Leia as Histórias

Categoria - Nossos bairros, nossas vidas Santana antiga Autor(a): Raymundo Montagna - Conheça esse autor
História publicada em 30/05/2012
Após ler as crônicas editadas é muito difícil usar algum fato novo. Então talvez eu seja repetitivo. Mas Santana no fim da década de 40 e durante toda década de 50 era muito interessante ou nós éramos jovens e achamos isso. Mas me recordo muito bem do Grupo Escolar Buenos Aires na Cruzeiro do Sul com o Diretor Senhor Pete, que impunha muito respeito, e da Professora Loretana, parece que ainda está viva e forte.

O que hoje se chama de "bullying", eram brigas de moleques na saída da escola. A briga começava lá dentro e marcava-se o final para a saída. Fazia-se um risco no chão, cuspia-se no lado do outro, como se fosse um desafio e começavam a rolar pelo chão e a molecada em volta gritando. Nunca ninguém morreu. Passava em frente, da escola, o trenzinho da Cantareira e eu e os outros garotos colocávamos pedras nos trilhos na esperança de que o trem descarrilasse... Quanta bobagem.

As carteiras eram duplas com um lugar para o servente colocar a tinta na qual molhávamos a caneta de pena de aço. Era uma “lambuzeira” total. Usava-se mata-borrão. Mas da primeira professora, em 1949, eu não me esquecerei jamais. Era uma senhora idosa muito bondosa, cujo nome esqueci. Tirávamos fotos todo ano e eu ainda as tenho.

Em 1952 fiz a admissão ao Colégio Salete, hoje já demolido. Lá o interessante eram os jogos de basquete e hóquei sobre patins. Meus amigos Gallo, Mesquita e outros jogavam muito. No Basquete o Pirica, David, Grene(?) . O bedel era o Senhor José Veneziano. As garotas eram lindas e difíceis. Nem tanto. Fiquei no Salete até 1959 quando conclui o Científico.

Aí partimos para o Anglo Latino, cursinho na Rua Tamandaré. Trabalhava de dia como office-boy no centro de São Paulo e estudava à noite. Era muito difícil. Todos eram pobres. Luxos: geladeira, rádio, TV depois, telefone. Morávamos no fim da Rua Salete, no famoso Beco da Bosta, pois não havia esgoto canalizado e era a céu aberto. Havia a chácara do Senhor Arlindo, um português muito famoso, que fazia umas “sardinhadas” de vez em quando. Meu amigo Groselha deve lembrar-se bem disso. Espero que ele leia isto.

Tínhamos nosso time de futebol que disputava com a turma da Travessa Sandreschi. Morávamos em uma vila e as moças eram a Salete, a Cléo, Marilena, Branca e a Nininha irmã do Groselha. Havia também uma moça cujo apelido era 1001 por causa das falhas nos dentes da frente. Maldade hein...

Hollywwod, Vogue, bondes, motorneiro Bailarino, Polar, Comércio, Clube dos médicos, Tietê, Floresta. Dá saudades, mas hoje está melhor. Havia muita pobreza.


E-mail: raymundo@montagna.com.br E-mail: raymundo@montagna.com.br
Login

Você precisa estar logado para comentar esta história.

Antes de Escrever seu comentário, lembre-se:
A São Paulo Turismo não publica comentários ofensivos, obscenos, que vão contra a lei, que não tenham o remetente identificado ou que não tenham relação com o conteúdo comentado. Dê sua opinião com responsabilidade!
Publicado em 05/06/2012 Sr. Montagna, cheguei ontem de Sampa, onde passei uns dias revendo minha família.... e tirando fotos do bairro de Santana. Visitei o grande terreno onde há pouco tempo havia o Colégio Salete. Só restaram uns azulejos e pintura das crianças. Cheguei tarde demais! O prédio da esquina também será demolido. Saí a pé pelo bairro, até o atual Buenos Aires, tirando fotos do que resta das casas antigas cujas fachadas me trazem tantas lembranças. Tanto tapume, tanto canteiro de obra.... Enviado por MARIA HELENA SANTIAGO - mariahelenasantiago@hotmail.com
Publicado em 31/05/2012 SATISFATÓRIA RECORDAÇÕES MUITO BEM APLAUDIDA PELOS NOSSOS COLEGAS LEITORES E COLABORADORES. MESMO SEM MORAR EM SANTANA, SOU ATINGIDO, NÃO PELOS NOMES MAS SIM PELAS OCORRÊNCIAS QUE COINCIDEM COM MINHA JUVENTUDE. PARABÉNS, MONTAGNA.
MODESTO
Enviado por Modesto Laruccia - modesto.laruccia@hotmail.com
Publicado em 30/05/2012 Caro Raymundo, pelo seu sobrenome, me parece ser parente do Ogier Montagna (ou seria o mesmo???) tudo que você relatou, eu também vivenciei, porém penso eu, ser bem mais "velho" que você...sou de 1934) o Buenos Ayres, frequentei de 1943 a 1945 (2ºao 4ºano) pois o 1º já tinha feito no "Frontino Guimarães"...você cita (no jôgo de basquete) dois grandes amigos meus, que inclusive jogaram futebol comigo, ou seja o "Pirica" (Nelson) já falecido e o David, que ainda mora lá em Santana...No meu tempo também de Buenos Aires, era seu Diretor, o mesmo sr.Peter...no Ginasio Salete, (do Diretor, sr.Helvio Bugano) fiz minha admissão no ano de 1947 (logo apos a sua fundação pelo sr.Angelo Bortolo e de lá saí no ano de 1951, passando para o Externato Santana, do sr.Valerio Giuli, onde fiz o Técnico de Contabilidade e Datilografia...Conhecí muito o "Bailarino" (Walter, a Padaria do Comercio (da Familia do Gentil)o Clube dos Medicos na rua Salete, o Tietê(onde fui sócio de 1948 até 1953...o Floresta que era Esperia e voltou a ser Floresta...Apesar desta "pobreza" que você mencionou ao final de seu texto, eu sinceramente preferia àquela época, aos dias de hoje...(questão de gôsto)Até hoje, "brigo" com alguns "santanenses" mais jovens, que afirmam que defronte ao Buenos Aires, passavam bondes...que vinham pela Voluntários da Patria, "entravam" na rua Duarte de Azevedo, entrando pela Cruzeiro do Sul e retornando à cidade, pela Gabriel Pizza...(e isso na década de 40/50)... eu morei na rua Duarte Azevedo,nº93 (quase esquina da Cruzeiro do Sul) de 1941 até 1947 e nunca ví este "bonde fantasma"...e você, os viu ??? rsrsrsrsrs.esqueci de dizer sobre as "brigas" no Buenos Aires...no meu tempo, tinha lá a turma do "Caúca" um moleque arruaceiro, que acabou assassinado por um operario, em um bar no bairro da Ponte Pequena, nos anos 50...Abraços e se quizer fotos daquela época, é só pedir... Flavio Rocha Enviado por Flavio Rocha - flaviojrocha@bol.com.br
Publicado em 30/05/2012 Raymundo. Gostei da sua narrativa, pois fez-me lembrar do Colégio Salete aonde fiz apenas a quarta série ginasial. Isto foi nos idos de 1953. Vindo do Liceu Coração de Jesús, para mim o Salete foi sensacional pois era misto e, por que não dizer, as garotas eram realmente bonitas. Eu acredito que nós nos tenhamos cruzado pelo páteo, afinal você estudou em mesma época.
O Luciano era encarregado de zelar pela "paz" entre nós e pela a entrada dos alunos no portão.Eu senpre gostei de Inglês e, já naquele tempo, eu tinha bons conhecimentos da língua. O professor Hugo de Inglês nos tornamos amigos mais tarde. Fiz uma boa amizade com a Fernanda, professora de ginástica. Passei a frequenter a sua casa por mais de três meses. Era Morava na Amaral Gama, num sobrado. Na ocasião, morávamos também na mesma rua na Chacara das Rosas. Algumas vezes depois das aulas eu e alguns colegas iamos jogar bilhar num bar na rua Dr. Cezar, perto do Colégio. Recebi um diploma da Festa da Ginástica em 7 de Setembro de 1953, assinado pelo Sr. Hélvio Bugano e pelo professor de ginástica Henrique Bueno. Eu acho que esses nomes, como tantos outros, são familiar para você. Não me recordo de tantos outros. Afinal já faz um bocado de tempo. Velhos bons tempos. Acredito que no lugar do Colégio agora irão edificar um prédio de apartamentos que de um trato estará repleto de novas famílias. Com efeito, São Paulo continuirá a desafiar a lei da física. Abraços, Anthony.
Enviado por Anthony Mennitto - mennitto@comcast.net
Publicado em 30/05/2012 Amigo de textos do SPMC Raymundo,ótimo é esse seu comentário sobre a nossa querida e fantástica Santana que tive a satisfação desfrutar a partir do ano de 1955 quando vim morar na R Gabriel Piza nos fundos de uma carvoaria,com 12 anos incompletos, dali saindo para morar no ABC,agora resido em JOINVILLE SC minha terra natal.Montagna,a nossa Santana sempre estará nos corações, a magia dos seus locais ainda persiste em nossos corações....Abraços Enviado por Airton Irineu dos Santos - airton.cercal@hotmail.com
Publicado em 30/05/2012 Excelente sua cronica, uma informação a prof Loretana tem um cargo, não sei qual, na diretoria do Centro do Professorado Paulista que funciona na av. Liberdade. Enviado por Cida Schoenacker - cidaschoenacker@uol.com.br
« Anterior 1 Próxima »