Leia as Histórias

Categoria - São Paulo do século XXI Padre, dai-me a bênção porque eu pequei... Autor(a): João Cláudio Capasso - Conheça esse autor
História publicada em 07/03/2014
Estava lembrando da minha mocidade quando tinha 17 ou 18 anos, como a nossa educação era rígida, os nossos pais nos ensinava o que era certo ou errado; aos domingos, na parte da manhã, íamos à missa no Colégio São Luis, na Av. Paulista, em São Paulo. Depois, almoçávamos e íamos com os colegas nas matinês (nos cines Ritz, da Consolação, ou nos cinemas da Rua Augusta, tinha vários).
 
À noite, nos reuníamos no bar do Bigode, para jogar conversa fora, era uma vida normal. Não tínhamos a violência, os assaltos, as manifestações, as brigas, as drogas de hoje; levávamos uma vida maravilhosa, da casa para o trabalho, do trabalho para casa. Namorávamos, íamos aos bailinhos da casa dos amigos, era uma vida feliz.
 
Podem me chamar de nostálgico, mas nunca tínhamos ouvido falar que um filho tinha matado o pai, ou vice-versa, que o marido matou a mulher, ou vice-versa; tudo bem, os crimes sempre aconteceram, mas não como nos dias de hoje, o povo abandonado, sem saúde, educação, sem um futuro certo, políticos, todos corruptos; hoje a mocidade não tem uma perspectiva de vida, a prostituição e a vida incerta tomou conta da nossa juventude.
 
As televisões só mostrando sacanagem, novelas, programas, todos sem atrativos nenhum. Enfim, na minha mocidade, aos domingos, eu ficava preocupado na hora da missa ao me confessar com o padre e falar dos meus pecados. Hoje em dia se falar para um jovem se confessar ele vai dar risada e chamar de careta. Vai dizer que essas coisas são passadas; vendo hoje em dia as bandalheiras, as corrupções, as roubalheiras, etc., eu vejo como eu era inocente, ao falar para o padre antes de me confessar: “Padre, dai-me a bênção porque eu pequei”.
 
E-mail: jccapasso2@hotmail.com
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 25/03/2014

Tempos bons aquele João. Havia uma certa pureza nos lares. A educação dos filhos era condição primordial, essencial mesmo, em quase todas as famílias. Havia uma estrutura moral na sociedade a ser respeitada, coisa que hoje, infelizmente não existe mais. Na sua pureza de espírito você foi se confessar com o padre "para que ele lhe desse a benção porque você pecou". Parabéns pela sua firmeza de bom caráter. Um grande abraço Grassi

Enviado por Roberto Grassi - jr_grassi@yahoo.com.br
Publicado em 12/03/2014

Capasso, concordo em gênero, número e grau e acrescento: - quando é que vamos iniciar uma reforma urgente em nosso modelo de democrática, econômica, política, fiscal e social, educativa neste país? Quando responda? O clamor do povo é grande, enorme e será que ninguém nos escuta!

Enviado por Clesio de Luca - clesiodeluca@yahoo.com.br
Publicado em 09/03/2014

Capasso, concordo com você, a vida era assim mesmo. Santa inocência a nossa ao fazer a confissão, sempre achando que tínhamos pecado venial ou mortal. Com certeza Deus te abençoou sempre.Um abraço.

Enviado por Margarida Pedroso Peramezza - margaridaperamezza@gmail.com
Publicado em 08/03/2014

Capasso, o que voce narra é veridico, sinal dos tempos, da falta de respeito e sem punição, parabéns,Estan.

Enviado por Estanislau Rybczynski - estan_tec@hotmail.com
Publicado em 07/03/2014

Parece que perdemos o conceito de esmero educacional que vinha de cada casa e era completado na escola e direcionado na igreja, independente do credo, um trio coeso para dar-nos a conduta para assumirmos nossas responsabilidades e nos tornarmos cidadãos do bem. Parabéns pelo texto.

Enviado por Carlos Fatorelli - cafatorelli@gmail.com
Publicado em 07/03/2014

Capasso - E esqueceram de Deus - Você tem razão tudo que não presta está liberado. Meus filhos me contam cada uma que é de arrepiar. Agora o modismo são as "paradas". E a nova parada agora é a "Parada das Vadias". O pudor da nossa época foi embora ... Abraços

Enviado por José Aureliano Oliveira - joseaurelianooliveira.aureliano@yahoo.com.br
Publicado em 07/03/2014

Pois é, Capasso a inocência de nossos dias de infância e juventude tinham seus parâmetros impostos pelos nossos pais que, por sua vez, também eles receberam de herança aqueles ensinamentos. O que será de nosso futuro? não sei, será melhor? quem sabe....

Parabéns, João Claudio.

Modesto

Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
Publicado em 07/03/2014

Sabe caro amigo, perderamo temor a Deus.

Então perderam a noção do pecado também.

E os meios de comunicação ,um horror.

E assim caminha a humanidade; para o caos.

Abraço

Enviado por Benedita Alves dos Anjos - dosanjos81@gmail.com
« Anterior 1 Próxima »