Leia as Histórias

Categoria - Personagens Memórias de Juju - Famílias Guedes de Lima e Zumkeller Autor(a): Sonia Maria Zumkeller - Conheça esse autor
História publicada em 25/03/2014
Acontecem coisas em nossa vida que ficamos sem entender, ou melhor, sem saber que explicação dar.
 
Transcorria o ano de 1937, portanto minha mãe estava com 11 anos de idade; preparava-se ela para a sua 1ª Comunhão, que aconteceu em 06 de junho de 1937. Sua mãe não estava presente neste acontecimento marcante para ela, pois minha avó havia recebido um telegrama avisando sobre o estado de saúde de minha bisavó, Antonia: não estava bem, lá em São José do Rio Pardo, interior de São Paulo, pelos lados de Casa Branca... 
- “Papai, não vou deixar o senhor aqui doente”.
E ele respondeu: 
- “Vá minha filha ver sua mãe!” - palavras de Josephina para seu pai Benedito, que estava em sua casa, adoentado! Logo veio a falecer em 30 de junho de 1937 na Rua Vicente Soares, em Santana, de câncer no estômago.
 
No dia 28 de julho de 1937 falecia a avó de meu pai (então com 10 anos de idade), Judith Zumkeller, lá no sítio Guacá, no Alto do Mandaqui. Depois de um longo período de sofrimento, veio a falecer de câncer no seio.
 
Nesta data as famílias ainda não se conheciam. Anos depois, precisamente 17 anos depois, outro fato semelhante acontecia com as famílias Guedes de Lima e Zumkeller.
 
Transcorria o ano de 1954, meus pais já casados, eu e minha irmã já nascidas. Falecia em 29 de junho, Alfredo Zumkeller, aos 90 anos de idade (avô de meu pai), no mesmo sítio Guacá. Meus pais se preparavam para o enterro de Alfredo , quando minha mãe recebeu a notícia, através de seu sobrinho Roberto, que sua avó Antonia, havia falecido durante o sono. Segundo o médico Dr. Factore: havia morrido como “um passarinho”, também aos 90 anos de idade!
 
Relata Juju que quando estava no velório de Alfredo, cujo corpo estava sendo velado em casa, como era costume na época, sentiu um calafrio estranho... E ficou toda arrepiada!
 
Há pouco tempo quando fui ao Cartório de Santana, tirar cópias dos atestados de óbito, até o rapaz que me atendeu ficou impressionado com as datas tão coincidentes!
 
Coincidências? !
 
 
E-mail: somariaz@ig.com.br
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 26/03/2014

Sonia tem coisas coisas que não conseguimos entender tamanha é a sintonia que muitos sentem.Se permitir deixo um recado para o Nelinho, meu marido era de Casa Branca e nasceu em S João da Boa Vista. Um abraço.

Enviado por Margarida Pedroso Peramezza - margaridaperamezza@gmail.com
Publicado em 26/03/2014

Coincidências, Sonia, são peças pregadas aos nossos destinos, na intenção de ficarmos sempre alerta. Realmente, o sincronismo de ocorrências com determinadas pessoas, soam como mistérios mas, não são.

Sonia, me permite uma piada que seu texto me proporcionou, sobre a morte da avó, Antonia, que o médico disse que ela "morreu como um passarinho". Desculpe, Zumkeller, sua narrativa está um primor, parabéns.

Modesto

Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
Publicado em 25/03/2014

Sonia, já dizia um sábio que existe muito mais coisas entre o céu e a terra que a nossa razão desconhece, aliás quero declarar que meu falecido pai nasceu em São José do Rio Pardo e meus ancestrais também moraram em Casa Branca, parabéns pelo texto.

Enviado por Nelinho - lt.ltesser@hotmail.com
« Anterior 1 Próxima »