Leia as Histórias

Categoria - Paisagens e lugares Uma praça para chamar de minha Autor(a): Renata - Conheça esse autor
História publicada em 13/12/2012
Morei no bairro Vila Progredior (Caxingui) até meus 40 anos e, por todo este tempo, um lugar passou por minha vida em muitos momentos: na época chamávamos de pracinha, também a chamavam de 3 lagoas, posteriormente ganhou o nome de Vinicius de Moraes. Eu estava lá quando o Toquinho fez um show no dia da inauguração com o novo nome.

Morava em uma rua pequena sem saída onde os vizinhos eram todos amigos. Aos domingos minha mãe se reunia com outras mães e íamos para a pracinha, levando pipoca e suco! Rolávamos na grama, brincávamos de pega, pegávamos girino na lagoa e levávamos para casa e alimentávamos até virarem sapinhos que iam para o jardim... Adoro sapos até hoje.

A praça sempre bem cuidada, com muitas descidas gramadas, também servia de escorregador. Com uma tábua que levávamos, escorregávamos e na nossa meninice parecia um escorregador gigante!

Quando já crescida, época de adolescência, a praça era o final da nossa balada... Saíamos para barzinhos e o final da noitada era na praça, com música ligada, cerveja, namoricos e diversão.

Quando meus sobrinhos nasceram fiz questão de levá-los muitas e muitas vezes, principalmente para poderem, como eu, rolar e escorregar na grama, abraçar árvores, correr, andar de bicicleta, ver os girinos nas lagoas (desta vez sem levar para a casa), subir em árvores, andar descalça, enfim, um contato com a natureza e uma liberdade total.

Quando na faculdade, impossibilitada algumas vezes de estudar em casa, levava meus cadernos, textos e uma toalha e, sentada debaixo das árvores, redigia meus trabalhos. Dançava muito, deitava na grama e confraternizava com a natureza. Deitar no chão de terra e grama me fazia sempre lembrar que estava deitada, realmente, no chão do planeta! Fiz piquenique com minhas amigas de faculdade, ficando lá até meia-noite e nos momentos "baixo astral" ela me consolava com um pôr de sol para me recompor.

Hoje, moro no centro de São Paulo e não vou mais com frequência, mas a última vez foi em um piquenique com minhas irmãs, meus sobrinhos e os seus filhos – meus sobrinhos netos.

"... a mesma praça, o mesmo banco, as mesmas flores e o mesmo jardim..." ainda está igual, vai ser sempre a minha praça, passando por gerações de minha família!


E-mail: renova37@hotmail.com E-mail: renova37@hotmail.com
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 29/12/2012 Muito legal os comentários de todos...acho que em algum momento de juventude todos tivemos nossas "praças", não? Lugares que fizeram diferença em nossa vida e que vão estar sempre em nossa memória. Enviado por renata - renova37@hotmail.com
Publicado em 25/12/2012 Adorei Renata, que essa fase de adolescência nunca envelheça na sua familia... Enviado por Marcelo Matarazzo - theonlyexception.m@hotmail.com
Publicado em 15/12/2012 É assim mesmo Renata, está de acordo com seu nome, ao recordar estes momentos doces de saborear, vc vai "re-nascendo", fazendo destes quadros "renatos" em suas lembranças. Parabéns, Renata.
Modesto
Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
Publicado em 15/12/2012 Renata – Muito confortante esse seu cantinho na nossa grande Sampa da Garoa. Em cada bairro tivemos nosso cantinho também. Do meu Tatuapé nada sobrou da minha época, a não ser saudades, principalmente dos amigos. Abraços ... Enviado por José Aureliano Oliveira - joseaurelianooliveira.aureliano@yahoo.com.br
Publicado em 14/12/2012 Muito agradável essa sua praça. A descrição da mesma me lembrou meus tempos de menina nos jardins do Museu do Ipiranga que foi, junto com o Jardim da Aclimação, a minha praça. Pois é, " todos nós temos na vida, um banco, uma praça"... Enviado por Trini Pantiga - trinesp@ig.com.br
Publicado em 14/12/2012 Amiga Renata,feliz natal e prospero ano novo
abracs.
Enviado por antonio pinto alves - antonio.palves@yahoo.com.br
Publicado em 13/12/2012 Renata, a mesma coisa que você sente por esta praça, eu sinto por um lugar chamado Parada Inglesa. Acredite é muito bom ter este sentimento. Enviado por Marcos Aurélio Loureiro - marcoslour_ti@yahoo.com.br
Publicado em 13/12/2012 Praçã é sempre um símbolo de alegria.Praça tem árvores tem flôres,tem pássaros e quase sempre tem crianças,sentar num banco de praça renova nosso espírito e nos dá uma sensação de paz...
Lógico que estou falando de dezenas de anos atràs,porque as praças de hoje,nos dá mêdo,tudo é abandono e tristeza,nem os pássaros cantam mais...
Enviado por walquiria rocha machado - walquiriarocha@yahoo.com.br
Publicado em 13/12/2012 Renata, parabéns pela descrição da sua praça, é muito bom lembrarmos de lugares onde passamos a infância e juventude, as praças eram muito bem frequentadas e muito curtidas. Bela narração lindo seu depoimento. Enviado por Maria Egênia CLini - mariaclini@hotmail.com
Publicado em 13/12/2012 Renata o mesmo amor que você sente por esta praça, eu sinto por São paulo e pela Zona Norte.
Parabéns
Regis Paiva
Enviado por Regis Paiva - regis-paiva64@hotmail.com
« Anterior 1 Próxima »