Leia as Histórias

Categoria - Personagens Minha amiga Gregilvina Autor(a): Arthur Miranda (Tutu) - Conheça esse autor
História publicada em 08/05/2014
Natural da Freguesia do Ó, ela cresceu odiando o próprio nome, jamais aceitou o carinhoso nome escolhido pelos próprios pais, nome este que ela iria carregar como um enorme fardo pela vida toda.
 
Até hoje não sei a razão que leva certos pais a escolherem determinados nomes que criarão em seus pobres filhos um complexo de inferioridade que eles, além de carregar isso pela vida toda, ainda serão motivos de chacotas e piadas dos “amigos”.
 
Gregilvina Odete dos Santos, nome odiado por esta minha grande amiga e colega de infância por vários anos no bairro da Freguesia do Ó.
 
Estudamos juntos no Grupo Escolar Padre Manoel da Nóbrega (escola que funciona até hoje na Rua da Bica, esquina com Avenida Itaberaba), depois fomos colegas no antigo Gitema Ginásio Teresa Francisca Martin (Santa Teresinha); mais tarde participamos também em algumas comédias em teatro amador, que ela também adorava participar, onde fizemos amizade e fomos colegas de uma futura e famosa garota propaganda e atriz da Televisão de São Paulo, Vininha de Moraes.
 
Seu objetivo na época era poder tornar-se atriz e com isso adotar um pseudônimo, que viesse livrá-la daquele odioso nome que sempre foi motivos de piadas e muitos constrangimentos, na hora de preenchimento de cadastros e congêneres.
 
E assim, sempre odiando o próprio nome, Gregilvina Odete dos Santos terminou o Ginásio e iniciou o ensino médio no Colégio Álvares Penteado, no Largo São Francisco, onde se formou contadora, em seguida, enfrentou o curso de Direito na Faculdade de Direito São Francisco, com o objetivo de tornar-se Bacharel em Direito, e tratar de mudar aquele seu odiado nome.
 
Durante uns bons anos acompanhei pessoalmente esse seu sofrimento, lutando muito interiormente contra a irresistível tentação em fazer também eu brincadeiras com seu nome (uma vez eu brinquei e quase perdi sua amizade).
 
Gregilvina sempre foi alegre, amiga companheira, gostava de participar em festas, de atividades sociais, cantar em corais nas festas da Igreja de Nossa Senhora do Ó, trabalhar em barracas das grandes quermesses, naquela época muito comuns no bairro.
 
Casei-me, fui morar no Bairro de Itaberaba. Mais tarde fiquei sabendo que ela tornou-se advogada e também se casou com um colega da faculdade de Direito. E eu nunca mais soube da minha amiga Gregilvina Odete dos Santos.
 
Apenas fiquei sabendo que sua luta contra seu odioso nome chegou ao fim no início do mês de março, quando a mesma conseguiu na justiça autorização para a mudança do seu nome, e assim a partir de março para cá Gregilvina Odete dos Santos passou a chamar-se: Gregilvina Maria dos Santos.
 
Enfim, Gregilvina conseguiu tirar “Odete” do seu nome. Parabéns, Gregilvina.
 
E-mail: 27.miranda@gmail.com
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 09/05/2014

kkkkk - Tem uma piada dos nossos patrícios que pediu para mudar o nome de Manoel Bos..... para Manoel Mer.... - Para passar o tempo e termos motivos para gargalharmos nos faz bem . Abraços Tutu ...

Enviado por José Aureliano Oliveira - joseaurelianooliveira.aureliano@yahoo.com.br
Publicado em 09/05/2014

Arthur, quando imaginava que o nome a ser troca fosse o prénome, eis que sua verbe de anedotista, roteirista, muda tudo,final surpreendente, parabéns,Estan.

Enviado por Estanislau Rybczynski - estan_tec@hotmail.com
Publicado em 08/05/2014

Arthur, mais uma hilariante história criada por sua mente brilhante, dei boas gargalhadas, parabéns pelo texto.

Enviado por Nelinho - lt.ltesser@hotmail.com
Publicado em 08/05/2014

Arthur, ainda bem que ela tornou-se advogada. Imagina se ela torna-se médica. Quem iria se consultar ou submeter-se a uma cirurgia com a DRA. GREGILVINA ? Parabéns por mais essa, Tutu

Enviado por Roberto Capuano - robertocapuano@grafixdigital.com.br
Publicado em 08/05/2014

o Arthur não perde a veia humorística. faz falta la na praça é nossa,mas era muito comum combinar os nomes do pai e da mãe e colocar o nome do infeliz rebento...conheci uma Mariotilde, cujos pais se chamavam Mario e Matilde....os pais dessa coitada acho que se chamavam Gregorio e Malvina...belo e hilario texto, parabéns, abraço, Beira

Enviado por José Camargo Beira - josebeira@hotmail.com
Publicado em 08/05/2014

Se não é verdade é bem contado e nos prende em um suspense até ao final da leitura. Parabéns pela “crônica” tipo Sherlock Holmes.

Enviado por Carlos Fatorelli - cafatorelli@gmail.com
Publicado em 08/05/2014

que nome lindo e diferente de tudo.

ISSO QUE UM NOME ARTISTICO.

já imaginou numa lapide de cemitério aqui jazz GREGILVINA,

Enviado por João Cláudio Capasso - jccapasso2@hotmail.com
Publicado em 08/05/2014

Arthur, só você mesmo. Criou um suspense... e depois me provocou uma gostosa gargalhada. Um abraço, meu querido.

Enviado por Vera Moratta - vmoratta@terra.com.br
Publicado em 08/05/2014

Tricolditário Rimboco, é o que ficou depois que o Arthur tirou o "tutu" do nome. ficou mais conhecido por Arthur Mirando, pros próximos. Conhecia mas mesmo assim, surpreendente. Parabéns, Tutu.

Modesto

Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
Publicado em 08/05/2014

Acredito que tirar o Odete deste nome vexativo foi piada sua...Mas infelizmente os cartórios antigamente registravam as pobres crianças com nomes vexatórios e até com sentidos pornográficos ou parecidos com chingamentos,Hoje mudaram e não permitem mais estes descasos ou ignorância dos pais,"mais ou menos" porque ainda colocam nomes esdrúchulos e sem nexo em crianças principalmente artistas que querem ser únicos e inventarem nomes diferentes...

Enviado por Walquiria - walquiriarocha@yahoo.com.br
« Anterior 1 Próxima »