Leia as Histórias

Categoria - Paisagens e lugares Rosas amarelas Autor(a): Benedita Alves dos Anjos - Conheça esse autor
História publicada em 21/03/2014
Amo flores, planto sempre, principalmente rosas. Mas as amarelas me são mais preciosas.
 
No pensionato da Av. Nazaré eu tinha três amigas inseparáveis: Regina, Nádia e Cida. Eram bem mais velhas do que eu. Regina trabalhava no Comind da Rua XV de Novembro; Cida era aposentada do funcionalismo público e Nádia trabalhava na Sunab. Nádia era nordestina e me chamava de "bichinha", termo carinhoso.
 
Íamos ver filmes juntas, ver Holiday on Ice e outros passatempos. Certo dia me fizeram uma surpresa. Era meu aniversário e quando cheguei no pensionato não havia ninguém, e tinha um recado para eu ir ao restaurante da esquina. Lá tinha um jantar surpresa e um lindo buquê de rosas amarelas. Outra vez me presentearam uma viagem para Poços de Caldas.
 
Nesse pensionato fiquei por cinco anos, de um lado era pensionato do outro era orfanato.
Morei também por um ano perto do hospital Leão XIII. Lá, certo dia, meu pai foi me visitar, e apesar do prédio ter apenas três andares, somente ele não quis ficar dentro do apartamento. Disse que tinha vertigens (pobre do meu velho;) foi lá embaixo pitar seu cachimbo já  querendo ir embora (risos).
 
Na Rua Bom Pastor também havia outro orfanato. Naquele tempo já havia muitos órfãos; hoje então nem se fala... Órfão de pais vivos, pais que nem mereciam ter esse nome.
 
Fim de Verão,
Pela estrada vão sumindo,
As vozes dos amigos.
 
 
E-mail: dosanjos81@gmail.com
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 31/03/2014

Olá Joaquim,seja benvindo!

Obrigada.

Enviado por Benedita Alves dos Anjos - dosanjos81@gmail.com
Publicado em 28/03/2014

Benedita, você é tão linda como essas rosas amarelas que são as mais preciosas. Sua história é bela e tem o perfume das flores. Abraços!

Enviado por joaquim ribeiro oliveira ribeiro - oliveira-joaquim2011@bol.com.br
Publicado em 24/03/2014

Obrigada querida, Wal.Já fui mais paciente.

Mas a gente precisa ter paciência , ás vezes até com a gente mesmo.

Perdoar é melhor do que odiar.

E assim iremos tocando o barquinho né?

Beijos

Enviado por Benedita Alves dos Anjos - dosanjos81@gmail.com
Publicado em 24/03/2014

Querida Benê,tive uma amiga na juventude com este nome e nunca soou tão bem como em voce.Quando leio suas histórias de vida tão simples,

mas com uma grandeza de sentimentos e de coragem,eu fico imaginando que voce deve ser a calmaria em um tornado...a paz no meio da discórdia e a paciência de esperar para quem tem pressa...Adoro ler o que escreve em seus comentários...com isso a gente vai admirando mais e mais as pessoas como você.

Enviado por Walquiria - walquiriarocha@yahoo.com.br
Publicado em 24/03/2014

Estou tentando me lembrar do nome da rua do predinho perto do Leão XIII, sei que no térreo havia uma tecelagem.

Mas agora pouco importa, a pessoa a quem pagava pensão, não era muito correta, me deixava comer polenta enquanto ela ia comer feijoada na casa da irmã.Achava que eu era idiota, mas eu sobrevivi, graças a Deus, e ao meu esforço em vencer a todo o custo.

Enviado por Benedita Alves dos Anjos - dosanjos81@gmail.com
Publicado em 24/03/2014

Convido aos meus amigos do site para vir me visitar.

Piracaia ainda é um lugar bem tranquilo, apesar de alguns sustos na calada da noite.

Um abraço a todos.

Enviado por Benedita Alves dos Anjos - dosanjos81@gmail.com
Publicado em 24/03/2014

Vera querida, obrigada pela "lindinha".

Escrever sempre foi o meu sonho, além de plantar árvores e criar filho.

Acredito que chegarei lá.

Ás vezes dou uma escorregada feia( risos) mas estou perdendo o medo de escrever.

A vida vai nos endurecendo a alma e relembrar dos tempos vividos dos amigos, dos lugares nos faz reviver outra vez.

Beijos

Enviado por Benedita Alves dos Anjos - dosanjos81@gmail.com
Publicado em 24/03/2014

Olá Leonardo, gostei demais desse poema, é isso mesmo, parabéns .

Este site nos proporciona, além de fazer belas amizades,receber um poema lindo como esse.

Obrigada e abraço

Enviado por Benedita Alves dos Anjos - dosanjos81@gmail.com
Publicado em 24/03/2014

Olá Modesto, meu amigo desde o inicio.

Eu morei no pensionato e aí tive essas amigas que mencionei.

Depois de cinco anos, fui dividir apartamento ali por perto, o nome da rua nem me lembro mais, era um predinho de 3 andares, ficava ao lado do Hospital Leão XIII.

O pensionato, de um lado era orfanato, de outro pensionato,me fiz entender?

Ás vezes escrevendo, a gente se atrapalha,perdoe.

Abraço,responda por favor.

Enviado por Benedita Alves dos Anjos - dosanjos81@gmail.com
Publicado em 23/03/2014

Benedita, as flores sempre alegram a vida! Nada mais belo como um vaso cheio de rosas para encantar um canto da nossa casa. Também gosto de flores e minha preferencia são flores do campo.Um abraço.

Enviado por Margarida Pedroso Peramezza - margaridaperamezza@gmail.com
« Anterior 1 2 Próxima »