Leia as Histórias

Categoria - Paisagens e lugares Piraporinha e M'Boi Mirim, poética, radical e polêmica Autor(a): Tarcísio - Conheça esse autor
História publicada em 08/01/2014
Sempre morei na região da Estrada do M'Boi Mirim, na altura do conglomerado tradicional (número 1000 em diante) e trago relatos muito interessantes na minha memória. Posso assegurar que, em comparação aos anos 80/ 90 para cá, a região apresentou mudanças tecnológicas e revolucionárias, sempre na tentativa de proporcionar melhores condições para os cinco milhões de lutadores que tentam morar de forma digna e confortável.
 
Como por exemplo, de 2003 para cá temos o corredor de ônibus Jardim Ângela - Santo Amaro, que aliviou um pouco o tráfego na região. Lembro de que em meados de 1995, 1998..., logo pela manhã, não era nada diferente, ônibus lotadérrimos e trafegando junto aos coletivos. Hoje, mesmo com os corredores, a situação é caótica, pelo pequeno número de coletivos.
 
Lembro-me do Beduíno Árabe, localizado em frente à esquina da M'Boi Mirim com a Inácio Dias da Silva, que funcionou de 1995 à 2001. Comidas árabes que exalavam cheiro à distância, porém um atendimento péssimo, atendentes de TPM perene. Até hoje o local está tomado por um matagal imenso. Creio que um posto policial poderia ser armado ali, ou uma nova loja, talvez.
 
Lembro, aproveitando que mencionei a Avenida Inácio Dias da Silva, o quão fétida era, com um enorme córrego em seu centro, que parecia um mar agitado nos dias em que chovia. Lembro-me dos Supermercado Kinoshita, concorrente do Mercadinho do Chico (o qual existe até hoje). O Kinoshita fechou em meados de 1992 depois de um grande assassinato em suas dependências. Lembro do Raul Gil visitando o mercado para fazer a reportagem policial para o "Aqui e Agora". Já o Mercadinho do Chico, lembro dos pãezinhos deliciosos dos anos 90 e dos preços baratos todos os dias. No lugar do Kinoshita atualmente também funciona um supermercado, chamado Renata.
 
Ainda sobre a Inácio Dias da Silva e dependências, não posso deixar de lembrar de quão renovada foi durante essa última década. Podemos comparar a região da Afonso Sertão, Inácio Dias e M'Boi um novo Largo Treze, um novo Santo Amaro. Região antes conhecida pela incidência de pequenos comerciantes, atualmente temos dezenas de grandes nomes instalados por aqui, por exemplo: Banco Itaú e Bradesco (no local em que anteriormente foi ocupado pelo Supermercado Panteão)... Supermercado Extra (antigo Reimberg)... Lojas Macedo... Outlet... Habib’s.... Zuken Vip (neste local existiu um parque de diversão nos anos 80, se bem me lembro)... Ponto Frio... Magazine Luiza... Droga Raia... Águia Shoes....
 
Em dezembro de 1994, nas dependências da falecida Brilhocerâmica, foi inaugurado o Shopping Fiesta (Avenida Guarapiranga). Lembro de que estive ali com minha família na inauguração no mesmo ano e, como um shopping era novidade para os moradores da região, lembro que neste dia nunca vi tanta gente na minha vida.
 
Isso sem contar da Paróquia Bom Jesus de Piraporinha, onde me casei em 2006 e meu tio se casou em 1995, deu lugar para a Loja M@cedos e virou o Santuário do Bom Jesus, logo ao lado, na entrada da Chácara Santana (aliás, que saudades do Padre Jair Máximo e a explosão da Renovação Carismática Católica em 1999 até 2004)...
 
A Embalagens Rubi, no número 1265 da Guarapiranga deu emprego para minha mãe e meus tios até seu fechamento, em 2009. Lembro das estórias contadas por eles, de colegas de trabalho, viagens à Colônia de Férias das Indústrias de Papel, Papelão e Cortiça na Praia Grande, pertinho daqui da cidade, dos churrascos de fim de ano... Hoje, no local funciona a Subprefeitura do M'Boi Mirim (destino dos participantes dos inúmeros protestos que ocorrem na estrada, pedindo melhorias no transporte, saúde, enfim...)
 
Logo ao lado, na Avenida Guido Caloi, a fábrica de bikes Caloi, que após quase um século no cruzamento da Guarapiranga com a Guido Caloi deixou a capital para transferir a produção para Atibaia.
 
O terreno das Impressoras Paranaense, ao lado do Cedro do Líbano e do Terminal Guarapiranga, enfim demolido recentemente após quase duas décadas de abandono.
 
Em um próximo post, escrevo mais sobre as pérolas do Piraporinha e adjacências, pois caso eu não pare por aqui, concorrerei com vasta enciclopédia.
 
Abraços.
 
E-mail: tatacancaonova@gmail.com
Localização da história
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 14/01/2014

Tarcisio, desde 1958 até 2013 eu frequentei uma Cantina maravilhosa em M'Boi Mirim, a CANTINA VENETA.

Ali vivi grandes e alegres momentos com amigos e com minha família.

Aliás, em Dezembro de 2011 foi lá que o grupo das RODADAS DE REDONDA COM AUTORES REDONDOS OU NÃO promoveu sua confraternização anual, realizando um almoço memorável.

Como tudo que é bom um dia termina essa cantina fechou, ou melhor, mudou-se para o Brooklin em um pequeno espaço. Não sei, inclusive se a qualidade mudou, mas a saudades dos velhos tempos me impediu, até o momento, de ir pesquisar "in loco".

Gostei de ler teu relato,

Enviado por Miguel S. G. Chammas - misagaxa@terra.com.br
Publicado em 13/01/2014

Um bem descrito apanhado de uma região em franco progresso, Tarcisio, rico em detalhes com sabor de documentário cinematográfico. Bem redigida, leitura sem dúvida alguma, um excelente registro pra ser guardado. Parabéns, Tarcisio.

Modesto

Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
Publicado em 09/01/2014

Caro Tarcísio,sua descrição sobre este populoso e crescente bairro foi imbatível.Me senti participando de todos os momentos da vida destes comércios tão bem descritos por voce,e de todos os outros que ocuparam as dependencias dos antigos e dos novos como a alegria de ter um shopping no bairro.Voce descreve o tempo de duração dos comércios e o que se instalou no lugar,a Paróquia,e até a fábrica de bikes que foi para o interior voce nos contou...Eu contei uma história que vivi com emoção neste bairro,publicada em 3/10/2012 entitulada,"Cartas ao Papai Noel dos Correios" Na época eu achava que o nome era J.Santa Angela e este dia acrescentou uma experiência marcante em minha vida.

Escreva nos muito mais sobre este bairro que deu uma baixa muito grande em relação a criminalidade e cresce cada dia mais a passividade entre os moradores.

Enviado por Walquiria - walquiriarocha@yahoo.com.br
Publicado em 08/01/2014

Tarcísio,quantas lembranças você tem mostrando o antes e o agora dessa região de São Paulo. Eu quase não a conheço e para mim é muito bom ler sobre a região. Um abraço.

Enviado por Margarida Pedroso Peramezza - margaridaperamezza@gmail.com
Publicado em 08/01/2014

Tarcisio, linda sua primeira história, bem vindo ao democrático site spmc. Como moro fora, Florianópolis-SC., e tendo morado ai em SP, eu não sabia que Piraporinha, se localizava na região sul, e que este lugar está no perímetro da subprefeitura de M'Boi Mirim; não faz mal. Isto é interessante para nós para nos situarmos primeiramente onde é que a historia foi protagonizada. O própria site, ai ao lado: Localização da historia, não apôs, do verbo apôr, transitivo' o mapa como sempre faz, justamente para clarear onde é o ambiente da historia contada pelo autor. Aguardamos mais relatos seus, narrativas, ok? e Parabéns! Seja mais detalhista, sobretudo indicando o caminho da 'roça', captou? E fica bonito indicar.

Enviado por Clesio de Luca - clesiodeluca@yahoo.com.br
Publicado em 08/01/2014

A expansão da região do extremo sul de Santo Amaro é inevitável, embora haja um descontrole imensurável sobre as áreas de mananciais que abastecem 1/3 de água potável da grande São Paulo, e, a Represa de Guarapiranga pede socorro, pois estão jogando esgoto diretamente na mesma, sem tratamento algum; basta presenciar este fato no Parque do Lago, onde a concessionária lança detritos diretamente na Represa de Guarapiranga, tudo é fétido. Santo Amaro perdeu sua autonomia e seu vasto território de 640 quilômetros quadrados que são vilipendiados todos os dias. Não existe um “novo” Largo 13 de Maio, pois este é um marco único e importante parta situar Santo Amaro como foco de toda expansão da região do extremo sul, existe sim um deslocamento da população que convive com os problemas estruturais de péssimos governantes sem exceção, independente de situação partidária. As lembranças da região de exuberante progresso são inevitáveis, mas muitas coisas passaram, como as nossas vidas registraram como “progresso” incontrolável da invasão da zona sul, mancomunado com maus políticos que incentivaram a prática em troca do voto de urna! O descontrole expansionista local está fora de controle e os paliativos da M”Boi Mirim, que não é um bairro propriamente dito, vive preso a uma situação de inquietude e desmando pelos vendilhões da região que pensa unicamente no bem subjetivo.

Enviado por Carlos Fatorelli - cafatorelli@gmail.com
Publicado em 08/01/2014

Vc. se lembra da padaria do Lisboa,na Piraporinha,Garagem da Viação Jurema,Soc.Cedro do Libano,ainda esxiste o Jd. Santa Margarida,Vila Remo,Jd.Vaz de Lima?

Um abraço

Enviado por Vilton Giglio - viltongiglio25@gmail.com
Publicado em 08/01/2014

Muito bom conhecer os bairros da nossa Sampa querida Tarcísio. De fato uma verdadeira enciclopédia que gostaria de estar sempre lendo. Forte abraço ...

Enviado por José Aureliano Oliveira - joseaurelianooliveira.aureliano@yahoo.com.br
Publicado em 08/01/2014

Bem vindo Tarcísio ao mundo dos contos, somo vizinhos de bairro, estou no jardim São Luiz e conheço bem seu "pedaço". Achei estranho quando voce cita Raul Gil como reporter do Aqui Agora. Não seria Gil Gomes? Na Avenida Ignácio Dias tem um Centro cultural da região,a Igreja de Piraporinha tem muita história que precisa ser contada aqui, parabéns pelo relato e vamos em frente , Estan.

Enviado por Estanislau Rybczynski - estantec@gmail.com
« Anterior 1 Próxima »