Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias Um dia de São Pedro inesquecível Autor(a): José Camargo Beira - Conheça esse autor
História publicada em 08/05/2014
29 de junho de 1958. Aquele domingo amanheceu festivo, a nossa Seleção ia disputar a final do Mundial na Suécia, coisa que ninguém esperava quando saíram desacreditados do Brasil.
 
Eu tinha 15 para 16 anos e tanto na minha casa como nos muros das casas vizinhas já haviam instalado os rádios, na janela do Cruzeirinho um enorme alto falante corneta e desde manhã as ruas lotadas do Tatuapé para ouvir o jogo, era totalmente diferente do que ocorre hoje, que as ruas ficam desertas e todos à frente da TV.
 
E quando o locutor Edson Leite grita, termina o jogo no estádio de Razunda na Suécia, Brasil campeão do mundo de futebol.
 
Foguetorio e balões... Muitos balões verde e amarelo, eram tantos que se confirmasse que era perigo de incêndio São Paulo viraria uma Roma do imperador Nero.
 
Festa linda, pessoas se abraçando e dançando no meio da rua... E nenhuma briga nem depredações, enfim... Tempos civilizados.
 

 

E-mail: josebeira@hotmail.com
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 09/05/2014

José, realmente nesse dia foram muitas as festas de rua, como você bem diz sem brigas, sem arruaças, sem depredações, as pessoas eram mais educadas e civilizadas, parabéns pelo seu texto.

Enviado por Nelinho - lt.ltesser@hotmail.com
Publicado em 08/05/2014

Não sei se os tempos eram mais civilizados ou se o povo era mais calmo, por não ter internet e nem a mídia de hoje, não estava bem informados. Resumindo. era mais dominado. Mas tenho saudades daquela copa a primeira que ganhamos depois das frustrações de 50 contra o Uruguai e 54 contra a Hungria, Parabéns mestre Beira.

Enviado por Arthur Miranda (Tutu) - 27.miranda@gmail.com
Publicado em 08/05/2014

Aguardemos O desfecho desta seleção que representa os interesses de uma empresa particular denominada CBF e que não aceita gerenciamento de terceiros. O povo é apenas mera figuração neste milionário sistema de outros tempos e outro modelo de civilização incontrolada. VIDE:

COPA DO MUNDO 2014: TORCIDA PARA EMPRESAS PRIVADAS

http://carlosfatorelli27013.blogspot.com.br/2014/03/copa-do-mundo-2014-torcida-para.html

Enviado por Carlos Fatorelli - cafatorelli@gmail.com
Publicado em 08/05/2014

Deve ter sido uma delícia. Parabéns, José. Gostei muito de te reencontrar por aqui. Um abraço.

Enviado por Vera Moratta - vmoratta@terra.com.br
Publicado em 08/05/2014

Beira - O Manoel era quem fazia os balões lá na Felipe Camarão - Soltamos mais de trinta balões naquele dia, em frente da pensão da dona Geralda. Ficamos correndo até de madrugada atras dos balões que caiam por lá. Bela lembrança - Forte abraço ....

Enviado por José Aureliano Oliveira - joseaurelianooliveira.aureliano@yahoo.com.br
Publicado em 08/05/2014

É verdade, Beira, lembro bem daquele dia, eu tinha 26 anos e a alegria era contagiante. Diziam que na época era tudo muito tranquilo por que brasileiro gosta muito de fantasias. É melhor a fantasia de uma alegria do que a tristeza de uma dor irreparável. Parabéns, José.

Modesto

Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
« Anterior 1 Próxima »