Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias Celeumas esportivas Autor(a): Nelinho - Conheça esse autor
História publicada em 13/05/2014
Eu acho que já confessei anteriormente que a minha família, por parte do meu falecido pai, era totalmente torcedora do Palestra (depois Palmeiras), meu tio Zézinho trazia sempre o jornal "O Esporte" e todo mundo em casa discutia as notícias do dia. 
 
Houve uma passagem que até hoje guardo na memória e chego até a rever a cena: na sala da casa de minha avó Maria estavam reunidos meu avô Luiz, meus tios Zézinho e Luiz, o tio Nando, irmão de minha avó, e o Santo, filho do tio Nando; eu ficava em um canto terminando a lição do grupo escolar enquanto eles conversavam, pois eu não tinha permissão para participar da conversa, essa casa ficava na Rua Lucas Obes nº 473 (ainda existe lá mas com outra aparência).
 
Tudo ia muito bem, o papo seguia animado, a coisa desandou quando meu tio Olindo chegou com a notícia que o jogador Dacunto, centromédio do , havia sido suspenso pelo Tribunal de Penas por ter sido advertido no jogo anterior, o próximo jogo do Palmeiras seria no domingo contra o São Paulo F.C. e caso o Palmeiras fosse o vencedor seria já o Campeão Paulista do ano (se não me falha a memória foi em 1944); a família inteira se revoltou, pois muitos pensaram que o São Paulo colaborou para que o tribunal agisse com rigor, o Dacunto era um excelente jogador e com certeza a sua ausência iria causar uma ruptura no sistema defensivo do Alviverde.
 
Finalmente chegou o dia do jogo, naquela época meu avô ainda não tinha rádio, me lembro de que fomos ouvir a transmissão da partida na casa do Tio Nando, lá na Rua Agostinho Gomes, quando o locutor anunciou a escalação das equipes a gritaria foi geral, o treinador (não me lembro do nome), escalou o meia-direta Waldemar Fiume no lugar do Dacunto, pois não havia outro no momento.
 
Pois bem, o Fiume jogou uma partida memorável, o Palmeiras venceu por 3x1 e se tornou campeão paulista daquele ano, lembro-me ainda que os gols foram marcados por Caxambu, centroavante do Palmeiras (marcou 2), o outro foi feito pelo Villadoniga, o gol do São Paulo se não me falha a memória foi marcado pelo ponta-esquerda Pardal.
 
Na segunda-feira meu tio Zézinho trouxe o jornal de esportes e recortou a parte referente à "ficha técnica" do jogo e colou na capa do meu caderno escolar para que eu fosse memorizando o nome dos jogadores (muitos deles eu já conhecia por meio da coleção de figurinhas das "Balas Futebol", o Palmeiras jogou com Oberdan, Caieira e Junqueira, Og. Moreira, Waldemar Fiume e Gengo, Gonzales, Villadoniga, Caxambu, Lima e Jorginho. O São Paulo jogou com King, Piolin e Virgilio, Zezé Procópio, Rui e Noronha, Luizinho, Sastre, Leonidas, Tim e Pardal (me perdoem se eu errei algum nome, mas eu acho que acertei).
 
O que mais me marcou nesse jogo foi quando se ouviu no rádio o coro da torcida do Palmeiras entoando o canto: "Com Dacunto ou sem Dacunto, ê, ê, ê, eu ganho”, ainda posso rever as fisionomias de felicidade de meu pai e de meus tios, jamais esquecerei esses momentos vividos em um ambiente familiar de harmonia, paz e muita alegria.
 
E-mail: lt.ltesser@hotmail.com
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 16/05/2014

Nelinho,como já disse várias vezes eu não entendo nada de futebol apenas fico solidária com histórias mesmo sendo sobre futebol que remetem ao passado e descrevem lembranças saudosas da família.Como voce guarda na memória a casa em que morou na Lucas Obes 473 e eu passo de vez em quando nesta rua pois moro próximo ao Ipiranga,da próxima vez vou parar em frente a esta casa que te trás tantas recordações e fazer uma reverência a voce te desejando muita saúde, paz e um tantão de felicidade...

Enviado por Walquiria - walquiriarocha@yahoo.com.br
Publicado em 14/05/2014

Quando criança participávamos de momentos memoráveis com nossas famílias que ficaram registrados para sempre em nossas vidas. Interessante a citação de seu avô não ter rádio, e era assim mesmo até o rádio era um artigo de "luxo" e quem tinha socializava-o com todos. Parabéns pelo texto.

Enviado por Carlos Fatorelli - cafatorelli@gmail.com
Publicado em 14/05/2014

Nelinho, as escalações estão certísssimas, vc tem uma memória de elefante. O São Paulo, tentando sabotar as arbitragens pra prejudicar seus adversários, é coisa bem antiga e, até hoje, vide o Alan Kardec.

Parabéns, Nelinho.

Modesto

Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
Publicado em 13/05/2014

Ainda bem que todos da família torciam pelo mesmo time. Muito bacana Nelinho. Os jogadores de hoje são : Pato - Ganso - Aranha - Arce - é mole ... Forte abraço .

Enviado por José Aureliano Oliveira - joseaurelianooliveira.aureliano@yahoo.com.br
Publicado em 13/05/2014

Nelinho, teve o famoso jogo de 1942,o palmeiras entrou em campo com o general Adalberto mendes, na frente do time,era época da guerra,

o são Paulo fugiu de campo, o palmeiras venceu,e uma frase famosa ficou conhecida, morre o palestra invicto, nasce o palmeiras campeão;

Enviado por João Cláudio Capasso - jccapasso2@hotmail.com
Publicado em 13/05/2014

Muito bom Seu Nelinho. Esse é um daqueles pequenos grandes momentos da vida que a gente não esquece nunca mais. Parabéns.

Enviado por Abilio Macêdo - abilio.macedo@bol.com.br
Publicado em 13/05/2014

Nelinho, que ótimo relato. Gostei muito. As ruas citadas por você também fizeram parte da infância do meu pai. Eu me confundo um pouco andando por ali. Tenho que ler as placas para me localizar bem. Parabéns. Um abraço.

Enviado por Vera Moratta - vmoratta@terra.com.br
« Anterior 1 Próxima »