Leia as Histórias

Categoria - Personagens "São Paulo parou, para deixar a Hebe Camargo passar" Autor(a): Rubens Rosa - Conheça esse autor
História publicada em 01/10/2012

Lá pelos anos 64 e 69 eu estudava no centro de São Paulo e frequentava, direto, o "teatro Record Consolação", assistia direto quase todas as gravações da Record, e as quartas-feiras a Hebe gravava o programa que ia ao ar aos domingos, acabei pegando amizade com ela e às vezes ia até a sua residência na Rua Petrópolis - Sumaré buscar ingressos.

Circulava direto nos bastidores da Record, participei do primeiro programa piloto "esta noite se improvisa" do Blota Jr. que foi no programa da Hebe e acabei ganhando um radinho JP, pois ninguém soube cantar a música "opinião" que tinha a palavra "osso", no palco estava o Simonal e a Nara Leão (foi quem gravou a música), mas deu um branco nela e eu acabei ganhando o prêmio.

No site da "Jovem Pan”, na coluna "dois diretores em cena" tem esse relato que aconteceu. Pelo seu sofá passaram príncipes, reis, rainhas, plebeus, presidentes. Ela será sempre insubstituível, inigualável. E no primeiro domingo da primavera São Paulo parou para deixar a Hebe passar, fiquem a vontade para comentários.


E-mail: rrosa49@yahoo.com.br

Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 02/10/2012 Belo relato sobre a vida e história de Hebe Camargo,parabéns também pela sua participação no programa. Enviado por Ana Maris de Figueiredo Ribeiro - anamarisribeiro@ig.com.br
Publicado em 01/10/2012 Ela se foi antes que a doença acabasse com ela.
Jamais a Hebe se mostraria cadavérica e morimbunda
ao seus telespectadores.Ela partiu altiva e com os cabelos impecáveis como sempre apareceu em público Ela se misturava as flôres por isso morreu na primavera...
Enviado por walquiria rocha machado - walquiriarocha@yahoo.com.br
Publicado em 01/10/2012 Rubens, acredito que seja impossível alguém não ter sentido profundamente essa perda. Um abraço. Enviado por Vera Moratta - vmoratta@terra.com.br
« Anterior 1 Próxima »