Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias A piada imita a vida – Parte II Autor(a): João Cláudio Capasso - Conheça esse autor
História publicada em 12/05/2014
Continuando o meu texto passado, “A piada imita a vida”, não deu para fazer um texto completo e continuo agora nesse texto.
 
É verdade, muitas pessoas passam pela vida sem ter feito nada de útil, são pessoas invejosas, não conseguiram conquistar nada na vida, e acabam falando mal, sem conhecer as pessoas. Tem pessoas que começaram a ver as coisas depois dos 50 anos. Eu, graças a Deus, tive uma vida maravilhosa, tanto na mocidade quanto na velhice.
 
Nasci na Rua da Consolação, bairro do Jardim América. Estudei no colégio Casa Pia São Vicente de Paulo, no bairro de Higienópolis. Morei 20 anos no bairro do Morumbi, na Rua Charles Spencer Chaplin em apto. próprio. 
 
Morei dez anos na Rua Haddock Lobo, bairro do Jardim América, apto. próprio. Morei vários anos no bairro do Paraíso, sempre em bairros nobres, graças a Deus.
 
O meu falecido cunhado foi prefeito de Santo Amaro, nos anos 60, José Victor Oliva; o meu sobrinho foi dono das boates Galery, Moinho Santo Antonio, etc.
 
Sempre tive uma vida de trabalho e honestidade, nunca falei e fiz fofocas com pessoas que eu não conhecia, fui um grande propagandista farmacêutico. Quando trabalhei em laboratórios, tive uma linda lanchonete no bairro de Pinheiros, Vila Rica Lanches; tive uma pequena boate nos Jardins, Rua Bela Cintra, Rampa Drink.
 
Enfim, passei pela vida fazendo muitas coisas boas, dando emprego para várias pessoas. Quando eu morrer, se eu for para o céu, São Pedro vai ficar surpreso com as coisas boas que eu fiz; não fiquei sentado na cadeira ou na janela falando mal das pessoas.
 
E-mail: jccapasso2@hotmail.com
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 14/05/2014

e muito triste saber que tem colegas no site que não aceita a minha

linda vida na mocidade e na velhice,

e como eu disse no texto, e triste passar pela vida sem ter aproveitado ela.

so sabem criticar os meus textos.

eu tenho uma pena das pessoas que nao sabem viver.

AGORA ISSO SO PODE SER INVEJA, MAS OS CAES LADRAM E A CARAVANA PASSA.

EU OS PERDOO,MAS EU CONTINUO MUITO FELIZ,

Enviado por João Cláudio Capasso - jccapasso2@hotmail.com
Publicado em 14/05/2014

caro modesto muito obrigado pelo seu comentário, eu não tenho culpa de ter nascido em bairro nobre, sempre vivi muito bem, em ótimos aptos,

freguentei um pouco alta sociedade, sempre tive ótimos carros e excelentes amigos. sempre freguentei bons restaurantes,

AGORA ESTOU FALANDO A VERDADE DA MINHA VIDA.

SE VOCE SE SENTE INCOMODADO COM OS BAIRROS NOBRES EM QUE MOREI

DESCULPA-ME CADA UM DESCE DO BONDE COMO PODE.

Enviado por João Cláudio Capasso - jccapasso2@hotmail.com
Publicado em 14/05/2014

agradeço os colegas pelos lindos comentários.

Enviado por João Cláudio Capasso - jccapasso2@hotmail.com
Publicado em 14/05/2014

João, eu nunca morei em "bairros nobres", sempre no Braz, onde nasci e aqui no P. Continental, zona oeste, onde estou até hoje e me considero muito, mas muito, muito feliz. Sabe por que?, Claudio? o bairro não me "faz", eu é que "faço" o bairro. Desculpe discordar de vc que, numa empáfia exagerada confirma com todas as letras "...sempre morei em bairros nobres, graças a Deus" Eu te garanto, vc não seria tão infeliz se nascesse em outro bairro "menos nobre". Eu te digo, tinha uma irmã, saudosa Joana, já falecida, que foi casada com um dos "privilegiados" filho de bairro nobre, teve uma vida que... ahhh, deixa pra lá, vai... "Parabéns", Capasso.

Modesto

Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
Publicado em 13/05/2014

Capasso você foi o dono da noite e do dia também e estamos conversados como dizia a Aracy de Almeira. Você viveu e conviveu não ficou falando mal dos outros sentado perto da Janela e nem esta atualmente no meio da Praça dando milhos aos pombos. Parabéns por tudo que você viveu e ajudou outros a viverem também. e se São Pedro não te deixar entrar no céu a gente fala com a grande advogada Nossa. Maria e eu tenho certeza que as portas do céu se abrira, e você vai ver que a maioria das pessoas que todo mundo dizia, esse não entra no céu, vai estar lá com certeza, ao lado dos Santos e dos Anjos, na fila do gargarejo. kkkk

Enviado por Arthur Miranda (Tutu) - 27.miranda@gmail.com
Publicado em 12/05/2014

Capásso, infelizmente fazer fofocas é um vício de algumas pessoas, mas vamos deixar de lado e tocar a vida e espero que você viva ainda muitos e muitos anos, parabéns pelo texto.

Enviado por Nelinho - lt.ltesser@hotmail.com
« Anterior 1 Próxima »