Leia as Histórias

Categoria - Nossos bairros, nossas vidas Quem conhece a Vila Ré? Autor(a): Douglas Dias - Conheça esse autor
História publicada em 19/01/2007
Para os amantes de São Paulo, mais um cantinho a ser descortinado. Saindo do centro da Penha, continuando pela avenida Amador Bueno da Veiga, encontramos uma placa de acesso à ela: Vila Ré. Lugar de visual anos 70, com a rua Itinguçu como principal via, este bairro da Zona Leste, tranqüilo e cheio de saudosismo, retrata uma cidade que precisa descansar.
Suas ruas de nomes indígenas entrecortam um comércio em expansão e a rotina pacata dos moradores. Com poucas opções de lazer e cultura, seus principais destaques estão no Circo-Escola, colado à estação Patriarca do Metrô e a sede dos motoqueiros conhecidos como “Abutres”.
Jô Soares já engrossou o time dos roqueiros motorizados. Aos finais de semana, ao lado do viaduto Itinguçu, é possível se deparar com motos Harley Davidson e triciclos no melhor estilo “Mad Max”. Uma mistura de cultura grunge com punk, em que se reconhece facilmente o legítimo estilo rock’n roll.
Ponto alto da rotina paulistana é a feira livre, às terças-feiras. Com o que há de melhor numa feira tradicional, as pessoas que circulam por ali tem ares de nossa infância. Senhores que facilmente nos cumprimentam, mulheres escolhendo o que há de melhor nas barracas e uma confusão colorida entre as promoções dos tomates e bananas. Momentos especiais, para os bons observadores, para se apreciar ao sabor do caldo de cana e do pastel – tradicionalíssimos.
Próximo também da avenida Governador Carvalho Pinto, com uma respeitável infra-estrutura de bares e restaurantes, esse recanto da cidade é convidativo num sábado à noite. Para os mais religiosos, logo na entrada da rua Itinguçu pelo viaduto, vê-se a igreja de Santo Antônio, que conta com uma pequena, mas tradicional quermesse no mês de junho.
A Vila Ré é mais do que um bairro para se conhecer. É um lugar para morar e sentir-se bem.
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 08/04/2015

Sou Ivani Gomes,neta da D. Raimunda, morava na rua Juazeiro do Norte, Jardim Nordeste. Estudei no Galileu Menon, no tempo do Diretor Geraldo, dos desfiles de 7 de Setembro, era esperado pelo bairro. Meu time de Handbol, era o melhor time.rsrs Lembro tanto de uma grande amiga( Marli Duarte dos Santos) nossa goleira, tinha a Nancy muita alta morava na rua da feira. Maria Marli de Paula, Magali, Marilda, e Ivani Teixeira. Lembro de um rapaz que tinha um carro que ficava parado na porta da escola com nome ( GENIAL) Edson Genial, eles tinham farmácias, no bairro. Discoteca Cris, Toco. Nossa lembrar de bairro é muito bom. Hj moro no RJ, se alguém lembrar de nós deixo meu email- gsvanii@hotmail.com...............abraços

Enviado por Ni - gsvanii@hotmail.com
Publicado em 08/04/2015

Boa Tarde, sou Ivani tenho uma irmã que se chama Ivone. Estudamos na Escola Galileu Menon, nos anos 70 e 80, e ter lido hoje todas as histórias de cada um me fez também voltar no tempo. Hj moro no Rio de Janeiro, e tenho muitas saudades de tudo do Jardim Nordeste e Vila Ré, Discoteca- CRis, Toco, ir na praça jogar voleibol, gostaria muito de saber de alguns amigos, me lembro do meu time de handeboollll era as meninas, Marilda Quirino, Nancy ( morava na rua da feira), Maria marli, Marli Duarte, Ivani Teixeira ( minha vizinha ) Magali, essas meninas me lembram minha infância, a escola Irei deixar meu e-mail ( gsvanii@hotmail.com) Ivani Gomes, filha do Toninho, neta da D. Raimunda e meu avô Nazareno. Morei na Rua Juazeiro do Norte. Obrigado por fazer lembrar de tantas coisas boas e linda. Beijos.

Enviado por Ni - gsvanii@hotmail.com
Publicado em 24/09/2014

Prezados, Eu morei na Vila Ré de 1968 a 1985, passei a minha infância e adolecencia ali numa travessa da rua Dené a rua da antiga fábrica de garrafas, estudei no Carvalho Senne e no Masiero, frequentei a Cris, hoje Casas Bahia, o Cine Saturno, A Quermese da Igreja Santo Antonio, o Parquinho da Vila Esperança na esquina da rua Evans com Amador Bueno, jogava bola na rua Moé e na Municipal no campinho do Joinha , fazia carreto na feira de sexta feira na Av. Municipal, onde soltavamos balões e empinava pipas, tenho muita saudade do bairro, onde passei os melhores dias da minha vida apesar das dificuldades que minha familia passou na época, deixei muitos amigos e outros foram morar longe do bairro.

Enviado por Cicinho/China - cicero.work@hotmail.com
Publicado em 10/01/2014

DOUGLAS,saiba que meu avó foi o comerciante que lá no começo do século ,teve muito trabalho para construir um local aonde (contava )minha mãe se vendia de tudo.VOCE deve ter ouvido falar do time de futebol OS 11CAPRICHOSOS,era paixão do meu avó.O campo era em frente ao comécio dele,na ITINGUSSÙ,lá cresceram minha mãe e minhas tias,o prédio ainda está lá.VILA RÉ foi o melhor da vida do meu avó,vindo de PORTUGAL,teve muitas lutas mas,foi um VITORIOSO.AINDA tenho uma das minhas tias morando na JARAUARA.

Enviado por Luzia Helena Junqueira - luziahelena030746@gmail.com
Publicado em 16/09/2013

Nasci e fui criada na Vila Ré. Meus pais eram donos do Bazar Sueli, que ficava na Av. Itingussu, 1731, próximo à Farmácia do Sr.João, em frente ao Depósito da Brahma. Meu pai, João Pacheco, tinha um caminhão e fazia mudanças. Estudei no G.E. Profº José Bartocci (o qual ficava atrás da minha casa) e no Colégio Carvalho Senne. Quando vendemos o Bazar, depois de um tempo mudamos para a Rua Municipal ao lado da Hikari.

Ler alguns desses relatos, fez-me voltar à minha infância e lembrar de um tempo que foi muito bom, mas que não volta mais.

Hoje, eu navego pelo Google Earth, passo pelas ruas e já não reconheço mais a Vila Ré da minha época.

Saí de lá em 1983, e depois que meus pais faleceram, só voltei lá por 2 vezes.

Seria muito legal reencontrar amigos daquela época.

Saudades !

Enviado por Luci Pacheco - luci.pacheco60@gmail.com
Publicado em 17/04/2013 Saudades de uma época em que não volta mais,da turma da Folk do Toninho, depois das matinês da Cris do pessoal do colégio Gabriel Ortiz, do bar do Sam, Seven Boys e do nosso padre polemico e tão querido João, muitas histórias e grandes recordações, morei na rua jarauara em frente ao ponto de ônibus. Enviado por Nadia - nadia.marc@hotmail.com
Publicado em 14/04/2013 Morei na Vila Ré na Rua Professor Vasconcelos Sarmento, no ano de 1949 até 2010. Hoje eu Maria de Lourdes, com 85 anos e meu esposo Sr José com 86 anos estamos relembrando o tempo em que lá vivemos.Muitas saudades dos vizinhos; Dona Benedita e Sr Marcelino (Hoje falecidos) Dona Maria e Sr Antonio que vieram direto de Portugal para a querida Vila Ré e assim como outras famílias que lá convivi. Muita saudade das criançadas que brincavam com meus filhos (Emílio, Lurdinha e Carlos) nos quintais sem muros e ruas sem asfaltos. Enviado por Maria de Lourdes - lourdeshf@terra.com.br
Publicado em 03/04/2013 Sou moradora na vila re à cinquenta anos, ou seja nasci nesse bairro, e amo morar nele, não troco esse bairro por nenhum. Gostei muito de encontrar a história da vila re. Enviado por celia pereira campos - celia.campos.1@hotmail.com
Publicado em 28/03/2013 Gente que legal ver todas estas histórioas, nasci em 1959 na Rua Professor Vasconcelos Sarmiento na Vila Ré, ledo os depoimentos fiz uma viagem no tempo, realmente não da para esquecer o Sr.Olavo farmaceutico, padaria Larpan,Supermercado Ré-unos, Cine Saturno, Bar Rei da Vila, quando moleque ia nadar na lagoa seca um perigo! Deixei amigos inesquecíveis dessa época, Zé Carlos / Júnior(Tutu), Radir / Rona / e muitos outros. Estudei no Grupo Escolar Vila Granada e depois E.E.Maria de Carvalho Senne. Moro hoje no Rio de Janeiro mas jamais esqueci a Vila Ré. Enviado por Edison Araujo de Oliveira - ea_olivei@hotmail.com
Publicado em 05/03/2013 Eu morei na rua sao serapiao entre os anos 70 e oitenta mais ou menos, estudei no bartocci depois no maziero, me lembro de cantar o hino nacional e da bandeira todos os dias no bartoci vestido com aquele avental branco e com a mao no peito da hora kkk, lembro de alguns amigos de infancia que moravam proximos de minha casa na sao serapiao n 521, me lembro dos irmaos beto, ivinho, vagal, do laercio me lembro do hercules do mica, do henrrique que hoje é advogado e ainda mora la na rua, do sidney que morava proximo o bar do seu hito no fim da rua acho que esquina com a rua name ou nea , bom se alguem me conhecer entre em contato meu apelido era nino kkk fui. Enviado por milton - mpgian@hotmail.com