim.ignacio@bol.com.br
« Anterior 1 Próxima »