Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias Os três amigos Autor(a): João Cláudio Capasso - Conheça esse autor
História publicada em 17/01/2014
Este meu relato é sobre três amigos de infância. Nascemos na Rua da Consolação, em São Paulo. Desde menino, os três eram diferenciados dos demais amigos. Os pais deles tinham um pouco de dinheiro; eles foram crescendo dentro de um berço de ouro, um deles tinha uma fábrica de calças rancheiro (jeans). Todos os três viviam uma vida de milionários.
 
Nos nossos jogos na várzea, do nosso time da Consolação, em 1953, eles iam em carros próprios para os campos de jogos, e nós íamos de ônibus, ou caminhão alugado (na época era normal o time alugar um caminhão para levar os jogadores).
 
O tempo passou, todos casaram-se tiveram filhos, dois dos amigos tornaram diretores de bancos, o outro continuou com a fábrica dos pais. Depois de muitos anos sem vê-los, fiquei sabendo que os dois amigos diretores de bancos foram presos por ter dado um grande desfalque nos bancos.
 
Estavam acostumados com a vida de milionários e continuaram a comprar apartamentos nos Jardins, até que perderam tudo, o banco tirou todos os patrimônios das famílias; eles já eram viciados em bebidas, com a derrocada da vida social acabaram morrendo de tanto beber, não aceitaram a vida normal de nós trabalhadores.
 
Desde criança tiveram tudo do bom e do melhor, não souberam aproveitar o dinheiro e a educação dos falsos milionários, acharam que o dinheiro dos pais nunca acabaria e depois só fizeram besteiras, até a morte.
 
O outro dono da fábrica de calças rancheiro foi assassinado no norte do país por traficantes de drogas, enfim, esses foram meus amigos de infância, que tinham tudo para ter sucesso na vida, mas o maldito dinheiro não leva desaforo para casa.
 
A minha turma da Rua Consolação tem poucos companheiros vivos. Muitos foram honestos e morreram na pobreza, enfim, a vida continua.
 
 
E-mail: jccapasso2@hotmail.com
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 23/01/2014

Aqui faz aqui paga,o crime não compensa,não tiveram a palavra BERÇO na vida.

Enviado por Vilton Giglio - viltongiglio25@gmail.com
Publicado em 20/01/2014

Capasso, nunca li sobre a reviravolta de vida tão drástica como essa. Devo, em favor deles dizer que eles nasceram já bem amparados, financeiramente. Os pais, sim é que não souberam dar-lhes o devido limite, a não ser o industrial que teve o azar de ser assassinado. Bela narrativa, João, parabéns.

Modesto

Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
Publicado em 18/01/2014

Triste fato, acontece muito principalmente com pessoas que dão mais valor ao TER do que SER

Enviado por Julia Poggetti Fernandes Gil - gibajuba@yahoo.com.br
Publicado em 17/01/2014

A vida têm esses ensinamentos Capasso, mas tudo bem, deixa pra lá. A verdadeira sabedoria, dizem é a gente ser humilde assumido. De caminhão também andei muito. Nós íamos jogar pelo time do Neri, o Botafogo...aos domingos sempre de caminhão. Era bom demais!!!

Enviado por Clesio de Luca - clesiodeluca@yahoo.com.br
Publicado em 17/01/2014

Nem todos os ricos são iguais, ma Freguesia do Ó, onde nasci em um berço pobre, havia algumas famílias ricas que sempre foram fraternos com os pobres, minha mãe quando ficou viúva eu tinha apenas 6 anos, e me lembro que recebemos muita ajuda de famílias de mais posses, a não ser que os ricos do meu tempo eram melhores e mais fraternos que os de hoje? Eu tenho certeza que não. Mas gostei de sua narrativa Capasso, só acho que o texto ficou muito radical principalmente a parte que fala que o maldito dinheiro não leva desaforo para casa. E pessoalmente acho que tem muito pobre fazendo um monte de besteira mesmo sem dinheiro. Acho,(mesmo não tendo dinheiro) que o dinheiro não é um mal, o mal esta em fazer mal com com ele, sendo que o mal pode ser feito até sem nenhum dinheiro.

Enviado por Arthur Miranda (Tutu) - 27.miranda@gmail.com
Publicado em 17/01/2014

Capasso, temos o livre arbítrio e escolhemos a vida queremos ter, mas nem sempre conseguimos fazer boas escolhas. Seus amigos tiveram o que mereceram, uma pena.Espero que estejam em paz.Um abraço.

Enviado por Margarida Pedroso Peramezza - margaridaperamezza@gmail.com
Publicado em 17/01/2014

Texto lindo e você,com certeza faz parte dessa turma dos honestos.

Infelizmente os ricos não se conformam com a perda dos bens materiais , porque vivem só em função disso.

Enviado por Benedita Alves dos Anjos - dosanjos81@gmail.com
« Anterior 1 Próxima »