Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias O Sequestro do Elevador Autor(a): Samuel de Leonardo - Conheça esse autor
História publicada em 28/03/2014
Embora tenhamos atualmente dezenas de edifícios inteligentes na cidade, existem fincados na metrópole paulistana, entre torres modernas, prédios que ainda não se modernizaram. São aqueles construídos nos anos quarenta e cinquenta que carecem de recursos ou estão em vias de atualizações.
 
Um desses edifícios do centro se enquadra nesta categoria. Construção antiga que o tempo e o desmazelo se encarregaram de judiar tem um nome pomposo: Edifício Comercial Baronesa da Serra de Itatiaia, com oito andares e dois elevadores que mais quebram do que funcionam.
 
Esse mesmo prédio foi alvo de bandidos um dia desses. Dois vagabundos entraram no elevador juntamente com mais três pessoas no instante que o porteiro Genivaldo se distraíra com a Dona Margô, a gostosa da minissaia que trabalha no primeiro andar e só sobe pelas escadas. Até parece caso combinado, mas a verdade é que os meliantes se deram bem até aquele momento.
 
Antes que os três passageiros pudessem reagir, de armas em punho os meliantes rendem aquelas pessoas, mas o imponderável marcou presença, as luzes se apagaram e o caixote parou entre o primeiro e o segundo andar para desespero dos cinco, quando um dos bandidos falou:
- Não gritem, não gritem senão eu passo fogo em um aqui.
Dona Margô que estava a caminho percebeu a movimentação e mesmo em meio à escuridão desceu até a recepção e trêmula avisou o porteiro:
- Genivaldo, o elevador parou no segundo andar e pude escutar uma pessoa ameaçar as outras com uma arma.
- Tem certeza disso?
- Tenho sim, deu para ouvir muito bem.
 
Genivaldo, homem valente não se intimidou e querendo se mostrar para a boazuda subiu degrau por degrau tateando a parede até se aproximar da gaiola:
- Eu sei que você está ai armado. Vou chamar a polícia. É melhor se entregar.
Um dos bandidos responde:
- Entregar eu não me entrego. Mato todo mundo! Levo até o elevador comigo se preciso for.
Temendo pelo pior, Genivaldo com o celular aciona o um nove zero e desesperado fala para o atendente:
- Pelo amor de Deus, mande um polícia aqui para o prédio porque acabam de sequestrar o elevador.
 
 
E-mail: samuel.leo@hotmail.com.br
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 31/03/2014

Concordo com sua narrativa,sobre a existência de muitos prédios antigos com elevadores da idade da pedra e sem funcionar. Acho até que tem muitos porteiros tipo Genivaldo com olhos de gavião,mas o último parágrafo,mas pareceu piada de português daquelas antigas...

Enviado por Walquiria - walquiriarocha@yahoo.com.br
Publicado em 29/03/2014

Samuel, triste e engraçada sua historia. Na Penha, em um prédio antigo, tinha um elevador assim, sempre ficava com medo quando precisava usá-lo.Um abraço.

Enviado por Margarida Pedroso Peramezza - margaridaperamezza@gmail.com
Publicado em 29/03/2014

Gostei do final, kkk.

O Genivaldo estava mesmo muito atrapalhado.

Enviado por Benedita Alves dos Anjos - dosanjos81@gmail.com
Publicado em 28/03/2014

Ótimo, como sempre, Samuel. Um abraço.

Enviado por Vera Moratta - vmoratta@terra.com.br
« Anterior 1 Próxima »