Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias Onde estão os tempos felizes? Autor(a): João Cláudio Capasso - Conheça esse autor
História publicada em 01/04/2014
Sim eu pergunto o que esta acontecendo com o mundo inteiro, por que essa violência galopante em todos os setores da vida?
 
Não há mais respeito, não há mais compreensão, não há mais amor, não há mais respeito pelos nossos pais...
 
Estive na Rua Sete de Abril, em são Paulo, que antigamente era uma beleza: toda iluminada, tinha as famosas paqueras da gatinhas da época... A linda Barão de Itapetininga, a charmosa Rua Dom José de Barros, com os lindos cinemas e ópera... A linda Rua Vieira de Carvalho, com os famosos restaurantes, Fasano, etc..
 
A cidade toda era uma beleza! As famosas lojas Mappin e Mesbla ficavam à exposição, tinha a Casa José Silva, etc.. Era outro mundo! As pessoas andavam bem vestidas...
 
Hoje as ruas que citei estão totalmente abandonadas, sujas, há mendigos dormindo nas ruas, e odor de urina em todas as partes. Sem falar na violência galopante em todo o Brasil.
 
Foi essa a democracia que nós, caras pintadas, pedimos. Os políticos que lutaram contra a ditadura militar hoje estão no poder: Dilma, Lula, Jose Dirceu, Genoino, Fernando Henrique Cardoso, e muitos outros... Estão milionários! O filho do Lula tem 36 anos, já tem seis empresas (inclusive holdings). Antes trabalhava no zoológico e limpava os animais, hoje é empresário.
 
Mas a corrupção está no mundo todo. Isso é culpa de todos os políticos, em todo o mundo!
Só se pensa em ganhar dinheiro! Os canais de televisão estão maculados com o governo, só dizem o que interessa a eles. E o Zé povinho acredita. São novelas horríveis, filmes violentos, programas se nenhum conteúdo... Cadê os tempos felizes, a onde podia passear pelas ruas da cidade em paz, namorar, ir ao cinema, a restaurantes, etc..
 
Sabem por quê? Porque a humanidade abandou Jesus Cristo. Não se vêem jovens e adultos rezando. As missas de hoje das igrejas estão sempre vazias. E só olhar nas pessoas que andam pelas ruas, todas com caras tristes, e cabeças baixas, sem um sorriso nos rosto. Isso é falta de Deus!
 
Hoje, muitos brasileiros estão pedindo a volta dos militares. Não é preciso nada disso! É só ser um cidadão honesto, um político honesto. E respeitar aquilo que os nossos pais nos ensinaram: respeitar o próximo.
 
Como diz o mandamento: amar o próximo como a ti mesmo.
 
 
E-mail: jccapasso2@hotmail.com
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 03/04/2014

Capasso, realmente o mundo está lotado de pilantras, pobres ou ricos, políticos ou não, religiosos ou não, e por aí vai a fora. A honestidade, o respeito e principalmente o amor, estão fora de moda em todos os setores da vida. Que Deus nos ilumine e nunca deixe que percamos a esperança de construir um mundo melhor.Vamos fazer a nossa parte e muito mais se for preciso. Um abraço.

Enviado por Margarida Pedroso Peramezza - margaridaperamezza@gmail.com
Publicado em 03/04/2014

Li outro dia que milhares de brasileiros sairam nas ruas pelas diretas,milhares saem na marcha para Jesus e outros milhares na passeata gay.Que tal juntarmos todos e marcharmos juntos para sermos salvos das mãos dos políticos e dos bandidos que nos diziman...

Enviado por Walquiria - walquiriarocha@yahoo.com.br
Publicado em 02/04/2014

É verdade,ninguém mais pensa no próximo.

Mas continuemos a seguir o Mestre.

Abraço

Enviado por Benedita Alves dos Anjos - dosanjos81@gmail.com
Publicado em 02/04/2014

Marcos Aurelio - A Fé remove montanhas ....

Enviado por José Aureliano Oliveira - joseaurelianooliveira.aureliano@yahoo.com.br
Publicado em 02/04/2014

Sr.João, tive uma esperiência terrível esses dias, meu filho foi acometido pela dengue, fomos a pronto socorro do convênio, e finalmente ao posto de saúde municipal para exame sorológico (confirmação da dengue), me assustei com a estrutura péssima do posto de saúde, não é porque é do SUS, que tem que ser velho, sem manutenção, por mais bem atendidos que somos (isso aconteceu sim), mas a impressão de degradação foi grande, sinto-me roubada pela saúde pública.

Enviado por Marisa - marisafrediani@gmail.com
Publicado em 02/04/2014

caro marco aurelio. obrigado pelo seu comentario.

o que mais o povo pode fazer.pagamos um imposto absurdo de caro.

nao temos saude,educaçao. moradia,seguranças,

ja fizemos de tudo. nao tem o que fazer mais.

Enviado por João Cláudio Capasso - jccapasso2@hotmail.com
Publicado em 02/04/2014

Capasso - A quem orar?

Há vários anos passados, uma senhora que vivia uma vida esplêndida, gastando vultosas somas em trajes finos e em festas, sem nunca pensar na existência e soberania de Deus, decidiu esbanjar um pouco mais da sua fortuna, empreendendo longa viagem marítima.

Confortavelmente instalada na melhor classe de um luxuoso transatlântico, desfrutando de todas as atenções e de todos os entretenimentos que a sua fortuna lhe permitia gozar, os dias passavam céleres.

Após aproximadamente duas semanas de viagem em alto-mar, ela abordou um marujo que passava, indagando com certo interesse:

- Quanto tempo ainda vai demorar para chegarmos ao destino?

- Se Deus quiser, em cinco ou seis dias chegaremos ao final da viagem, senhora - foi a resposta delicada e concisa do marujo.

- Se Deus quiser... Que frase mais tola! - retorquiu a passageira com ironia e desprezo. - Onde está Deus? Não o vejo em nenhum lugar! O universo é todo governado pela lei do acaso, pela sorte; tudo acontece assim naturalmente, meu rapaz!

No dia seguinte, desencadeou-se uma violenta tempestade, colocando em sério perigo aquela gigantesca embarcação com todas as vidas que ali se encontravam.

Enquanto a tempestade rugia furiosamente, a opulenta dama, tomada de pânico e de incertezas, permanecia em seu camarote.

A quem recorrer naquelas horas de aflição, se não havia cultivado fé e nem confiança em Deus? Estava angustiada...

De repente, ela avistou o mesmo marujo que passava apressado junto ao seu camarote. Chamou o outra vez e indagou quase desesperada:

- O senhor também está preocupado com a situação? O que acha dela? Esta tempestade ainda assolará por muito tempo ou passará logo?

- Pelo que tudo indica, e também baseado em experiências passadas, tudo leva a crer que a tempestade ainda permanecerá por mais algumas horas...

- Então, por favor, ore para que não venhamos a perecer - suplicou a mulher ao marujo, toda trêmula de pavor.

Esse, com uma calma significativa, apesar de apressado, indagou:

- A quem devo eu orar, minha senhora? A lei do acaso ou à simples sorte?

Quantos zombadores atrevidos se têm acovardado diante das inevitáveis tempestades que açoitam as suas vidas. É fácil revelar descrença na força Divina, quando tudo vai bem.

Todavia, nos momentos de agruras, inseguranças e sofrimentos, há sempre um vislumbre de Deus como o Criador, Sustentador e Dominador da sua obra majestosa!

Forte abraço ...

Enviado por José Aureliano Oliveira - joseaurelianooliveira.aureliano@yahoo.com.br
Publicado em 01/04/2014

João rezar ajuda, mas a gente tem que fazer mais.

Enviado por Marcos Aurelio Loureiro - marcoslur_ti@yahoo.com.br
« Anterior 1 Próxima »