Leia as Histórias

Categoria - Outras histórias Sexta-feira, dia nacional de jogar conversa fora Autor(a): Rubens Rosa - Conheça esse autor
História publicada em 30/01/2013

Lá pelos anos 70, trabalhando em uma empresa de auditoria na Rua Barão de Itapetininga/galeria Califórnia era obrigatório o uso de gravata, mas na sexta-feira podia relaxar um pouco, ou seja, sem gravata, jeans, mas tênis nunca (não havia sapatênis). Mas a sexta-feira era especial, logo cedo estacionava o meu carrinho atrás do colégio Caetano de Campos, ia para o prédio logo na entrada da galeria Califórnia, tomávamos aquele cafezinho de máquina, chegava as 12h, íamos para o almoço, era no Gato que ri ou Um, dois feijão com arroz, Galetos, Salada Record, Almanara ou naqueles bares com mesinhas nas calçadas da Praça Dom José Gaspar, depois íamos circular nas lojas de disco da Barão, 24 de Maio, Sete de Abril e redondezas.

Chegava o fim do expediente, aí a turminha ia comer bolinho de bacalhau na Praça da República, esquina com a Timbiras, depois íamos até o Pingão tomar chope, ouvir músicas com aquelas máquinas de fichas, e quem aguentava dava uma esticada até o Garitão, ou Som de Cristal, Dakar e outras do pedaço da Major Sertório. Terminada a farra, íamos pegar o carrinho, e lá estava ele lá intacto, sem ninguém mexer. Como a gente era feliz e não sabia, Rubão.


E-mail: rrosa49@yahoo.com.br

Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 03/02/2013 Rubens, por acaso essa empresa de auditoria era a ETAE ? Enviado por Almir - almir1960@hotmail.com
Publicado em 01/02/2013 Um autêntico fim de semana paulistano, Rosa. A menção de bares e restaurantes conhecidíssimos, traz boas recordações a todos nós que sempre vizitávamos um ou outro. Parabéns, Rubão.
Modesto
Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
Publicado em 01/02/2013 Caro Rubens, as sextas-feiras marcaram profundamente minha juventude, mesmo porque, eu era um felizardo que não trabalhava no sábado, e, em 1954/55 isto era um avanço, pois até bancos e repartições públicas funcionavam. Um abraço, Rossi. Enviado por antoniorossidossantos - rossi@valoneadv.com.br
Publicado em 31/01/2013 Nessa época já com carro, ó mordomia heim Rubão? E enquanto você fazia esse programão, ali perto na Marconi e adjacências 'padeciam' muitos de 'latão', o velho ônibus. Você que viveu no Centro Velho, Centrão. E era tudo de bom. Praça D.José Gaspar, rua 7 de abril, av. São Luiz, Largo do Arouche...Restaurantes, lanchonetes e lembra do churrasco Grego? Ambiente saudável e rico na redondeza. Recordar é viver. Enviado por Clesio de Luca - clesiodeluca@yahoo.com.br
Publicado em 30/01/2013 Rubens, como eramos felizes. Hoje em dia temos que tomar tantos cuidados que acabamos nem curtindo quando jogamos conversas fora. Um tal de sair, mas com stress. Um abraço. Enviado por margarida peramezza - margaridaperamezza@gmail.com
Publicado em 30/01/2013 Rubens Rosa

Também trabalhei na Rua Barão de Itapetininga e frequentei os lugares que voce indica na história.
Não se ganhava, mas se divertia muito naquela época. As pessoas eram outras, mais decentes.
Parabéns.
Enviado por Edmir Espindola - edmirespindola@ig.com.br
« Anterior 1 Próxima »